sexta-feira, 30 de junho de 2017

Matriz, Mãe, Maternidade (Mônica Von Koss)



Matriz, Mãe, Maternidade (Mônica Von Koss)
"(...) Enquanto gestar e parir são ações biológicas restritas às mulheres, o impulso para maternar, aquilo que costumamos chamar de amor materno, é a expressão do desejo humano de conservar e promover a vida. E como todo desejo humano, é uma escolha mais ou menos consciente, disponível a qualquer ser humano.
O impulso para maternar independe da maternidade biológica, como bem o demonstram mulheres e homens que dedicam sua vida a cuidar de outros, independentemente de serem crianças ou seus filhos biológicos. Não há um instinto maternal, que surge automaticamente da ação biológica do parir, como fica evidente no fenômeno conhecido como depressão pós-parto. Manter e nutrir a vida são escolhas que fazemos; mas, pelo fato destas escolhas terem sido feitas conscientemente por milhares de anos e milhões de seres humanos, ficaram tão profundamente enraizadas na própria essência humana, que a tomamos por asseguradas e nos surpreendemos, quando não ocorrem. Em condições normais, o amor materno é uma emoção resistente e teimosa, que pode ser expressa por todo ser humano.
Historicamente, a ação de maternar está mais associada à mulher, por ser ela a nutridora biológica no início da vida. Mas nutrir não significa apenas alimentar, significa criar um espaço relacional de total aceitação e confiança mútua, baseado em uma convivência corporal íntima, elementos fundamentais para o bom desenvolvimento psíquico e emocional de todo ser humano.
(...)
Na pré-história, quando a opção de maternar ficava a cargo das mulheres, elas escolheram conservar a vida, no sentido de preservar o corpo físico para a continuidade da espécie. Levando em consideração a sobrecarga representada pela maternidade naquelas condições primordiais, a real motivação para maternar foi o amor.
Quando a base econômica dos grupos humanos passou a ser o pastoreio, o parir das fêmeas, animais e humanas, se tornou uma fonte de riqueza. Quando o homem passou a exercer o poder sobre a mulher e sua prole, passou a prevalecer a utilidade social e econômica, entendida como o uso do corpo para a geração de riqueza, para o trabalho e para a guerra. Na idade clássica grega, a mãe cuidava apenas das crianças que eram escolhidas para se tornarem adultos, a escolha cabendo ao pai. Domínio, poder e riqueza determinavam a maternagem.
Na Idade Média surge uma imagem materna idealizada, a maternidade separada da sexualidade. Não existia ainda a noção de infância, sendo que, a partir dos sete anos de idade, a criança já era considerada adulta e encaminhada para sua função. Com a redução do corpo feminino à função procriadora, dissociada da experiência do prazer, a mulher passou a ser classificada como santa ou prostituta. Seu corpo já não lhe pertencia, era apenas um instrumento, e a maternidade, dissociada do corpo, foi santificada.
Na modernidade surge o conceito de ‘boa mãe’, uma mulher bem casada, fiel, subserviente e modesta. A mulher se tornou parte da mobília mental do homem e dos filhos, o anjo da casa. Como pessoa, estava a serviço da família nuclear idealizada. A maternagem se resumia à execução das regras estabelecidas por cientistas especializados na criação de filhos. A motivação para maternar passou a ser o sucesso social do marido e dos filhos.
A partir do século XX presenciamos a reintegração da mulher como pessoa, como elemento atuante na teia social, para além de sua função procriadora e nutridora no seio familiar. Ao saírem de casa para trabalhar, as mães caíram do pedestal e muitas mulheres passaram a viver o conflito entre ser mulher e ser mãe, entre realizarem suas aspirações genuínas como pessoas e as expectativas sociais tradicionalmente depositadas nelas.
O presente sistema de crenças, que fundamenta nossa ação no mundo, é um mosaico destes estágios históricos a respeito da maternidade. Por isto, é urgente revermos nossas crenças e expectativas coletivas em relação à maternidade, para criarmos um sistema que agregue todas as pessoas envolvidas neste ato fundamental para a vida, a fim de criarmos um futuro mais harmonioso.
Em um sentido mais amplo, somos todos integrantes da grande família humana, o que nos torna responsáveis uns pelos outros. Mais especificamente, quando um homem e uma mulher se encontram e trazem novas vidas ao mundo, ambos são igualmente responsáveis pelos cuidados de sua prole. Como estes cuidados serão distribuídos e exercidos pode depender de inúmeros fatores, em cada caso particular. Mas a idéia de que são primordialmente as mulheres que devem exercer os trabalhos de maternagem não é mais sustentável hoje, em que o envolvimento físico e emocional do pai na criação dos filhos se tornou um fator de fundamental importância.
Precisamos nos perguntar quais são as reais necessidades das crianças, aquelas que precisam ser atendidas, para que elas se desenvolvam e se tornem membros saudáveis e felizes da comunidade humana, sem que isto esgote a energia de mulheres e homens no exercício de suas funções como progenitores. Precisamos refletir a respeito de quais recursos a comunidade humana como um todo precisa colocar à disposição dos adultos, para que eles possam desempenhar satisfatoriamente suas funções sociais e familiares, sem negligenciar suas próprias aspirações genuínas.
Para desenvolvermos um modelo de maternidade que esteja à altura de uma nova ordem social, precisamos ampliar a noção de maternidade, retirando-a exclusivamente do universo biológico. Precisamos entendê-la como uma maneira de criar uma nova comunidade, mais ampla e inclusiva, que proporcione a todos os seus integrantes os meios de realizar suas contribuições para esta comunidade de um modo digno, sejam estes meios econômicos, físicos, emocionais, ocupacionais, educacionais, espirituais.
Colocar o valor e o cuidado da vida como objetivo primeiro em todas as nossas ações significa resgatar a escolha original das mães ancestrais. Significa promover a vida em todas as suas formas de manifestação, restabelecendo a unidade primordial da criação.
E você sempre pode começar consigo mesmo, maternando amorosamente todas as suas diversas partes, principalmente aquelas que você gostaria de deixar de lado, nutrindo e cuidando de si mesma, para que você se torne um membro valoroso desta família humana. Enquanto você materna a si mesma, você estará maternando a humanidade."
Mônica Von Koss, antropóloga
Texto na íntegra em:
http://www.monikavonkoss.com.br/…/matriz-m%C3%A3e-maternida…
(Texto postado por Sahwenya Passuelo no ano de 2016)

domingo, 25 de junho de 2017

Retiro Alma da Terra- Ser Amor- Pousada Monte Crista-Garuva.


RETIRO ALMA DA TERRA-SER AMOR.EM MONTE CRISTA.

 A JORNADA AO CORAÇÃO


ORGANIZADO POR- Patricia C. Alves 
WHATS 
51
996463154

Do dia 16 a 25 De Novembro.
7 dias de Prática e 2 dias de Descanso.
Neste Retiro, serão Habilitados em:
RENASCIMENTO SUAVE
Bases Inciais a Natural Medicina Alma da Terra.


A Medicina do Amor, contêm as Bênçãos do Amor e  a Essência Desabrochar ao Coração.

Em Poesia, convida:


"E não imagineis que possais dirigir o curso do amor,
Pois o amor, se vos achar dignos,
Determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo
Senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,
Sejam estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
Que canta sua melodia para a noite;..."

( Khalil Gibran)

UM PRESENTE A SUA VIDA!INFORME-SE!
RETIRO ALMA DA TERRA- DIAS 16 A 25/11/2017.

No Retiro Alma da Terra, estaremos compartilhando as Sabedorias e Habilitação em Natural Medicina, Hellinger Sciencia e Renascimento Suave.
O enfoque ao próximo Retiro é ao seu "SER AMOR NA JORNADA AO CORAÇÃO".

Durante os 7 dias de Vivência em Renascimento Suave aprenderemos sobre o fluxo da Energia.  Quando se completa e Integra a Energia , em um Ciclo de Atendimentos.
Teremos a oportunidade de Vivenciar, a construção Orgânica de uma Agenda de Exito e conhecer seu fluxo na energia.Flor é Sendo a compreensão sentida na Gestão de Sucesso em sua Vida!

Um Presente,entre os muitos presentes que essa Experiencia vivencial nos convida: A presença, de Dhwani,a co-criadora da Respiração Alquímica e Formadora de Renascedores,por mais de 20 anos, Estará trazendo sua sabedoria sobre o Fluxo da Energia Pura e a orientação de como se dá um Ciclo de Energia completo.

Outro Presente, este é Opcional:Nos dias 26/27 de Novembro, nos Hospedarmos em uma Hotel, precioso, em Bombinhas, com quartos frente ao mar, para celebrarmos, tomarmos um chá com a Presença de Sahwenya, comungarmos em deleite, a nossa jóia em meio ao amor da Existência, cantos, silêncio, descanso, mergulho ao mar e a confraternização, compartilhando o alimento, a nutrição ao seu Ser Amor, em irmandade!!
Bem Vindos!
Amor, Sahwenya Passuello

Mais Informações, abaixo no Convite.inscrições com Patricia C. AlvesWHATS 996463154, ou face!
Acesse o link  para saber sobre Valores, Inscrição e Firmar sua Participação.Todos são Bem vindos!

https://www.facebook.com/events/358951194519771/?acontext=%7B%22ref%22%3A%22106%22%2C%22action_history%22%3A%22null%22%7D









terça-feira, 20 de junho de 2017

DECIFRA-ME OU DEVORO-TE - A MORADA DAS BÊNÇÃOS DO AMOR.


 



A linguagem simbólica, respondendo o  Enigma, da Esfinge no Antigo Egito, guiou-me em essência, ao encontro com a razão áurea na equação matemática a qual resultou quem sou.

Nesse caminhar, fiquei refletindo sobre o que se deu em minha Jornada, quando, em uma Vivência de Meditação, durante a noite, deitada e minha Barraca, sonhei, com uma velha bem velha, que me convidou a um passeio.

Tratava-se de um percurso inusitado, pelos subsolos da Esfinge onde, naquele momento o Faraó Akenaton era embalsamado.

Ali, pude assistir bem próximo, como se dava o ritual, a retirada dos órgãos  em urnas, as ervas, os óleos, as resinas, os símbolos desenhados pela pele, o adorno dos objetos de poder, enfeites com os objetos que amava em vida física.

Absorta frente ao que testemunhava no tempo fora do tempo, escutei a voz, da Velha, vestida de preto, com um nariz um tanto avantajado e um sorriso intrigante, rir bem alto a dizer:

Venha, venha, vamos que ainda precisamos adentrar a Câmera Sagrada onde a Virgem nos espera.

E meio sem saber quem era ela, e o que me guiava a segui-la, mantinha-me encantada como em uma história alegórica aquelas que nos dizem algo, verdadeiro, despindo-se ao nosso olhar, depois de muito, muito tempo.

Chegamos em um local, ainda mais abaixo da Grande Esfinge, e lá havia um Gongo grande, de cor dourada, e 8 homens vestidos de Preto, ao centro. um raio luminoso vai tomando forma, e dele avista-se uma linda Mulher.
Pude escutar as palavras proferidas por um dos homens que acerca de um cristal, de seu tamanho, dizia:
Bem Vinda, Virgem.

Ela vestia, um tecido branco acetinado, que lentamente caia ao chão, erguendo suas mãos, levou luz ao Gongo, que iluminado continha o desenho de duas Piramides, o rio Nilo e o sol que caminhava para o ponto alto do céu, sobre o Nilo, entorno das 10/11 horas da Manhã.O rio fora coberto de estrelas, reluzentes, refletindo os raios do sol.

Nessa Luz, agora, dentro da Câmera Secreta, a Virgem se ergueu, junto ao Cristal, e como um sol que se põem, desapareceu, fundindo-se a Luz..

Abraçaram-se, todos os homens,  todos, sorriram e se despediram, quando se retiravam do local, parabenizavam em júbilo, através do olhar, em silêncio entoando o nome de seu Círculo- Lendários do Sol.
Sábios Essênios, guiando de geração a geração as verdades do Deserto, povo dos Mestres e Profetas, dos mantos sagrados de oração,guardavam consigo, o que seu Faraó, buscou em sua humanidade expressar, sobre a Unidade das Divindades, simbolizando pelo Sol.

