segunda-feira, 12 de junho de 2017

O dinheiro e suas relações na Jornada do Coração nas várias dimensões do olhar.

Perguntas:

Olá amado Ser amor, por favor pode elucidar ao meu coração, o que se passa nessas situações?

1-Onde investigo, na minha jornada pessoal, quando oferto o meu trabalho e as pessoas que participaram e receberam o produto acordado, não realizam o pagamento assumido?

2- Para onde olho, em que direção busco o entendimento e a mudança, quando me organizo para manter as dividas em dia e fico por não cumprir, boa parte do que assumi em acordo?

3-E quando já paguei uma divida e sou cobrada novamente, quais os mecanismos envolvidos e qual o processo de cura?

4- Acabo por esquecer dividas assumidas, mesmo tendo o valor a disposição, quais os emaranhamentos estão intricados nessa postura, pois sinto-me em desordem com isso?

5- E caso queira liberar  uma pessoa de uma dívida o que se passa ao fundo e qual o efeito e consequência dessa oferta no crescimento do outro?

Olá querido coração, com carinho e atenção respondo suas perguntas, percebendo o anseio que acompanha em encontrar a clareza, nas dimensões do Ofertar e do Receber.

Inciei investigando no seu nascimento, pois é o lugar onde encontramos o maior exito em nossas existências.Investigue sua Jornada no Ventre, pois nele habitam as crenças do Papai e da Mamãe, e a forma com que foi impresso em seu sistema nervoso, essa etapa.

O papai é aquele que leva você ao sucesso na vida e a mamãe é aquela que sustenta, como diz, Bert Hellinger, enquanto Sahwenya que sou, compreendo que a questão  está  desde o ventre onde estão impressas a varias gerações a qualidade de energia nas relações entre Mãe e filha, e a aproximação com o amor ou o distanciamento com o amor, e de igual forma se dará na relação com o dinheiro.

É no ventre que está impresso a qualidade de energia resultante do encontro dessas Mulheres com os Homens em suas Vidas.Quanto maior a distancia do amor, maior a projeção nas relações com o homens na Vida.

No ventre estão as marcas do desamor, do sentimento que o amor vem de fora e é uma propriedade, portanto o amor e a liberdade, estão relacionados com a experiencia com o Ventre que nos ofertou a vida, e o ventre que de origem a quem nos gestou, a Mamãe.

É necessário deixar ir o entendimento equivocado  do abandono do amor, da separação, consequentemente do não pertencimento, da solidão, aqui está a origem do ódio que guia o ser a se ferir, a ferir o outro e a ser ferido e do temos em fazê-lo.

Alguns de nós de fato não teve contato com a Mamãe no nascimento, e será preciso entrar em contato com sua mais pura essência, para completar esse movimento interrompido, dando espaço para que as várias dimensões do amor revelem e acorde em nosso íntimo o olhar de amor de nossos Pais, no momento de nossa fecundação e concepção, bem como na relação de nossa Mãe com seu ventre quando ele começou a tomar forma.

Tudo passa pelo amadurecimento e compreensão do que é o amor e de onde ele vem de fato.
Para isso, somos convidados a rever as meias-verdades, onde sentimos pena de nós mesmos e não empreendemos a força de vontade positiva, para ser a mudança que queremos ver ao mundo.
Logo olhemos onde estamos apegados, vejamos onde nutrimos o ódio por nós mesmos e pelo outro diante do sentimento de frustração e paralisia nesse ponto.

Investiguemos se existe algo a ser dito, pois o amor que você, não entrou em contato, requer dissolver o muro de emoções, formados pelo padrão de vidas e vidas, o qual guiou-nos a todos, escolhermos a forma e condições de nascimento, o qual vivemos, com a única mãe perfeita a nossa experiencia e aprendizagem.

Essa Mãe, nesse ventre, nesse corpo, nessa família, cultura, nação, época planetária e existencial, são únicos e ricos em exito.