Novamente, me vi totalmente integrada aquele momento, assimilando a energia que daquela realidade havia sido abraçada.No Sonho, a velha então diz, contigo levas a Virgem e essa te guiará ao encontro de uma drusa desse grande cristal, além das crenças e dos credos desse tempo, a virgem é eterna.Disse ela.
Aqui, você, está em outro tempo e outro lugar distante de tua casa, quando chegares em retorno a sua Morada, busque em seu quarto, pela Drusa, estará envolta em um velho tecido dessas terras, antigas, guardando um pouco da areia do Deserto.Saberá que ele guarda a sabedoria da quinta essência, a sabedoria da materialização, da graça.

Então, mais apropriada do que te falo, o Cristal deve ser levado a 13 Luas Cheias e 13 Sóis. iluminado.

Quando Completo o movimento das Luas e dos Sóis, começará a receber símbolos, simples chaves.

Essas chaves serão entregues a 3 Sábios Nativos  de diferentes Lugares, e um deles trará para a matéria na forma de um medalhão em ouro as chaves.

Nesse Momento o Cristal, estará em um altar, e quando em uma manhã, qualquer for a teu espaço, orar, ele não mais lá, estará.
Retornará a sua Origem e você inciará a peregrinação ao encontro com a Virgem, quando encontrá-la será elevada pelo raio de luz no mar da fonte.

No decorrer dessa Jornada ao seu Coração, compartilhará com muitos o medalhão ancorando a frequência das Chaves na Terra.

Serão levadas aos cantos do mundo, e dado tempo, se unificarão, e outras pessoas conhecerão as chaves e começarão a compartilha-las também.

Essa Energia Pura da Fonte, possui o poder de alinhar e distribuir em todas as direções, possui sons, cores, movimentos, formas geométricas e podem ser calculados matematicamente.
Sua razão está na origem de tudo que tem forma, em sua essência está a Fonte.

Chegará o dia, que muitos virão até o deserto, para serem Inciados na Sabedoria das Chaves da Virgem.

Ao Despertar do Sonho, ouvia o som da risada da Velha bem velha, que gargalhando dizia:

Decifra-me ou Devoro-te.

Passados alguns dias, retornei do Retiro junto com meu companheiro, contei a ele o sonho.
Assim, após 12 horas de Viagem, já um tanto esquecido do que havia contado a ele, quando chegamos em casa, passado um tempo, foi levar suas roupas ao Closet,  exclamou, sorrindo:
Sahwenya, o que esse Pano cheio de Arei está fazendo aqui?

Nos olhamos, e nos colocamos a abri-lo, lá estava , em meio ao antigo tecido,o Cristal.

De onde veio Isso, pensamos, pensamos e então me recordei novamente do Sonho.
 Agora, aqui escrevendo, me vem:
Quem sabe está chegando o momento de viajarmos ao Egito, onde fica a Morada das Bênçãos do Amor?

E, sim, todas as falas da Velha, se concretizaram.
Hoje, antes de prosseguir a mais uma etapa, creio que a penúltima, fase dessa travessia, me lembrei da Esfinge, e emergiu um significado entre tantos a expressão:Decifra-me ou Devoro-te.

Da Mentira a Verdade.
Do Veneno ao Néctar.
Da Morte a Imortalidade.

Creio que esse pode ser um bom mantra para as Bênçãos do Amor.
Fazem 14 anos que sintonizei as Chaves, que chamei de Simbolos Solares, depois de Bênçãos do Amor, e agora se revelam Bênçãos da Existência.
Abaixo, após pesquisar encontrei a imagem do meu Sonho, esquematizada.
O que fica dessa Jornada ao encontro da Virgem? A essência.

Que a Essência se Revele.
Que a jóia se ilumine pela fonte de sua Existência.
Ser, Seja, Sejamos Amor.





SAHWENYA PASSUELLO.







sexta-feira, 16 de junho de 2017

As Dimensões do Olhar na Jornada do Coração:


                                          As Dimensões do Olhar na Jornada do Coração:




Enquanto caminhante sigo trilhando o caminho, a cada passo sou convidada a refletir sobre as escolhas que são solicitadas, em suas causas e efeitos tangem a direção a qual estou a seguir.
Minha morada o coração, farol que ilumina dias e noites da Jornada em minha humanidade em minha existência espiritual.

A cada nova decisão ou revisão das decisões cujos resultados se apresentam e convidam a ser visitadas novamente, hora olho em profundidade, em outros momentos olho na amplitude da totalidade, ainda sou inspirada pelos pontos, que desenham o pontilhado do assentamento dos frutos colhidos em função de sementes escolhas plantadas, a londo, longo tempo.

Seja no olhar imediato ou a maiores distancias, na superfície ou na profundidade, sou livre para escolher como olho, não se trata apenas onde olho, e sim, como olho o que está sendo o objeto de meu olhar.

Enquanto estou olhando, já mais esclarecida do que olho, onde olho e como olho, sou convidada ao coração a escutar  o ser amor que habita-me, leva-me e pede que pare de escrever uns instantes, respire relaxadamente em suavidade e descanso, sou levada a olhar a grandeza da Existência, e sua simplicidade.Reflito em um instante sobre:

O que é a Existência?

Sinto que falo da quietude, sem forma, sem nomes e que em minha humanidade busco uma referencia para nomear.Falo de um fluxo de energia pleno e vivo criativo em movimento em sua inação.

O movimento nasce da quietude desse mar da existência.É no oceano físico que posso inspira-me a tocar essa dimensão do olhar.Aqui , está o Olhar em  minha humanidade.

Emerge no fluxo da energia a espera, a escuta, da quietude, no silêncio e o que chega?De onde Chega?Através de quem chega?De onde vem o que chega?
Sigo, olhando as dimensões do olhar e compreendo de forma sentida, as respostas.

Meu organismo físico guarda a biologia do amor, em sua sagrada anatomia, existe uma espaço para a existência derramar-se.
Uma poção de seu manancial inesgotável  ofertando gotas de sua doce presença que ganham forma de coração,vida, escuta,  voz,  toque, sabor, olhar.

Então olho ao movimento do fluxo de energia que percorre meu corpo físico, energético, emocional e dou-me conta do efeito desse derramar-se em doce presença da existência,ondas circulam concedendo a graça de transmutar os ânimos instantaneamente, a cada respiração.

Respiro novamente, expiro devagar olho o que se passa dentro e fora, e aqui estou escrevendo, digitando palavras impregnadas desse doce mistério na Vida.

Estou relatando o olhar, quando observado, e o olhar testemunho da Consciência que assisti o rio passar, encontrar o mar, aprecia o movimento das ondas e presencia quando se desfazem ao mar.

Expiro e novamente percebo, que isso toca meu Ser em Amor.

Olho em meu interior e vejo o espaço que nasceu de minha permissão a  partida do conjunto de crenças, padrões e condicionamentos, olho novamente, aqui estou a falar sobre o olhar que olha de direções distintas o mesmo ponto.

Aqui, testemunho meu Ser, e vejo como é tênue a linha do olhar, enquanto escrevo o olhar pode olhar primeiro para o que se passou e depois para esse momento, ou, pode inciar olhando para esse momento e depois revisitar o que passou, e o que vem e o que vai, nesse ir e vir de meu olhar, onde está o foco de quem olha, de onde está a olhar, logo respiro, novamente.

Sou convidada a olhar a imagem que brota nessa respiração, ilustra ludicamente a mensagem que nasce desse amor, logo a seguir floresce uma pergunta:

Como é feita uma Rede de Pesca?

Então, olho para a trama de fios que se cruzam, entrelaçam, tomando forma de nós espaçados, pequeninos, tomando espaços métricos, entre vazios, fios e nós.

Sou remetida a relacionar no fluxo de energia emocional, e sua simbologia expressas no tecer a Rede, e os  fios, os entrelaçamentos, nós,os peixes e o mar, diante de um olhar simbólico guardião de uma linguagem conotativa ao que realmente quer dizer.

Os fios falam de nossas escolhas, decisões, comprometimentos, clarezas, direções, realizações,e onde olhavam os olhos que as teceram, de onde olhavam, de que forma, em que espaço, que fluxo de energia movia-se atrás do olhar, de quem olhava e o que era olhado, seus inter e intra-olhares.

Agora, tanto o ser que me habita como o ser que te habita são convidados a olhar mais adiante, e ao mesmo tempo em que somos chamados, a dar muitos passos atrás, mantendo o olhar em foco, com o objeto que receberá esse olhar.

É importante, desprender-se de um entendimento, e manter-se apenas presente, a olhar.Livre em seus movimentos, livre para afastar-se e aproximar-se, conforme a necessidade de investigação de quem olha, ao que olha e da energia que flui através de todos, em seus olhares mútuos, a direção desses olhares, se há resposta nos movimentos, em que direção seguem esses movimentos ou esses olhares.
Falo do olhar dentro, através, além, envolta, abaixo e acima, da energia que percorre diante do objeto a ser olhado.

E agora, quando a sugestão de olhar se amplia, é por si mesma descrita, ganha movimento próprio, surgem as mesmas questões, a serem consideradas diante daquele que olha, o objeto a ser investigado.

Indicando após a resposta, o olhar com o movimento completo, o olhar fenomenológico, que investiga, identifica, discrimina e discerne, ofertando condições a quem olha, de exercer o seu olhar isento de medos, estratégias e ou julgamentos, apenas acompanha a direção com que se move o que é objeto de observação, aqui nasce, o testemunho da observação.

Ao meu coração, essa é a simplicidade inserida no Olhar o que é, pois o que é, é, não solicita que goste ou não, pois continuará sendo, O que é.

Esse pode ser um bom entendimento de verdade, aquilo que é, e mesmo que digam muitas coisas sobre, continua sendo.

O olhar a Verdade, proporciona o Soltar do que não é, esse é um primeiro caminho em direção a liberdade.

O Soltar está próximo do Liberar, e a liberação se dá, no corpo, no coração e na vida, quando o soltar viveu o liberar nas distintas dimensões do Olhar.

Logo, a Rede para transformar-se em fios novamente, e libertar o ser que em si aprisionou-se, em cada nó dos equívocos, das crenças, tecendo padrões métricos, entre vazios devidamente condicionados, assegurando a trama, do Ser Humano, no mar da ilusão é pedido Um Novo Olhar.

É preciso, viver o primeiro passo, que fala, sobre o Sim a Vida em todas as dimensões do Olhar, até que experimente na profundidade, o Sim.Nessa esfera da Consciência, quando o Sim, atua na completude do Olhar,

O olhar que avista  todas as direções, contem a Síntese e convida ao Olhar a experienciar esse estar em completude.

Como os sentidos do corpo físico respondem, quando estamos assentados nesse estar, descansados e aquietados, será que estamos a olhar o Nascimento de Um Novo Olhar?

Algo tal qual se dá em uma despedida, quando os tripulantes de um barco ingressam ao Navio, em sua partida ao Novo Lugar, fecho os olhos, respiro e assisto o despedir-se do que foi, como foi, com tudo em Gratidão.Está Completo.

O olhar que Busca,em todas as direções, falemos do Olhar Perdido, o Olhar ao Sofrimento, o Olhar Identificado, o Olhar que projeta , e pergunto:
Será que esse olhar está disponível a viver  o reconhecimento a todas as pontes que teceu, entre o céu e a terra, para aprender o caminho?

Ao render-se e dizer o Sim, é dado a Permissão ao Olhar.

O Olhar Completo, aprendeu o caminho a fonte da existência, em si mesmo, encontra em seu ser espaço agora, para que a fonte se derrame, flua plenamente em Liberdade.

A Liberdade floresceu e em sua flor-essência Soltar, Desapegar, Renunciar, a olhar ao Passado, livre o Olhar Completo, segue adiante.

Na vida, no corpo, no coração, na vida, com o Olhar Aberto, Presente, move-se segundo o fluxo da energia, em sintonia com  a energia pura que flui da Fonte em seu coração.

Nasce o Olhar em beleza a cada palavra que caminha em verdade, realizado, compartilha agora, o Olhar que Bem Diz, o Olhar das Bênçãos que bem-quer, da bem-aventurança, do Amor.

Derrama, o olhar completo, o fluxo de energia da Fonte da Existência, através do Olhar de quem está a Abençoar.


Bênçãos de amor, ao seu coração.
Que sua Jóia brilhe ao mundo!
Sahwenya.
Medicina do Amor.

















segunda-feira, 12 de junho de 2017

O dinheiro e suas relações na Jornada do Coração nas várias dimensões do olhar.

Perguntas:

Olá amado Ser amor, por favor pode elucidar ao meu coração, o que se passa nessas situações?

1-Onde investigo, na minha jornada pessoal, quando oferto o meu trabalho e as pessoas que participaram e receberam o produto acordado, não realizam o pagamento assumido?