Pergunta número 1- Olhemos agora para a origem do nascimento daquele que teve contato com sua Mamãe, horas e dias após do seu nascimento o padrão que ali se estabeleceu e ou a compensação, condicionamentos e crenças que tomou forma nessa relação:Mamãe  e você, Você e o dinheiro.
A aprendizagem é sentir-se 100% disponivel a se render a esse amor, deixando ir as mágoas, ressentimentos, dor e sofrimento frente aos entendimentos equivocados.do seu para que, nessa vida, a programação da existência através do Ser Amor que o habita na realização de seu propósito, sua verdade.Esse pode ser um primeiro passo, viva plenamente com consciência esse movimento e se abrirá novos caminhos na sua vida, em exito e plenitude.

Pergunta número 2-Investigue como é para você se comprometer e ainda siga um pouco mais adiante e veja se você está disposto a tomar teus Pais com tudo, assim como são e se o faz de forma integra e sem condições.
Talvez você seja convidado a olhar de perto, se está de costas ou de frente para esse amor, na saída do ventre na chegada a vida, no encontro com a Mamãe, no momento de mamar e tomar com viço ou não, o alimento.
E perceba o que é gratidão para você, e o quanto você é grato pela vida e o quanto internamente existe uma divisão, a qual nega a vida, nega o amor de seus Pais e a forma com que te ofertaram esse amor e como você se colocou diante deles e desse amor.
A gratidão é o primeiro movimento verdadeiro, honrando e reverenciando nossos Pais, com tudo, e nossas vidas, assim como ela é, em aceitação e concordância.
Vejamos, o segundo movimento verdadeiro fala do Perdão a si mesmo, que virá a seguir, até que chegue o momento de estabelecer uma Intimidade e Afetividade saudável.
Nesse primeiro movimento, com a chegada da Gratidão, nesse ponto, nesse espaço, será um marco em verdade, para  que sinta-se com condições de comprometer-se em tomar o amor e assim se sentirá capaz de pagar seus compromissos financeiros, comprometendo-se com seus acordos.
Esse pode ser um olhar sistêmico diante de sua questão.

Pergunta número 3-Nesse caso, após viver o processo de cura que convida ao perdão a si mesmo e a descoberta sentida do amor por si próprio, agora investigue o ponto que fala da Gratidão, olhando a qualidade de energia do Ventre da Mamãe e de suas antepassadas, na relação com o amor por si mesmas, e a amizade fraterna na relação com os homens em suas vidas.
Verifique sua relação com seu corpo, seu nascimento suas relações e veja em qual ponto encontra desafio em sentir-se quitando suas dividas, em que ponto anseia pagar sua dividas e parece-lhe que nunca estão pagas, o que busca compensar?Com quem você em seu sistema familiar está identificado, pagando dividas em seu lugar?A quem quer salvar e busca compensar o sofrimento de outros?
Aqui você é convidado a verificar onde se sente em divida consigo mesmo, e está identificado com as dividas daqueles que ama.
Convida a encontrar a consciência de sua individualidade em relação ao corpo da Mãe e do seu corpo e ainda ao entendimento da sua unicidade com o Universo.
E por fim, veja o quanto está comprometido com a verdade de seu coração e quanto abre concessões em suas relações em nome desse amor e lealdade?
E então descobrirá o ponto, nesse espaço que pede por aprender de forma sentida o que é gratidão, humildade e compaixão.
A gratidão auxiliará a aceitar incondicionalmente, a humildade te guiará a olhar novamente de diversas formas a tua humanidade e onde está mentindo para si mesmo, sendo infiel a sua verdade em nome desse amor, arriscando a própria saúde.E a compaixão te guiará a olhar teu ser de amor com amor, ao se colocar em seu lugar, enquanto testemunha e ver que de fato experimentou o que chamamos de um destino difícil, e ao mesmo tempo, que te desenvolveu capacidades de resilencia, nutrindo-te em fé e força de vontade positiva para transcender as adversidades.
Nessa investigação, descobrirá em tua essência o manancial de amor, onde todos são amigos, todos são imortais, o efêmero é o corpo físico a essência é permanente, a mudança pede pelo desapego da mente com o passado.
Nesse amor não existem dividas, pois o que você ofertou foi a expressão da existência e o que vem a receber também o é.

Pergunta número 4- Olhe de forma integra o quanto você se apropria de seus valores, e o quanto está consciente, do custo de energia que emprega para a realização de seus trabalhos e o quanto reconhece seu valor e dedica amor a si mesma?

Considere o caminho das Virtudes, um convite ao Florescer  do Perdão, da gratidão, ao amor próprio e da humildade, a compaixão.
Investigue a  qualidade de energia com que se deram, desde sua fecundação ao nascimento, e em suas relações.
Investigue, o quanto está presente, em seu dia a dia,   e o quanto está ausente morto-vivo, então poderá ter uma dimensão do quanto valoriza a vida e está comprometido com a vida, poderá reconhecer o quanto se sente pertencente ou se sente sem um propósito e finalmente olhará de frente para o quanto está sendo integro, ou está se enganando, agindo com pena de si próprio, nutrindo a paralisia do fluxo da vida, em sua vida ou está se movendo para mudar em verdade.

A parti desse ponto, podemos considerar todos os pontos, que foram tecidos desde a pergunta número 1 até a resposta na questão número 3.


Pergunta número 5- No fundo da ansia em liberar o outro de uma divida, pode estar o anseio de quitar uma divida consigo mesmo e libertar-se das compensações, expiações e lealdades nas relações familiares.
Você poderá em um primeiro momento renegociar a divida, caso sinta-se ferido ao recordar do trabalho prestado e não recebido, pois de fato, você recorda, do amor o qual não entrou em contato no nascimento, enquanto esse ponto interrompido no fluxo da energia amor, não se completar nesse ponto, continua existindo a distancia ilusória, da mente, que acredita estar em perda, divisão, separação, tendo como reação emocional a raiva e indignação.
Assim se dá, também nas relações afetivas, enquanto houver esse entendimento equivocado sobre o amor.Então é aconselhado você se posicionar, conversar e entrarem em um entendimento.
Aqui esse movimento, é verdadeiro em relação ao que sente, em seu interior.

Em essência no seu coração, no amor está tudo em equilíbrio, logo se você na origem de sua história perdoou a si mesmo pelas suas próprias escolhas, e está desperta na consciência do amor, se sentirá totalmente paga pelos presentes que a existência já te confere, em outros projetos, em outras relações.
A prosperidade nesse caso, já estará fluindo e esse caso é decorrentes das escolhas já ajustadas do passado.
Então no que   tange essa pessoa e dívida, em especifico, ao liberá-la dessa dívida,que está atuando nessa memória, nesse ponto cego, oportunizará a cura da projeção e atração dessa qualidade de energia  de relações e situações, em sua vida, fecha-se a área de projeção e fecha-se a necessidade dessa aprendizagem.

A Pessoa que está sendo liberada, dessa relação com você, por não ter mais uma área de projeção receberá um faixo de luz em direção a sua própria sombra, revelando as dores e sofrimentos responsáveis por esse padrão, proporcionando um natural crescimento, ao seu tempo.

Para isso, essa liberação pede para ser vivenciada na essência, no coração puro em amor incondicional, assim será abençoado aquele que é liberado e chamado pela própria existência, em sua essência a crescer e amadurecer.

A existência, nesse momento encontra, um espaço amplo em direção a quem liberou, para que seu fluxo prossiga abundantemente, o caminho está receptivo, abundante, aberto a receber, naturalmente a existência em seu universo generoso, oferta várias vezes o valor que foi liberado em verdade, na essência do coração, ofertando uma abundante paz.

O importante que aquele que não cumpre com o acordo viva a sua aprendizagem, seja pelas consequências geradas no campo material ou no chamado energético da existência, que oferta no campo da energia as adversidades a sua aprendizagem, mantendo o equilíbrio nas dimensões da ajuda e do amor, nessa Relação.

De uma forma pontual, é isso.Vou meditar mais sobre e quando emergir algo, novo, do coração, escrevo em nova postagem.

Que ajude, a você, dar um pequeno e verdadeiro passo!
Abraço em amor!















Nenhum comentário:

Postar um comentário