2- Para onde olho, em que direção busco o entendimento e a mudança, quando me organizo para manter as dividas em dia e fico por não cumprir, boa parte do que assumi em acordo?

3-E quando já paguei uma divida e sou cobrada novamente, quais os mecanismos envolvidos e qual o processo de cura?

4- Acabo por esquecer dividas assumidas, mesmo tendo o valor a disposição, quais os emaranhamentos estão intricados nessa postura, pois sinto-me em desordem com isso?

5- E caso queira liberar  uma pessoa de uma dívida o que se passa ao fundo e qual o efeito e consequência dessa oferta no crescimento do outro?

Olá querido coração, com carinho e atenção respondo suas perguntas, percebendo o anseio que acompanha em encontrar a clareza, nas dimensões do Ofertar e do Receber.

Inciei investigando no seu nascimento, pois é o lugar onde encontramos o maior exito em nossas existências.Investigue sua Jornada no Ventre, pois nele habitam as crenças do Papai e da Mamãe, e a forma com que foi impresso em seu sistema nervoso, essa etapa.

O papai é aquele que leva você ao sucesso na vida e a mamãe é aquela que sustenta, como diz, Bert Hellinger, enquanto Sahwenya que sou, compreendo que a questão  está  desde o ventre onde estão impressas a varias gerações a qualidade de energia nas relações entre Mãe e filha, e a aproximação com o amor ou o distanciamento com o amor, e de igual forma se dará na relação com o dinheiro.

É no ventre que está impresso a qualidade de energia resultante do encontro dessas Mulheres com os Homens em suas Vidas.Quanto maior a distancia do amor, maior a projeção nas relações com o homens na Vida.

No ventre estão as marcas do desamor, do sentimento que o amor vem de fora e é uma propriedade, portanto o amor e a liberdade, estão relacionados com a experiencia com o Ventre que nos ofertou a vida, e o ventre que de origem a quem nos gestou, a Mamãe.

É necessário deixar ir o entendimento equivocado  do abandono do amor, da separação, consequentemente do não pertencimento, da solidão, aqui está a origem do ódio que guia o ser a se ferir, a ferir o outro e a ser ferido e do temos em fazê-lo.

Alguns de nós de fato não teve contato com a Mamãe no nascimento, e será preciso entrar em contato com sua mais pura essência, para completar esse movimento interrompido, dando espaço para que as várias dimensões do amor revelem e acorde em nosso íntimo o olhar de amor de nossos Pais, no momento de nossa fecundação e concepção, bem como na relação de nossa Mãe com seu ventre quando ele começou a tomar forma.

Tudo passa pelo amadurecimento e compreensão do que é o amor e de onde ele vem de fato.
Para isso, somos convidados a rever as meias-verdades, onde sentimos pena de nós mesmos e não empreendemos a força de vontade positiva, para ser a mudança que queremos ver ao mundo.
Logo olhemos onde estamos apegados, vejamos onde nutrimos o ódio por nós mesmos e pelo outro diante do sentimento de frustração e paralisia nesse ponto.

Investiguemos se existe algo a ser dito, pois o amor que você, não entrou em contato, requer dissolver o muro de emoções, formados pelo padrão de vidas e vidas, o qual guiou-nos a todos, escolhermos a forma e condições de nascimento, o qual vivemos, com a única mãe perfeita a nossa experiencia e aprendizagem.

Essa Mãe, nesse ventre, nesse corpo, nessa família, cultura, nação, época planetária e existencial, são únicos e ricos em exito.

Pergunta número 1- Olhemos agora para a origem do nascimento daquele que teve contato com sua Mamãe, horas e dias após do seu nascimento o padrão que ali se estabeleceu e ou a compensação, condicionamentos e crenças que tomou forma nessa relação:Mamãe  e você, Você e o dinheiro.
A aprendizagem é sentir-se 100% disponivel a se render a esse amor, deixando ir as mágoas, ressentimentos, dor e sofrimento frente aos entendimentos equivocados.do seu para que, nessa vida, a programação da existência através do Ser Amor que o habita na realização de seu propósito, sua verdade.Esse pode ser um primeiro passo, viva plenamente com consciência esse movimento e se abrirá novos caminhos na sua vida, em exito e plenitude.

Pergunta número 2-Investigue como é para você se comprometer e ainda siga um pouco mais adiante e veja se você está disposto a tomar teus Pais com tudo, assim como são e se o faz de forma integra e sem condições.
Talvez você seja convidado a olhar de perto, se está de costas ou de frente para esse amor, na saída do ventre na chegada a vida, no encontro com a Mamãe, no momento de mamar e tomar com viço ou não, o alimento.
E perceba o que é gratidão para você, e o quanto você é grato pela vida e o quanto internamente existe uma divisão, a qual nega a vida, nega o amor de seus Pais e a forma com que te ofertaram esse amor e como você se colocou diante deles e desse amor.
A gratidão é o primeiro movimento verdadeiro, honrando e reverenciando nossos Pais, com tudo, e nossas vidas, assim como ela é, em aceitação e concordância.
Vejamos, o segundo movimento verdadeiro fala do Perdão a si mesmo, que virá a seguir, até que chegue o momento de estabelecer uma Intimidade e Afetividade saudável.
Nesse primeiro movimento, com a chegada da Gratidão, nesse ponto, nesse espaço, será um marco em verdade, para  que sinta-se com condições de comprometer-se em tomar o amor e assim se sentirá capaz de pagar seus compromissos financeiros, comprometendo-se com seus acordos.
Esse pode ser um olhar sistêmico diante de sua questão.

Pergunta número 3-Nesse caso, após viver o processo de cura que convida ao perdão a si mesmo e a descoberta sentida do amor por si próprio, agora investigue o ponto que fala da Gratidão, olhando a qualidade de energia do Ventre da Mamãe e de suas antepassadas, na relação com o amor por si mesmas, e a amizade fraterna na relação com os homens em suas vidas.
Verifique sua relação com seu corpo, seu nascimento suas relações e veja em qual ponto encontra desafio em sentir-se quitando suas dividas, em que ponto anseia pagar sua dividas e parece-lhe que nunca estão pagas, o que busca compensar?Com quem você em seu sistema familiar está identificado, pagando dividas em seu lugar?A quem quer salvar e busca compensar o sofrimento de outros?
Aqui você é convidado a verificar onde se sente em divida consigo mesmo, e está identificado com as dividas daqueles que ama.
Convida a encontrar a consciência de sua individualidade em relação ao corpo da Mãe e do seu corpo e ainda ao entendimento da sua unicidade com o Universo.
E por fim, veja o quanto está comprometido com a verdade de seu coração e quanto abre concessões em suas relações em nome desse amor e lealdade?
E então descobrirá o ponto, nesse espaço que pede por aprender de forma sentida o que é gratidão, humildade e compaixão.
A gratidão auxiliará a aceitar incondicionalmente, a humildade te guiará a olhar novamente de diversas formas a tua humanidade e onde está mentindo para si mesmo, sendo infiel a sua verdade em nome desse amor, arriscando a própria saúde.E a compaixão te guiará a olhar teu ser de amor com amor, ao se colocar em seu lugar, enquanto testemunha e ver que de fato experimentou o que chamamos de um destino difícil, e ao mesmo tempo, que te desenvolveu capacidades de resilencia, nutrindo-te em fé e força de vontade positiva para transcender as adversidades.
Nessa investigação, descobrirá em tua essência o manancial de amor, onde todos são amigos, todos são imortais, o efêmero é o corpo físico a essência é permanente, a mudança pede pelo desapego da mente com o passado.
Nesse amor não existem dividas, pois o que você ofertou foi a expressão da existência e o que vem a receber também o é.

Pergunta número 4- Olhe de forma integra o quanto você se apropria de seus valores, e o quanto está consciente, do custo de energia que emprega para a realização de seus trabalhos e o quanto reconhece seu valor e dedica amor a si mesma?

Considere o caminho das Virtudes, um convite ao Florescer  do Perdão, da gratidão, ao amor próprio e da humildade, a compaixão.
Investigue a  qualidade de energia com que se deram, desde sua fecundação ao nascimento, e em suas relações.
Investigue, o quanto está presente, em seu dia a dia,   e o quanto está ausente morto-vivo, então poderá ter uma dimensão do quanto valoriza a vida e está comprometido com a vida, poderá reconhecer o quanto se sente pertencente ou se sente sem um propósito e finalmente olhará de frente para o quanto está sendo integro, ou está se enganando, agindo com pena de si próprio, nutrindo a paralisia do fluxo da vida, em sua vida ou está se movendo para mudar em verdade.

A parti desse ponto, podemos considerar todos os pontos, que foram tecidos desde a pergunta número 1 até a resposta na questão número 3.


Pergunta número 5- No fundo da ansia em liberar o outro de uma divida, pode estar o anseio de quitar uma divida consigo mesmo e libertar-se das compensações, expiações e lealdades nas relações familiares.
Você poderá em um primeiro momento renegociar a divida, caso sinta-se ferido ao recordar do trabalho prestado e não recebido, pois de fato, você recorda, do amor o qual não entrou em contato no nascimento, enquanto esse ponto interrompido no fluxo da energia amor, não se completar nesse ponto, continua existindo a distancia ilusória, da mente, que acredita estar em perda, divisão, separação, tendo como reação emocional a raiva e indignação.
Assim se dá, também nas relações afetivas, enquanto houver esse entendimento equivocado sobre o amor.Então é aconselhado você se posicionar, conversar e entrarem em um entendimento.
Aqui esse movimento, é verdadeiro em relação ao que sente, em seu interior.

Em essência no seu coração, no amor está tudo em equilíbrio, logo se você na origem de sua história perdoou a si mesmo pelas suas próprias escolhas, e está desperta na consciência do amor, se sentirá totalmente paga pelos presentes que a existência já te confere, em outros projetos, em outras relações.
A prosperidade nesse caso, já estará fluindo e esse caso é decorrentes das escolhas já ajustadas do passado.
Então no que   tange essa pessoa e dívida, em especifico, ao liberá-la dessa dívida,que está atuando nessa memória, nesse ponto cego, oportunizará a cura da projeção e atração dessa qualidade de energia  de relações e situações, em sua vida, fecha-se a área de projeção e fecha-se a necessidade dessa aprendizagem.

A Pessoa que está sendo liberada, dessa relação com você, por não ter mais uma área de projeção receberá um faixo de luz em direção a sua própria sombra, revelando as dores e sofrimentos responsáveis por esse padrão, proporcionando um natural crescimento, ao seu tempo.

Para isso, essa liberação pede para ser vivenciada na essência, no coração puro em amor incondicional, assim será abençoado aquele que é liberado e chamado pela própria existência, em sua essência a crescer e amadurecer.

A existência, nesse momento encontra, um espaço amplo em direção a quem liberou, para que seu fluxo prossiga abundantemente, o caminho está receptivo, abundante, aberto a receber, naturalmente a existência em seu universo generoso, oferta várias vezes o valor que foi liberado em verdade, na essência do coração, ofertando uma abundante paz.

O importante que aquele que não cumpre com o acordo viva a sua aprendizagem, seja pelas consequências geradas no campo material ou no chamado energético da existência, que oferta no campo da energia as adversidades a sua aprendizagem, mantendo o equilíbrio nas dimensões da ajuda e do amor, nessa Relação.

De uma forma pontual, é isso.Vou meditar mais sobre e quando emergir algo, novo, do coração, escrevo em nova postagem.

Que ajude, a você, dar um pequeno e verdadeiro passo!
Abraço em amor!















Gratidão a todas as Nações e Seres Amor que visitam o Blog Alma da Terra:90.000 visitas.







Gratidão a todas as Nações e Seres Amor que visitam o Blog Alma da Terra:90.000 visitas.

Dia, 18 de Julho, de 2017, o Blog Alma da Terra-Morada dos Avós, completa 7 anos de Vida.
Nesses anos, 90.000 pessoas estiveram conosco, dos diferentes lugares no mundo.Recebam as Bênçãos do Amor.

Entre as Nações que mais nos visitaram,entre outros, estão presentes:
Estados Unidos- 49748
Brasil-36351
Rússia- 931
Portugal-688
França-480
Alemanha-449
Canadá-138
Argentina-70
Ucrânia-59
Reino Unido-57

Gratidão pela confiança, pela honra de partilhar palavras ao coração, por juntos somarmos, a preciosa energia do amor.A todos, quer onde estejam, fica a profunda gratidão, amor e abraço junto ao coração.
Sejam, todos, sempre Bem-Vindos.

Esclarecimentos aos equívocos da Jornada frente a Repetição.







A Jornada ao Coração, convida a revelar a nós mesmos onde nos distanciamos e colocamos a sagrada energia da vida, a  nossa atenção, e onde, ele, o coração não esteve presente.

O único momento em que podemos viver em verdade, expressando a voz de nosso coração, é no Agora.A única chance de amar e ser amado, é no presente.

Então, se nesse momento estamos vivendo a repetição de um padrão, e nos perguntamos o que precisamos mover diferente, a resposta é:

Volte a sua única e verdadeira morada, o coração.

Ao se perceber, lidando com a dor e o sofrimento, saiba que não se trata de uma criança pedindo colo e atenção, e sim da lembrança de um fato que já não mais existe.

Não se trata de uma criança interior e sim de uma mente, seus mecanismos e ligações com o Corpo sofrimento e a recordação de um pedido de colo e atenção, cuidado e generosidade do passado.

Ao entender equivocadamente, destina seu cuidado a essa criança, enquanto está é nutrindo sua mente, e sua ligação ilusória com esse fato, vivenciado, na Infância.

Quanto a memória, convido que incie, e ou aprofunde, seu trabalho de investigação e conhecimento, até que chegue na origem, e possibilite que o movimento se complete, para que essa criança possa dizer o que não foi dito, que possa expressar sua voz de todas as formas que sinta ser necessário e vivenciar os movimentos de seus sentimentos, verdadeiros.Sendo Integro consigo mesmo.

Nesse momento, convido, a um primeiro passo,ao novo entendimento dessa etapa de amadurecimento em sua Jornada pessoal, que pede pela aprendizagem do  discriminar o Joio do Trigo.

Diferenciar o que é generosidade para consigo, que fala, sobre não permitir sua mente manter a liderança na identificação com o passado e a resignação, que é a compreensão que essa realidade não mudará e esse é seu possivel, no seu tempo e ritmo, cuidado

Após é diferenciar a consequência de ações impecáveis, decorrentes  do desenvolvimento da virtude humildade , a qual pede para que que olhe de distintas formas e faces o mesmo ponto, com reserva e distancia, garantindo a neutralidade.

Que identifique a consequência da exigência  decorrente da vicissitude do Orgulho, entre ela o equívoco da personalidade, quanto ao que entende e acredita  a ser necessário para sua evolução espiritual, suas capacidades espirituais e poderes desenvolvidos.
Reveja a compreensão de não ter escolhas enquanto a mente escolhe acreditar no auto-sacrifício.

É importante recordar que impecabilidade, fala da compreensão, do respeito por si mesmo, fala do perdão aos equívocos de compreensão e atitudes em seu caminhar humano.
Convida, a  humildade em reconhecer seus erros, do amadurecimento frente a impermanência e o desapego, diante da mudança.

Enquanto que a exigência nasce da ansia e cobrança em ter que fazer algo para solucionar um problema, uma situação, consigo ou com o outro, compreendendo o erro, de distintas formas negativas.

E se o que move sua energia, é exatamente, não fazer, e sim estar?

E ainda, se não depender de algo a mais a ser transformado e sim a ser permitido por você mesmo, a ser revelado, naturalmente, desde sua essência?

Mesmo que por bom tempo, tenha caminhado em estabilidade, se o caos está estabelecido, saiba, que no fundo é sempre uma escolha que o guia a estar em meio a essa situação.

Ai, no  fundo dessa escolha está a mente, novamente identificada e o corpo sofrimento, inspirando um certo tipo de prazer.

Foque em estar atenta a esse certo, prazer ao fundo, o identifique.
Olhe onde está apegado a algo que  sua mente não permite seguir,olhe ainda mais profundo e veja os pontos onde existe um certo ódio por você mesmo.

Então poderá identificar o que gera essa frustração, diante do não, diante do que se dá diferente do que
gostaria, que acontecesse e da forma e condições que exige para que seja satisfatório as suas necessidades e desejos satisfeitos.

 Quem sabe pode ser um primeiro passo, real, para que venham os próximos movimentos de cura, até que o amor liberte, em suas distintas dimensões as correntes ilusórias que te liga  a dor e ao sofrimento.

Esse é um valoroso, precioso e verdadeiro momento, então caso, isso se dê, poderá seguir a um novo quantum de consciência, o qual confere a você, ver a divisão que existe internamente.

Um instante que define a mudança de direção em sua Jornada ao Coração, quando Comunica com integridade, o que de fato se passa com você, identificando a fonte que nutre  a repetição.

Ao ver o que é, ao descobrir o  que  sustenta, a mudança naturalmente se dá.

Podemos mudar, quando vemos o que está de verdade acontecendo conosco.É isso.






A Liberação do Vício na Jornada ao Coração.

A Liberação do Vício na Jornada ao Coração.






No Universo das Histórias e Lendas, a energia depredadora, assume distintos personagens, figurando etapas do amadurecimento, e evolução humana.

Em alguns Contos, se expressa através da imagem  alegórica através da personagem Inocente, Ingenua, e distrai com os afazeres da vida, nutri necessidades e estimula os desejos, de coisas bem triviais do dia a dia.

Certos contos, enfatizam as etapas da Iniciação ao Coração,  assume o personagem da Megera, aquela que que leva a aprendizagem sobre as capacidades de discriminação e discernimento e ao enfrentamento com a sombra e a morte.
A Morte  da passagem, renascimento e iniciação nos mistérios da espiritualidade a qual guia a compreensão da Impermanência do corpo físico e a Imortalidade da essência, a Jóia da Existência.

A Força Predadora, é a outra Polaridade da Força Preservadora da Vida.Ela tece véus sobre os olhos, alia-se aos pontos enfraquecidos e não estruturados da Personalidade, tecendo firmes alianças com as crenças e antigos padrões.

Esses fios tramados, formam um cárcere em geral mantidos sem serem reconhecidos pelo medo e pela culpa, expressos pela Ânsia da Morte.

Na fala de uma Pescador, quando expressa sobre o que sente, quando Pesca, pude acompanhar as impressões  da organização da vida, como se dava  em clãs e tribos, do passado, presentes, nesse momento.O homem como agente responsável em prover em alimento e proteção e a mulher como agente, responsável por cuidar, zelar e dar a luz a vida.

Encontramos fragmentos dessa forma de organização comunitária, quando o pescador,  diz:
"O que mais amo é matar os Peixes, ver a rede cheia".

Esse prazer na caça e na pesca, conforme o olhar que olha e para onde olha pode avistar uma bem-aventurança como o sentimento de prazer pelo sofrimento e morte da vida figurando uma vicissitude, uma mal- querer..

Essa percepção sobre a cultura alimentar humana, onde leva a morte os animais para se nutrir dessa qualidade de energia,  nesse texto, transcende a visão moral, e sim atenta-se a uma compreensão da qualidade de energia que é a outra face da vida, a energia da morte.

Essa é a energia que o corpo sofrimento alimenta-se, e a troca, que se dá entre o ser humano e essa qualidade de energia é a ilusão de satisfazer seus desejos, encontrado em um entendimento equivocado , gerado pelo condicionamento, o qual revela " Somente sou feliz se passar por um grande esforço e sacrifício"  e "Quando o amor me toca, sou ferido(a), cada ser realiza seu entendimento equivocado de uma forma distinta.

Após os boicotes e sabotagens, e as experiencias de sacrifício, punição o ser humano experimenta a sensação de alívio após o sofrimento,  onde sem saber como, confere a autorização a viver o prazer.
Esse condicionamento nasce em algum momento da Jornada, confio que se dê, a primeira impressão de vida, nesse corpo físico, onde sua energia de base, sexual é ligada ao corpo sofrimento.

Essa ligação, equivocada alimenta os pensamentos repetitivos, que geram o vício, a repetição das mesmas emoções, sentimentos, pensamentos os quais geram a somatização e estress físico, mental, emocional e espirital.

Aqui, encontramos a oportunidade de levar luz, ao carcere da Humanidade, que gera a miséria material e espiritual, o que leva aos equívocos aos entendimentos que proporcionam a ligação entre o prazer e o sofrimento, o ferir e o ser ferido.

Em alguns credos e filosofias, chamam esse cárcere de Karma em outras de Provações de vidas passadas, aqui, a Natural Medicina, coloca sua compreensão da Biologia do Amor, assim elucidando organicamente  como se dá o vício e a estruturação das compulsões, seja em repetir relacionamentos de abuso, de abandono e solidão, ou do consumo de drogas, objetos, satisfação sexual.
A Energia Predadora, pode ser considerada um organismo vivo pensamento que transita pelo planeta e aproxima-se por frequência.

Circula através da Energia de Base, e segue pela rede que costroi sobre o córtex cerebral, gerando a neuro-química necessária para a vinculação da repetição com o prazer.
O primeiro passo para desvincular-se dos Vícios, fala da do desapego da  mente  pelos traumas e suas histórias.

A Natural Medicina, enquanto medicina do amor,  dedica-se as medicinas e bençãos que proporcionem a autoinvestigação e autoconhecimento, para liberar do hábito das vicissitudes centrais que impedem e interrompem a evolução do ser humano:
A pena de si mesmo e do outro, associado ao sentimento de salvar o outro, sofrer pelo sofrimento próprio e do outro.

Somado ao hábito de enganar a si mesmo, quando consente com escolhas e decisões que em outros momentos de pleno discernimento e clareza já sabe que são equivocados.
Assim, alimenta as meias verdades, seja pela ilusão de que dessa forma garante pertencer, garante lealdade, e ou expia no lugar do outro, seguindo o destino do outro, ou de um grupo, por não ter elucidado um ponto cego em sua Jornada, ligado a um espaço onde não se vê, não se compreende como um corpo individualizado e si uma extensão do outro corpo.

Seja para não ferir e ou não ser ferido, por aqueles que ama, e ou garantir o amor, segue permitindo a autocomiseração, as concessões e escolhas resignadas, sem permitir-se ser quem é em sua essência, e sem autorizar-se a expressar-se em verdade do seu coração.
Liberar-se dessas Concessões, Expiações, Lealdades e Compensações presentes em suas relações familiares, inciando pela primeira relação:
Mamãe e filho é o caminho que aponta para o segundo passo na liberação dessa equivocada ligação, de sua energia base com o prazer.

 Identificando os conteúdos emocionais, as palavras e movimentos que precisam ser expressos, os movimentos que precisam ser completos.
O terceiro movimento fala, de você, identificar as vozes que transitam em sua mente, gerando essa qualidade de energia negativa, revestindo-se de distintos personagens, tal qual um ser sabotador, uma criatura negativa.
Ao dar-se conta dessa criatura,  sua expressão e suas  vozes, transitando no fundo ao fundo da Mente, você será chamado a identificar os pensamentos que absorveu através de seus sentidos, normalmente esse são desconexos,são fragmentos de conversar, sons, experiencias que vivenciou recentemente.

Ao reconhecer a presença dessas distintas expressões que comunicam e expressam-se em uma frequência negativa, e as distintas identidades,  que assume, essa energia sofrimento,você, já está, muito próximo, do despertar da Consciência.

O quarto passo, então é quando, seu ser se dá conta e se coloca de frente com essa Energia, o que muitas vezes envolve uma certa fricção, desafios e superações manifestos na Vida.
É chamado a fortalecer-se em suas práticas, silêncio e devoção, descanso e cuidado, para alinhar-se afinadamente com a energia de sua essência.

A personalidade rende-se, a esse amor, e todos os entendimentos, crenças, credos, condicionamentos e padrões se revelam e são diluídos no amor.

O maior medo da Mente é ser exterminada, deixar de existir, acredita-se como um organismo vivo enquanto de fato é o produto de duas expressões: " O eu e o meu", da ilusão.
Quando acompanha essa travessia se dá conta que de fato, a essência segue viva eternamente, ela é imortal independente qual seja seu lugar, meio e forma de manifestação.

Essa nova consciência sentida, é expressa no Despertar da Consciência, e oportuniza a desidentificação, a entrega, o desapego a renuncia de tudo e do todo.
Esse tudo e esse todo, é reencontrado em energia, quando você está desperto  ao estar na frente de bilhões de sóis e  ao mesmo momento, que figurem um único sol, compreende a força da unidade e sua natureza.
Reconhece-se enquanto Individuo e enquanto Unidade.
Essa experiência mistica, vai fortalecendo-se na medida que a fé inquebrantável em seu Ser Amor, amplia-se.Até que perceba permanentemente nesse estado de bem-aventurança, na vida.
Esse entendimento é vivencial, ao mesmo instante que pode ser conferido em consciência também, por uma graça concedida.
Seja por trabalho dedicado ou por uma graça conferida, a consciência quando já trilhou o caminho e dedicou-se com integridade a verdade de seu coração, desperta.
Assim como todas as estações são imprescindíveis para que o outono da existência se dê, e a última folha de uma arvore renuncie sua expressão de permanência ao impermanente, assim é a consciência.
Um passo a passo, momento, a momento, nesse instante presente é o que guia ao Florescer da Consciência, a sua Floração e e sua frutificação.
Abraço, Fraterno, Sahwenya.




sábado, 10 de junho de 2017

A Dança da Jóia e a Existência!!Agradecimento as Mulheres de minha Vida.


Mulheres de minha vida, olho para o caminhar de cada uma dentro de meu coração, suas jornadas com tudo, o que mais me encanta é  como, incansavelmente ensinaram-me sobre ser "humana" e independente das dificuldades, dores e sofrimentos, seguirem firmes acreditando no valor da vida e no poder do amor.

No dia de hoje sinto-me em júbilo, palavra que nunca usei até este momento e que melhor expressa a dimensão do estado de graça que lavou meu corpo ao despertar essa manhã, junto ao novo tempo trazido pelos ventos do Oeste, o frio anunciou o meu sentir, lembrando o coração puro que me habita de suas origens.
Ao caminhar pela praia, pude sentir, abraçando-me a chegada dos ventos que vinham do Nordeste, anunciando as sabedorias que unem o Norte e o Oeste, deixando vir o que brota de meu Ser de amor!

Olhei pela história de nossa civilização, por onde as mulheres de tantas gerações caminharam em seu tempo e sua época,e  como se colocaram e se permitiram ser e em outros momentos viveram a opressão de suas vozes, expressões e suprimiram sua natureza selvagem junto aos mistérios do sangue que conferiram o dom e poder de conceber e gestar, dando a luz a  novas vidas.

Donas de um milagre concedido pela graça, o de derramar seu amor organicamente e dar forma, a um novo ser, acolhido e nutrido em seu ventre por entre as Luas e ao parir, parteirar a si mesma, de donzela, ver-se nascer Mulher, diante da completude que hora se fez, o nascimento de uma Família.

Quanto poder em um ventre conferido pela manifestação da vida, bênçãos da existência na aprendizagem do amor.O Ventre e Coração de uma Mulher berço onde nasce a vida,  paz, a alegria, amor e a liberdade !

Recordei do nascimento e partida dessas Mulheres e suas mensagens ao passar por esse mundo, onde vestiram suas vestes de Marias, Madalenas e Anas, seja, como tenha sido suas vidas, a alegria, o sorriso, a sabedoria do tecimento, do cozer com amor bordaram os mantos da lembrança, em resos, simplicidade e gratidão.

Queridas, digo a cada uma,  nem posso imaginar as dores e sofrimentos que consigo carregaram, o que posso dizer-lhes nesse momento, onde caminho na estrada da frutificação de minha existência, diz, sobre o lugar sagrado que todas vocês, recebem em meu caminhar, um lugar onde a fonte de todo amor se derrama conferindo a liberdade, a paz, a alegria, a tranquilidade, plenitude e vida.

Considero que ao serem tocadas por esse mar de amor,abram  os corações  a cura dos relacionamentos com movimento e livre expressão, conciliando toda e qual dor e sofrimento que possa estar presente em suas jornadas.Que todos os homens recebam esse sinal luminoso de conciliação, de amor e disponibilidade a intimidade plena.Aos homens de minha vida, eterna Gratidão,

No amor, cada ser, é como é, e é livre para ser com tudo o que é, dessa forma sentimo-nos todas nós, em casa, na simplicidade costumeira, da prosa e chá, compartilhando ao sol, as novidades e sabedorias, entre risos e costuras, olhares de soslaio e a dança do corporal, que não nos deixa mentir, o quanto amamos estar todas juntas, plenas na  a vida, junto a humanidade que nos acompanha, diante dos acertos e erros, tornando-nos melhores em nós mesmas e cada uma a seu tempo e sua forma, experimentando o maná do amor!!!

O olhar  de cada mulher, compartilhado, a mão estendida, o prato de doce, para partilhar, a culinário que deu certo, o quilo de arroz o tomate e o fermento, emprestado,  que volta, dias mais tarde, com uma fatia de pizza e ou bolo,enfeitado com o carinho, as bendições que só o amor sabe expressar.
Oque fica em meu ser?
O quanto amo a todas vocês, gratidão mãe amada, gratidão queridas Avós.

Será a idade,perguntariam elas, citando o nome das mais velhas, diria minha Tia Avó, olhando a minha  Mãe, e logo completando, falaria,será que é o tempo,  que leva as gurias dizerem coisas bonitas que faz a água dos olhos brotar?

Jardineiras, floristas, agricultoras, pescadoras, benzedeiras, comerciantes, irmãs, filhas,mães, avós, tias, primas, amigas, parceiras, orientandas, todas de mãos dadas, na dança da Vida.

Sim, ao mergulhar no oceano da existência, encontrei regiões ainda não conhecidas que mostravam o movimento das águas, do nascimento e da morte, de todas aquelas que descansam na existência, ensinando a dádiva do descanso digno, no corpo físico e confiança devotada ao amor, pude tocar em uma tal fé inquebrantável e a força removedora de Montanhas, unindo a Terra e o Oceano em um único canto.

Senti-me coberta pelo resos tecidos da qualidade mais refinada do amor, que enfeitavam em renda a delicadeza e doçura, nos acabamentos de cada retalho, compartilhando pontes de vida e pontes de amor.

Pude testemunhar seus ventres gestando e o sorriso imenso  o olhar  de satisfação  avistando a jóia da existência na forma de um Ser Amor, a ser gestado, quanta ternura.

Experienciei o olhar de paixão, prazer e amor no entrelaçamento do amor, entre o Homem e Mulher, plenos e completos no ato de amor. O amor derramava-se de todas as Jóias, brilhando seus tons, cores, movimentos, sabedorias, dons, sons, virtudes, surgiam raios luminosos e abundantes de todas as direções.

E amor:Ah!Tanto amor, que sempre disponível abraçava a todos em comunhão, o circulo completo de Sim, Sim do Pai, Sim da Mãe, Sim do Amor, Sim do Ser, Sim a Vida!!!!

É nesse círculo onde todos os Sins dançam, que fui convidada a nascer na individualidade e unidade, integrando todo o amor e despendindo-me das Pontes abençoadas que um dia me serviram de mãos guias, mantendo-me servil a um só Mestre, enquanto discípula nessa Jornada.

E quando o discípulo está pronto, aparece o Mestre, e quando o discípulo torna-se Mestre, o Mestre desaparece na Existência.

Diante do Mestre sempre o discípulo é discípulo,  diante de outros aprendizes, aparece o Mestre, até que a dança se dê, e ambos, tornem-se um.

Sim!Consagro minha existência ao Amor!

Agradeço a todas as Mestras e Discípulas, a todos os Mestres e discípulos que aceitaram o convite, levantaram em silêncio, e aceitaram comigo, viver e compartilhar dessa Dança.

A Dança da Jóia e a Existência!!
Que a Jóia que me habita derrame seu brilho até sua Jóia, suscitando seu brilhar!

Gratidão.













sexta-feira, 9 de junho de 2017

Retiros/Formação e Inciação da Natural Medicina Alma da Terra.














Os círculos das Iniciações em Natural Medicina Alma da Terra destinam-se ao despertar da Jóia da Existência, no  coração de Homens e Mulheres.
  Têm como objetivo principal a formação e sustentação de uma teia de amor e   reverência à sacralidade  do amor, cujos fios estão sendo tecidos, fortalecidos e renovados permanentemente por todos os Seres que se dispõem a celebrar, honrar e servir à Força da Vida em suas inúmeras faces e manifestações.

Esse serviço é manifesto livre de qualquer apego aos resultados e frutos dos seus esforços, assim como também as antigas tecelãs cumpriam apenas a sua tarefa ancestral visando o bem-estar das suas comunidades.

Para servir precisa abrir o coração com a vontade de contribuir com a beleza, a plenitude e a alegria do trabalho bem feito, em benefício de cada semente colocada em amor, na Terra, com a gratidão e humildade, compaixão e amor a si mesmo, ao outro e a todos os Círculos da Humanidade.

Ofertando ao Servir de seu Para que, fiando com o Flor é Ser de cada semente o processo natural do empoderar-se da consciência de amor a Vida.

Acordando a Coragem e a Confiança nos Vínculos da Vida, realizando os Sagrados Propósitos em prol a evolução, neste aqui, neste agora.

Toda a manifestação da vida, guarda em sua essência o amor, o amor é uma energia, manifesta na quietude da existência, não possui gêneros, nem polaridades, quando toca concede a graça através das bençãos.

Essa sabedoria é guardada pela Morada dos Avós: Alma da Terra e indicam o caminho ao Despertar da Unidade. Sahwenya Passuello, oferta mãos  a você se ajudar a entrar em contato com sua essência, seu Ser amor, o qual o guiará a expressar a graça da Existência.

Um "toque de energia, em sua respiração conforme o seu  amadurecimento e abertura para receber a graça da existência, confere seu despertamento ao Inciado na Medicina do Amor.

O "toque" não é necessariamente físico, podendo a transmissão ser feita pela palavra sagrada um olhar, um sopro, uma benção, é uma questão de qualidade de energia.

Aqueles que percorrem os 3 encontros, são Inciados ao  Inciar a outros....A isso chamamos o Poder de Inciar, resultante de um caminhar em verdade, na Jornada de seu Coração.

Os Inciados, recebem os saberes sobre as Medicinas, sobre as Bênçãos os meios de compartilhar, compreendendo que todas as essências atuam como dimensões distintas do Amor.

Os Inciados são habilitados na Terapia  da Alma da Terra - Flor é Ser.


Durante os Retiros Alma da Terra, cada encontro enfoca em um Saber da Natural Medicina Alma da Terra, com Suporte nas Sabedorias Irmãs:Novas Constelações e Renascimento.

Primeiro Retiro-Enfoque em Florais Alma da Terra.
Segundo Retiro-Enfoque em Bênçãos do Amor.
Terceiro Retiro-Enfoque em Terapia Alma da Terra.
     Iniciação -A Jornada da Alma.

Os Retiros são Intensivos de 4 dias e ofertam aos Renascedores, Consteladores, Homens e Mulheres Medicina já Habilitados, a oportunidade de Regência dos Campos de Energia, ampliando e atualizando seus saberes, bem como, oferta espaço para suas demandas pessoais e profissionais, receberem um Olhar presencial e pontual de Sahwenya Passuello.

Os Retiros Intensivos e os Retiros Extensivos, dançam entre seus saberes, oportunizando que cada Peregrino e Peregrina sinta, por onde inciar sua Jornada.

Em verdade, você, está ingressando, em um Caminho de autoconhecimento, para o desenvolvimento, amadurecimento e evolução de seu Ser Amor.

Onde é convidado a viver seu Ciclo de Energia Pessoal com a ajuda das Sabedorias de Sahwenya Passuello, Bert Hellinger e Leonard Orr.

Ao final receberá a Habilitação Profissional nesses Saberes, e caso sinta, em agregar ao seu caminhar ou ofertar em atendimentos individuais e em grupos.

Aos que frequentam, ambos caminhos propostos nos Retiros Intensivos e Extensivos,percorrem o caminho do Tao Alma da Terra, e recebem a Habilitação para atuarem como Facilitadores nos Retiros, e aturem como Formadores e Inciadores nas Sabedorias da Natural Medicina Alma da Terra.


Bem Vindos.





Qual é Jóia da Existência?

A Jóia da Existência!

Durantes esses anos, nos atendimentos e orientação Individual venho percebendo, que nem todas as pessoas estão ordenadas internamente para vivenciarem, o processo de cura e amadurecimento psicológico através dessas abordagens, poderosas de Cura:Renascimento e Constelações Familiares.A Orientação ao ser humano em sua Jornada ao Coração, pede por diferentes recursos.

Cada Orientador, é consciente que poderá ajudar durante um trecho do caminho, com inicio, meio e fim, orientando ao movimento completo do fluxo energia, a isso, denomino, Ciclo de Cura.

Para trabalhar com o aspecto identificado da Mente com sua história de origem, , pede, por distintas formas e meios transpessoais, para viabilizar esse acesso da Consciência, aos Recursos, Medicinas e Sabedorias, a fim de transpor, os obstáculos ilusórios, criados pela Mente.Estamos falando, sobre a Saúde Mental, e a esse olhar podemos indicar que se atentem as histórias e suas alegorias, como meio terapêutico.

Busco em minha própria Jornada, aos recursos os quais recebi, quando fundei uma Escola, onde trabalhava    com mais de 150 crianças, diariamente.
Entre elas, estavam crianças que precisavam desenhar uma nova forma de ativar as sinapses cerebrais.
Foi ai, que aprendi, junto aos Psicólogos, Neurologistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, Neuropsicólogos, Terapeutas ocupacionais, Psiquiatras, Socio terapeutas, Ludoterapeutas, Contadores de Histórias em Alegorias, Fisioterapeutas,Sócio-Terapeutas, Educadores especializados em Motricidade, que são necessárias distintas visões, técnicas, dinâmicas para tocar o universo particular de crianças que apresentam uma forma distinta de aprendizagem, as quais diferem das taxionomias do desenvolvimento cognitivo, emocional, motor e social.

Em cada etapa e faixa de Idade do desenvolvimento humano, essas crianças as quais me refiro, tornam-se capazes de desempenar determinadas tarefas, desenvolver certas Habilidades e exercer distintas copetencias, em um tempo e ritmo distinto.
Então, perguntava a meu ser, o que, como, de que forma, poderia proporcionar uma Escola, onde a criança comunicasse seu tempo, ritmo e meios os quais preconizavam a sua aprendizagem e desenvolvimento Humano?
As respostas a essa e outras questões que pulsavam em meu coração, falavam de respeito, amor, escuta, confiança na essência de cada ser que ali havia sido confiado pelos seus pais, aos nossos cuidados e educação para a vida.
Cada vez que nos reuníamos,  nas assembleias quinzenais, as quais chamávamos de Harmonizações algo precioso se elucidava.
Esses encontros abriam espaço para a harmonização interior, respiração e dança circular, também reservava um tempo, para a escuta das crianças, ao desenvolvimento da autonomia e senso de democracia natural a eles,  suscitando  os  valores humanos.
Foi quando, elucidou-se diante de nossos olhos,  enquanto educadores que compunham o círculo de docentes a resposta:
Sim, as próprias crianças, revelavam o caminho, a nós, bastava escutá-los, considerar e respeitar as sugestões e possibilidades que apontavam a boas resoluções dos conflitos, desafios diante da convivência e aprendizagem, com amor, todos eram tocados, e algo novo se dava.

Independente de uma deficiência visual, auditiva, motora e desafios cognitivos, e ou das capacidades super-dotadas em sua inteligencia, tudo o que precisavam era de ajuda para coordenar seu roteiro para educá-los em seus conhecimentos e sensibilidades.

Enquanto orientadores, educadores ao Saber,  caberia dispor da presença, atenção e olhar, escuta e atenção aos seus sinais, inquietando, provocando, encantando, utilizando do universo artístico, do canto, da arte, das brincadeiras, dos jogos, das histórias, da sabedoria corporal, da Magia, das Harmonizações, dos encontros Meditativos, das aulas passeio, das aulas ambientes, sensibilizando e motivando, com amor e respeito a cada um, e sua História e naturalmente a aprendizagem se expressava em exito.

As principais questões feita a eles era:O que te faz sorrir?Quais são seus sonhos?Onde moram os sonhos e a felicidade em teu interior?Onde está teu coração, no que colocas tua atenção e vida?Como cuidar de teu ser nutrindo de mais vida e alegria?Como amas aprender?O que mais te encanta?
A essência da pureza desse coração, segue viva em nosso universo interior e pode ajudá-lo a desenhar em sua neuro plasticidade cerebral, um novo caminho, para que os impulsos elétricos se estabeleçam de forma distinta, de forma simples.

Basta escutar, expressar e caminhar segundo a voz do teu coração, coordenando os movimentos do fluxo de energia pura do amor a cada chakra.
Esteja atento reservando momentos de atenção, descanso, escuta, cuidado, diversão, encantamento, silêncio, meditação, purificação em sua Jornada ao Coração.
Busque o encontro com outro alguém que possa ajudá-lo com paciência, amor, ternura, firmeza e delicadeza em teu Florescimento.

Foi a partir dessa necessidade, em meu caminhar que gestei e vivenciei a parteiragem do genuíno em meu existir, organicamente florei a Natural Medicina Alma da Terra, em cada Reino da Natureza, nuances distintas do mesmo amor, em cada essência, uma benção, uma jóia da existência.
Para guiá-lo de forma sentida ao mesmo processo que vivenciei desenvolvi alguns caminhos com bases e fundamentos na saúde do nascimento e harmonia nos relacionamentos.

Após bom tempo, pude perceber que o Ser Amor que me habita, expressou sua unicidade com a Existência, desenhando um caminho, da Jornada ao Coração.

Como, posso, Sahwenya que sou compartilhar desse caminho, amor, enquanto servidora?

E assim, nasceram distintas maneiras em cada etapa de meu caminhar enquanto Ser, enquanto Mulher.
Em meu período "Flor da Lua" fase da exuberância e descobertas do Ser Mulher, expressou-se a Terapia da Consciência: Flor é Ser com o propósito  de Orientar ao Flor é Ser da Consciência de amor a Vida.

Nesse momento atual, enquanto Mulher, encontro-me na fase que se inicia o Climatério, momento da colheita no caminho Oeste, o convite a oferta da sabedoria nos:"Chás, Prosa e Cantos Devocionais"que venho compartilhando, a chegada da Avó em meu Ventre.

Nesse momento estou dando a luz a sabedoria na forma de frutos, o qual oferto o nome de:
Ciclo de Energia Pura: Alma da Terra, onde as sabedorias da Natural Medicina são compartilhadas pela Respiração e pelo Olhar contendo as Medicinas, as Bênçãos e a Graça.

São 06 a 09 encontros interligados os quais guiam seu ser ao encontro com uma etapa de sua Jornada ao Coração, ao encontro de sua essência, a Jóia da existência.

Com o propósito de que escute, expresse e caminhe na Verdade do seu coração, na Vida.
.Em beleza , simplicidade, plenitude  e amor.

Em cada dom uma Jóia, em cada Jóia a gema do amor!

A realização de Sahwenya que sou é:Que todas as Jóias brilhem!

Para viabilizar  essa oferta ao mundo da Medicina do Amor, o movimento se dá circularmente com a ajuda de muitas mãos servidoras.

Para que  cada coração possa viver essa Jornada e aos s que queiram multiplicar e habilitarem-se  as Sabedorias da Medicina do Amor- Natural Medicina Alma da Terra e Terapias Hellinger Sciencia e Renascimento Suave nasceram os encontros:

Retiros Alma da Terra e a Iniciação as Naturais Medicinas.

Para o apoio e fortalecimento da Irmandade, são ofertados os Círculos do Amor:
Flor da Lua para Mulheres, Chá , Prosa e Cantos Devocionais para todos os seres e todas as relações.

Homens e Mulheres Medicina, ajudam como jardineiros da Alma da Terra e outros ajudam como Floristas levando as flores-essências ao mundo.

Os valores são dedicados a todos que colaboram, segundo seu empenho e seu trabalho.

Sahwenya que sou tenho dedicado os valores recebidos das Essências e Círculos para a ajuda, da construção das Tendas Accordare, cujo o propósito é Amar, Sorrir e Servir.

Lugar onde Sahwenya -Natural Medicina está construindo a Morada dos Avós, inciando a Comunidade Accordare em parceria com sua Sintonizadora Satya Joyce.

A primeira Tenda para ofertar o despertar dos Sentidos, foi a Tenda da Fé, a segunda está sendo a Tenda do Ventre, adiante, serão mais 11 tendas, ao todo.

Um Movimento de oferta incondicional que une duas Jóias ao outras infinitas jóias, ao servir da Existência.

Meu Caminhar:

Elucidar o caminho, por onde tenho caminhado, é falar de um andar em renuncia  de "Quem não sou", e descobertas de "Quem Sou", encantamento com a Jóia de minha existência, a essência e a despedidas do que não faz mais sentido, a clareza do Servir a esse amor, e os caminhos pelos quais desprendi-me das pontes da vida e do amor, reconhecendo-me como parte do Universo.

Com a mesma delicadeza e respeito, firmeza e amor com que fui conduzida até esse presente momento, como discípula da Existência, compreendo, que é no encontro que nos sanamos, uma ao outro, e que internamente se dá a dança entre o discípulo e o Mestra de si na Jornada do Coração.

E é essa Jornada que ilumina meu caminhar e está em minha sacola de meu Ser Amor, enquanto presentes, vestidas de Jóias que posso contigo elucidar.

Jóias Amor.





O Movimento Orgânico

O Movimento Orgânico-

Da Flor da Lua(Menarca)
ao Chá, Prosa e Cantos Devocionais  (Climatério)com Sahwenya.


O aspecto menos compreendido no desenvolvimento da Mulher, o qual ainda guarda seus mistérios, - e, por isso, o mais temido - fala do período do Climatério.

Assim como a Donzela, a Mãe e a Anciã regem etapas do eterno ciclo da vida - do nascimento (plantio), amadurecimento (florescimento e frutificação) e do inevitável declínio, o climatério encerra o ciclo e representa o que morre.

Nas histórias antigas, o climatério é também conhecido como o momento da face Ceifadora, da Mulher, representa tudo que esgotou seu tempo, de tudo que cumpriu sua finalidade e não serve mais.

Na Terra, ao observarmos do micro ao macro-cosmos, vemos esse aspecto dos fenômenos físicos que se expressam,  e limpam a terra após a colheita para o repouso necessário à germinação de novas sementes.

Ao testemunhar os ciclos da natureza, olhemos ao poder da Lua Negra, sobre as marés dos oceanos e assistiremos como se dá nas águas da Mulher que trilha o chão no solo do Climatério.

 Dos Mistérios que guardam desde os primórdios dos tempos, o Poder de sangrar e gestar a vida, agora se abrem os portais da intuição e sabedoria do invisível, ao mesmo tempo que a Mulher se vê diante de sua sombra.
Mistérios ocultos da  escuridão, do vazio e do silêncio que antecedem o surgimento da luz, o raiar do dia e o começo de um novo ciclo.

Vejo através das lentes de  minha própria Flor da Lua, que segue os passos do pre-ambulo de sua transformação.Compreendo que para cada mulher se dá de uma forma distinta, como referencia ouso dizer, que basta recordar com que velocidade se deram as mudanças de seu corpo, suas emoções, sua mente e sua vida, no período pré-menstrual, quando inciada é a donzela nos mistérios da "Flor da Lua" e poderá ter uma referência dos caminhos percorridos na bilogia do amor, para assimilar, integrar esse momento de transformação, quando uma donzela torna-se apta a gestar uma nova vida em seu ventre.

Quando o Pré-Climatério chega ocorrem mudanças no corpo físico, para algumas mulheres, a mente torna-se inquieta, os pensamentos são voláteis e tumultuados, a percepção é aguçada, a sensibilidade exacerbada, as emoções em conflito. É um período de inquietação e aparentes contradições, de mudanças de gostos e atitudes, de busca de “algo” vago ou indefinido no campo espiritual, profissional ou afetivo. Surgem temores em relação ao futuro, o medo do desconhecido, a preocupação com o envelhecimento, ainda mais em uma sociedade que enaltece o valor e o viço da juventude.

Dependerá da mulher passar por esta fase com dor ou com a alegria, conforme a etapa de sua existência, o amadurecimento de seu ciclo emocional, se plantou e colheu o doce néctar, ou talvez uma colheita de solo frio.

Para outras, pode ser que que esteja se aproximando um tempo de paz e realização interior, com a segurança da experiência e as promessas de futura sabedoria.

Abençoar esta fase, rever o passado e transmutar  o que não faz mais sentindo, é o temido e almejado encontro com a verdade, na profundidade dos mistérios femininos.

Assim como se dá a todo organismo vivo, na Lua Negra, a seiva  recolhe-se, para potencializar a vida, até que possa novamente expandir-se e circular com toda a sua vitalidade, nas fases seguintes.

Quando acompanhamos as estações do ano, no outono vemos a seiva começar recolhendo-se aos caules, até que no inverno, a seiva, localiza-se nas raízes, a Mulher em seu pré-climatério se vê diante da seiva e como está ou não nutrindo e fortalecendo suas bases, no climatério, como no inverno, encontra-se com a história de suas raízes e todas as meias verdades são iluminadas.

É chamada a agradecer à Donzela e à Mãe pelo plantio e a colheita, são medidas recomendáveis que abrem as portas para a Grande Mudança, quando seu sangue não mais será vertido, e sim transformado agora em sabedorias ancestrais em seu ventre, e quando o tempo confere o reconhecimento a coroa com flores da sabedoria- Agora não mais como gestadora de vidas, e sim gestadora de sabedorias.

Renasce das cinzas, tal qual Fênix  uma Sábia herdeira das Matriarcas e das Mães. expressando a voz do coração, de mãos dadas a força removedora dos obstáculos e a fé inquebrantável, reconhece o valor e a jóia existência de si mesma, também de cada uma das mulheres de sua Jornada.

Visiona as futuras gerações, abençoando com a cura do Ventre, onde as mulheres do passado, recebem essa sagrada Bênção do Amor, reconciliando  consigo mesma, as histórias onde suas ancestrais possam ter vivido a opressão e supressão do sagrado feminino, curando na origem de sua existência as relações com os homens de sua vida.

Toca o intangível e pode sentir, as mulheres e os homens que habitam suas células, reconciliando-se, sendo tocados pelo auto-perdão, pela gratidão da experiência e pela graça de beberem o néctar do amor maduro.

A Cura do Ventre, lentamente derrama balsamos na Jornada milenar do Ser que habita, no seio dessa mulher, que agora, é Inciada.

Ela é convidada a contemplar a Jóia a qual é presenteada pela Existência em seu despertar a Sabedoria, enquanto servidora do Amor.

O Climatério revela,  a Mulher que conta as antigas histórias e convida para sorver o chá da sabedoria que a energia  pura , está na gema de cada Ser-Amor.

Compreende que o Ser Amor pode estar vestido de um corpo, pode estar vestido de existência, ele, o Ser Amor, é imortal.

Toda a Mulher ao passar ao climatério é convidada a tomar a quinta essência, caberá a cada uma, tecer sua  colheita segundo o que semeou no transcorrer de suas existências
















quinta-feira, 8 de junho de 2017

- As dimensões do Amor.

As Dimensões do Amor
09/06/2017
16:48 h.

Sou naturalmente guiada pela força que atua nesse amor, assim, como vem se dando em minha Jornada ao coração, aceito por completo em meu silêncio essa dança, sem nada dizer, apenas a escutar e testemunhar como tripulante em uma viagem surpreendente que elucida um lugar aqui, uma forma de ser ou fazer as coisas ali e por fim  a qualidade de energia decorrente das distintas escolhas feitas, em cada situação  ou relação com a qual tive a honra de aprender, se ilumina.

A aprendizagem movimenta-me internamente a olhar, rever, identificar reflexos, e luminescências que se somam apontando a direção a qual, se seguem, meus próximos passos.

Momento a momento, desprendido de um programação aparente, enquanto elemento que compõem a roda circular de dança, deixo-me levar pela melodia e permito meu Ser Amor guiar-me na coreografia, muitas vezes parei para me perguntar, como seria, assistir a mim mesma, falando sobre algo, como uma total estranha e simultaneamente comungar em unidade, bebendo da verdade ao néctar, do néctar a imortalidade, sorvendo cada palavra, nutrindo meu coração, tocando minha humanidade.

A resposta que emerge na medida que vou escrevendo e derramando o que não cabe mais em meu ser, que essa posição de assistir a si mesmo é a oportunidade de experienciar aquele que testemunha, respondendo a mais antiga de minhas perguntas:

Quem Sou eu?

É nesse espaço conferido por essa resposta, que agora transcrevo o que floresce desse encontro entre a Consciência que me habita, o Ser amor que se expressa e a Existência, em unidade.

Ao olhar através do olhar que olha através do meu olhar, sou convidada a considerar as diversas faces do amar e ser amado, do objeto desse amor, do agente que consigo trás esse amor e a quem recebe e é amado, olhando para o mar e sua natureza viva ventre.

E me  pergunto:Qual é o lugar onde amor se expressa em maior exito?
E com certeza, respondo é o Ventre, expresso no momento de maior êxito em nossas vidas, o nascimento.

Assito-me ingressar na profundidade dessa Jornada ao ventre e nele descanso, silêncio e permito que sua natureza guardiã da paz nas relações me guie ao encontro das respostas que apontem as distintas dimensões do amor, de forma prática e clara, possível de ser identificada na vida diária.

Quais as condições que um Ventre precisa apresentar ou dispor em potencialidade para que a criança que ali é gerada disponha de todos os recursos, as pontes necessárias á expressar esse Exito em sua Vida? Emerge a pergunta.
Respondo para mim mesma, no  Ventre e Coração de uma Mulher

Quando respiro por de trás do umbigo e amplio a inspiração no alto do peito por de trás do coração, sinto os conteúdos emocionais que repousam abaixo no ventre e que o coração se disponibiliza em seu amor acolher e naturalmente acompanho se diluir em nova qualidade de energia cada sentimento, emoção, imagem ou experiencia, brotando na nova inspiração, consciências, entendimentos, e clarezas.

Ao recordar e sentir o embalo das ondas na respiração fui levada a caminhar ao encontro  do grande Ventre,  frente as águas verdes e claras do mar, suas espumas acariciavam as velhas rochas, espontaneamente, o amor guiou-me ali estar e descontraidamente tecer um dedo de prosa,  com um pescador.

Essa conversa remete-me ao íntimo de meu ser, recordando de meus ancestrais maternos e paternos em sua ligação com o mar e sua sabedoria, e logo os novos entendimentos sobre a potencialidade de um ventre feliz e as dimensões do amor.

O pescador,  falava comigo sobre o mar e as pistas que sua superfície revelava sobre a origem dos cardumes de tainhas com tanta alegria, seus olhos brilhavam, dava para sentir que ali estava seu coração.

Contava-me sobre a organização da comunidade dos pescadores,  a função de cada membro da comunidade, desde a mulher, a criança, os homens, o canoeiro e aqueles que ficam olhando com sabedoria onde estão os cardumes.

Relatava, ele, cujo o nome, é Zeca, que quando o cardume passa próximo e não cai em sua rede e segue, a postura que assumem, é a de  comunicar aos outros pescadores sobre a localização do cardume e assim o fazem mutuamente, sem saber e sem querer o senhor Zeca ofertava-me uma aula sobre a Amistosidade e o espírito da Comunidade, o respeito pelas Mulheres, sendo elas,  as que primeiro recebiam sua parcela de Peixes pelo trabalho contribuído, seguido pelos homens e por fim as crianças.

Ainda revelou sobre como determinavam os percentuais da Partilha, conforme o empenho e participação do trabalho, onde, 50% da pesca é ofertado a comunidade que ajuda em iguais parcelas e os outros 50% são compartilhados entre os Canoeiros e os Sábios dos Cardumes, normalmente, os pescadores mais velhos.

Nesse diálogo, Sahwenya que sou, perguntei ao seu Zeca, o que ele mais amava e fazia seu ser feliz?

Ele disse:Ora, ver a rede cheia de Peixe, e seguir as pistas, estar ali junto do mar atento, vendo onde a água encrespa, falando no radio para onde elas tão indo, e até que respinga a água e o cardume se aproxima, ai, eita, diz, ele, fico feliz, muito feliz.Isso que mais gosto de ver!

Depois, quando a Rede está cheia todos trabalham  há fartura, alimento, para todos!!!

A qualidade da energia que circula no fluxo da fala do seu Zeca, toca meu coração, ainda agora.

Já, em seus longos anos de idade, tece sobre as várias dimensões do amor, de forma prática.
O amor considera a todos, não por ter uma forma humana, um nome, e sim, por se expressar intimamente em energia viva, no interior de cada um de nós.Basta que cada um pergunte-se: Onde estou está meu coração?

Onde o coração está, é abundante, fértil e disponível a todos, seu equilíbrio indica que o que é ofertado é compartilhado a todos em equanimidade, na medida do empenho e dedicação, disponibilidade em toma-lo e ofertá-lo, a sua energia se multiplica, e novamente flui em nossa direção, sendo ilimitado toma as diversas formas, de alimento, dinheiro, sentimentos, pessoas, seres, relações, lugares circula livremente, vai e vem.

Não importa se um oferta um tanto e o outro oferta distintamente, para o amor o que oferta livre circulação é a verdade e integridade onde ambos comunicam o seu melhor  a ofertar.

Quando um toma indevidamente, naturalmente a fonte desse amor interrompe, geram-se os  conflitos e obstáculos para seu acesso, levando o outro a ofertar um pouco menos em sua direção.

O que gera a  ação de ferir e ser ferido, pedindo novamente que encontrem o caminho das relações saudáveis.

O amor,  para circular livremente necessita que um ato um pouco menos grave que o outro ofertou, anteriormente, se dê agora e assim, flui novamente o equilíbrio, e  vai equilibrando.Até que um faça algo generoso, e outro seja levado a ofertar algo melhor ainda.

O amor segue sua natureza multiplicando amor e movendo-se em todas as direções levando a oferta, depois de um tempo justo, contendo a dose e a medida acertada, retorna, trazendo em cada uma das direções muitas vezes mais amor, pois consigo, une todas as ofertas e as multiplica novamente, esse é o segredo da abundância.

O amor e as Relações Familiares:

O amor ofertado através de nossos Pais encontra um equilíbrio, quando os filhos aceitam e o tomam, reconhecendo o valor desse amor e comprometendo-se em passar adiante, aumentando ainda mais o fluxo desse amor.

Quando esse amor é ofertado e segue na direção dos filhos, por seus Pais, e os filhos não querem se comprometer em pagar o preço necessário para tomá-lo, ou seja temem crescer, e ainda acreditam que mereçam mais do que estão recebendo,  o amor não encontra o caminho para seguir adiante, e mesmo sem saber e querer, esse filhos assumem uma divida, que se expressa em todas as suas relações.
Essa dívida apenas será paga, o dia que amadurecerem e conseguirem ver através do olhar de seus Pais, desenvolverem a empatia e despertarem ao sentimento de gratidão, aceitando o que foi ofertado, com tudo, sem mudar ou colocar condições para recebe-lo.

Ao despertar da gratidão, o amor encontra o caminho e pode seguir em seu total fluxo, deixando no solo desse enredo, as sementes da compaixão.

As virtudes vão florescendo na medida que a oferta e o receber encontram o equilíbrio.

Em uma relação quando um oferta muito e o outro as vezes, não sabe como compensar, não consegue ver como devolver, ou as condições para retribuir, sente-se ferido e encontra uma forma de romper com esse circulo de amor.

As vezes dizer não, é ensinar sobre o exito do amor, colocar limites pede pelo reconhecimento dos próprios limites, vemos isso no caso de pessoas que necessitam sentir que pessoas dependam do seu amor, assim suprem o sentimento de carência, que aparentemente estão ofertando, no entanto o que buscam é satisfazer sua necessidade em receber.Dependem do amor gerado pela co-dependência.


O amor na vida Profissional:

Na vida prática, quando uma pessoa presta um serviço, aqui o amor também está presente, assim, como o relato do Pescador e sua Comunidade, todos trabalham, todos recebem.
Como podemos exemplificar o que seria um desequilíbrio nessa relação do seu Zeca e sua comunidade?
Bastaria, que seu Zeca, ofertasse seu trabalho e o líder da Comunidade não pagasse, o valor correspondente em peixes.

Nesse caso, exite um desequilíbrio em energia e material, fala da miséria emocional e da miséria emocional, onde aquele que não está disposto a tomar se compreende sem condições de pagar, e aquele que oferta, em algum ponto não se sente digno, e ou de fato possui um ponto não elucidado em sua Jornada, onde o amor não tocou, gerando uma zona de mágoa e ressentimento.

Essa relação encontrará a sanação através da presença, daquele que nessa situação não pagou, olhando a seus Pais e aceitando o que em amor ofertaram, aceitando crescer, se comprometer em passar adiante este amor.

O Nascimento e o Êxito:

Aquele que ofertou, e não recebeu......proponho que veja, o olhar de sua Mãe olhando o próprio ventre, feliz em gestá-lo, e confira o sentimento que brota, como aquele que está dentro do seu ventre, inundado desse amor.

Aquele que não foi tocado pelo amor, no momento do nascimento, ainda convido,a  olhar  a seus Pais, e o  amor que dançou entre seus olhares,  no momento que o fecundaram e o  conceberam, naturalmente deixe sorver esse amor prazeroso, estabelecendo o contato, tecendo vínculos com esse amor que sempre esteve disponível, em seu interior. Seu coração é o  lugar  onde verdadeiramente o amor está disponivel e intocado, aguardando seu bem-querer.

Esses são alguns exemplos, de algumas dimensões do amor, seja no nascimento, na família,nas relações, ou no trabalho, simples e funcionais.

O Exito e o Amor:

O pescador, com quem conversei, foi criança, e guarda suas impressões do ventre em que foi gestado, de como chegou a terra e como compreendeu a linguagem desse amor.

Em sua fala expressa o que aprendeu e como compreende o fluxo livre da vida e do exito.

Existem crianças que de fato ao chegarem ao mundo não experimentaram em verdade o amor outras aprenderam a não demostrá-lo.

Essas crianças, vieram de um ventre e cresceram, tornaram-se adultos e são os homens e mulheres que estão dando origem as novas gerações.

A cura de um ventre incia no nascimento, na morada do maior exito de todos nós, reconhecer essa experiencia, com tudo, como o melhor ventre que podíamos ser gerados.Um Ventre amoroso oferta o desenrolar de movimentos altruístas, que gestam vida em exito.

Crianças que nascem de um ventre amoroso, guarda mães conciliadas com suas mães, e suas mães com suas avós.

Colhem o  maduro  Amor,  o amor  que não vem de fora , que não é uma propriedade. experimentam o suculento sabor do amor  disponível a todos, está presente no coração.
Após longa Jornada ao Coração, são abençoadas com a Graça, em  descanso, silêncio, presença, atenção a si mesmo, são presenteadas com o Néctar do amor maduro, o amor por si mesmo.

Esse amor elucida o poder da Escolha, Decisão e Comprometimento que cabe a cada um, para com sua vida e suas relações,nutre o cuidado e o zelo com a intimidade e a afetividade, não pede pelo isolamento e nem pelo desamor, tão menos por escolhas que coloquem a vida em risco, proporciona movimentos incondicionais a favor da vida, a favor de suas relações.

Todas as compreensões e entendimentos, construídas em volta da consciência, a partir da ilusão do  abandono, a solidão, desproteção,  miséria, sofrimento e medo são identificados a Mente, causam a distração e guiam a repetição dos mesmos erros.

Um coração reconciliado com sua história de ventre, educa as crianças de sua comunidade, nessa consciência  de harmonia, amor por si mesmo e o compartilhar em equilíbrio o amor.

Jovens cujas as escolhas estejam comprometidos  com a verdade e realização de seus propósitos,reconhecem-se como Jóias da Existência,  ofertam meios e recursos para que todos brilhem em Exito e Vida plena.

Ventres que gestem o novo, incluindo a consciência de todas as dimensões do amor.
O amor que em si está em todos, em tudo, guarda o lugar, respeita o caminho, as escolhas e decisões, está disponível a servir e disponivel a ofertar incondicionalmente, não exige, confia, acolhe no seu melhor.

AS  dimensões do amor- Dar e Receber:

Aquele que está na posição de ofertar, pode perguntar-se se o amor que está a ofertar solicita algo em troca, alguma compensação ou se está desprendido, e é infinito, um amor alimentado pela existência?

Essa oferta de  amor  é nutrido pela satisfação de suas necessidades, desejos e ambições, nutre uma carência afetiva?

Essa oferta compartilha um amor, disponível em zelar pelos vínculos e cultivar a intimidade?
Aquele que recebe o amor, pode perguntar-se :

Recebo o amor que me ofertas com totalidade e desprendimento de condições?

Aceito tomar esse amor em concordância com sua história e tudo o que contem?

Quem recebe, pode ainda perguntar-se:Tomo esse amor, com presença, assimilo o que esse amor tem a contar e propor com gratidão e disponibilidade, comprometimento, a nutrir vínculos e estabelecer uma saudável intimidade?

Aquele que oferta, e aquele que recebe, estão dispostos a dedicar tempo, energia, atenção, cuidado e amor a saúde, paz, alegria e exito do relacionamento?

E ao responderem essas perguntas de forma integra, recordem de suas Humanidades, sejam generosos, e mesmo que, saibam que parte de seu Ser deseja de todo coração o exito do amor, e outra ainda o negue, sem saber o querer, seja verdadeiro e abra-se a cura necessária, para que dissolvam-se as separações e meias-verdades em seu íntimo.

Uma comunicação de qualidade e cuidado, diante da delicadeza humana, gera uma paz profunda, mesmo que cada um sinta diferente.

O que toca  a um e ao outro, é a sinceridade e disponibilidade em abrir o coração e comunicar em verdade o que está se passando no intimo.

Este é um primeiro passo em um espaço genuíno, onde o perdão contigo e com o outro, inicia.


Abrindo caminhos para o entendimento mútuo, e o  amor em suas várias dimensões,  florescer!


Expiações,Compensações e Lealdades:

A Natural consequência da crença no abandono e solidão, são relações afetivas com considerados desafios, onde um é levado a ferir o outro.

Assim se dá na Intimidade de um casal, como também nas relações de trabalho, na comunidade e até na gestão de uma Nação.

As guerras e conflitos, nascem da necessidade de saciar a carência da satisfação dos desejos primários e a necessidade de exercer poder sobre o outro, por medo,os seres humanos alimentam a crença e condicionamentos em deter o controle sobre sua vida, sobre a vida do outro, sobre a vida de uma Nação.
Ao ser ferido, e experienciar o sofrimento, o ser humano normalmente devolve a ação, ferindo novamente.Compreende que por deter o poder de ferir o outro se sentirá melhor, no entanto, sua natureza é o amor, e ele sente-se com menos força, e envolto na culpa.

A raiva, o ódio sinaliza que seu espaço pessoal foi invadido, e que necessita de proteção, o medo é o alimento a esse circulo vicioso do ferir e ser ferido, gerando o sentimento de culpa e autocomiseração, a pena de si mesmo, e das pessoas e grupos que sofreram o mesmo que nós.

Geração após geração, fecundam e concebem, em ventres cujas as relações dos homens e mulheres estão envoltos ao circulo vicioso da miséria e da solidão,assim o ventre que gera, o seio que alimenta, está ligado a essa qualidade de nutrição.

Seguem adiante os  entendimentos equivocados alimentando a  pena do próprio sofrimento e do sofrimento do outro,mantem-se todos, no mesmo lugar, sem de fato se darem conta, de que tudo o que se vive, no fundo, se deve as próprias escolhas.

Perpetuam o não comprometimento em elucidar as meias verdades que  acompanham por de trás das escolhas e decisões de conveniências, ou confortos ilusórios.

Essa condição humana, aparentemente confortável, nutre a dor e o sofrimento,   lealdades,  compensações e emaranhamentos nos relacionamentos.
Revelando um elevado custo e sentimento de  divida, mesmo que nem saiba com quem ou que divida seja essa, é acompanhado da sensação que por mais que oferte, nunca basta e ou por mais que se dedique nunca recebe o devido reconhecimento..

Quanto maior a distancia do amor, mais fortalecido a ligação com o sentimento de abandono e solidão, maior a carência e a miséria material e emocional.

Os medos e a necessidade de controlar, manifestam, fortalecendo a crença na necessidade da satisfação de seus desejos, e na ansia de deter o poder sobre a vida.

Essa qualidade de energia, toma a forma de um corpo sofrimento, que vela a visão quanto ao direito natural de cada um possuir  a liberdade de ser quem se é, com tudo o que é.

Embora, cada ser humano acredite que a dor e o sofrimento são individuais, e de fato é, até que desidentifique-se de sua história de traumas e o padrão de sofrimento herdado da ancestralidade e vidas passadas, o corpo sofrimento são formas pensamentos suspensos pelo planeta que aproximam-se e ligam-se por frequência.

Desencante sua mente da dor e sofrimento do passado, liberando e expressando os conteúdos suprimidos, ofertando as condições de segurança e confiança, para completar os movimentos interrompidos em sua história e eleve a frequência de energia, assim desligará sua energia base de vida dessas formas pensamentos que utilizam da ilusão humana, em crer-se enquanto um personagem dessa história, e criam verdadeiras redes sobre seu cérebro, na área do córtex, proporcionando a energia para a repetição de pensamentos, vinculados a sensação de prazer.

Aqui está estabelecido o Cárcere da Consciência, a um padrão comportamental e condicionamento,original no nascimento,somatizado pelos emaranhados familiares, refletidos e somatizados em seus relacionamentos, estabelecendo um Vício.

Um condicionamento humano, se dá através da privação que gera dor e sofrimento seguida por algo que confira o alivio, gerando a sensação de prazer.

O vício, é identificado na  construção de uma parede emocional sobre o coração, criando a obstrução da respiração por determinados canais energéticos.
A energia localizada, contem  conteúdos e enredos emocionais, no núcleo celular, a nível biológico guardam as memórias,  ocupando espaços.

Nesses lugares do nosso sistema nervoso, corpo biológico e energético,  o amor nunca foi acessado.
 Formando pontos cegos a consciência, pois de fato, em verdade o amor não tocou, o que existe nesse lugar é a morte, o desespero, a solidão, e o abandono.
O bebê, cresce e estabelece sua forma de relacionar-se com o novo mundo, descobre sua forma de ser e viver, para suprir suas necessidades básicas.

Conforme suas experiências diante a experiência e aprendizagem sobre a sobrevivência, o que se dá até a media de 14 anos, incia a experiência do Viver.
Suas relações, são espelhos onde vai amadurecendo e aprendendo sobre si mesmo, gestando virtudes e descobrindo suas vicissitudes, prosseguindo ao encontro da verdade.

Para isso se revelar, chegará o momento em olhar de frente aos  pesares e meias verdades, as crenças, padrões e condicionamentos que  entorpeceram seus instintos e intoxicaram  os sentidos,  proporcionando a inércia na evolução, amadurecimento pessoal e espiritual

,Ao descobrir, o ponto o amor naturalmente começa a fluir novamente, cada vez mais, e naturalmente vai dissolvendo esses conteúdos, e proporcionando a esses espaços ainda identificados a mente, tudo o que sempre sonhou,abrindo espaços, nutrindo com o acolhimento, o olhar, o abraço, acalento, proteção, clareza, vida, sim, muitos sins, a vida.

Esse é o verdadeiro despertar, quando aceitamos tudo como é, com o que é, em nossa profundidade e entramos em contato, transcendendo os medos de viver a dor e o sofrimento em sua origem, novamente, somos abraçados pelo maná da existência, e despertamos

O Ser Humano é convidado a essa Jornada do Coração, que inicia, com o simples ato de amor em parar e recordar de si mesmo, sensibilizando-se a recordar do sentir a si mesmo e a escuta do que se passa em seu corpo, seu coração, sua vida.

Para ser abraçado por esse amor é preciso ouvir o chamado e seguir o caminho ao encontro com sua verdade, é isso, mantendo o foco no momento presente, até que em um dado momento o sol ilumina a consciência, o encontro com o amor se dá.


O amor e o Ser:

Confio que o despertar da consciência, convide-nos a experienciarmos a liberdade de nossa mente, coração, corpo, e vida autorizando-nos a ser quem somos.

O caminho desse amor livre, fala do  perdão as próprias escolhas e a   abertura ao merecimento de receber os presentes da vida.

Nesse novo espaço, encerram-se as dividas, a necessidade de compensações e o juramento para com as lealdades em nome do sofrimento coletivo, bases da autocomiseração.

No espaço da dor e sofrimento, projetamos um outro, que sequer existe em realidade, quem sabe seja momento de deixar ir essas antigas crenças, de que é possivel salvar alguém, controlar ou mudar o destino de uma pessoa ou um grupo?

Basta de enganar a si próprio é hora de olhar desde as pequenas atitudes e reconhecer as raízes de suas origens.Cultivando a essência da paz e do amor começando pela relação da consciência com o próprio Ser Amor, em sua Existência.

O amor está disponível e a serviço, não pede o endereço sabe o caminho,aguarda sua decisão núcleo, aquela que é firme e decidida, a seguir a nova direção, a direção de seu Ser Amor.

Fica a dica de seu Zeca,

Depois, quando a Rede está cheia todos trabalham  há fartura, alimento, para todos, todos celebram felizes.!!!

Assim é, quando nos comprometemos com o propósito e verdade, em dizer sim por completo a vida.
A fartura, a abundancia, ofertam os presentes da existência ao seu coração.