terça-feira, 6 de junho de 2017

Quais são as dimensões da Ajuda?

                                       


                                 

                                            As dimensões da Ajuda.


       A ajuda pressupõem o encontro, onde aquele que pede ajuda é ajudado e aquele que presta a ajuda é o ajudante.Para que a ajuda prestada esteja a favor da vida, é preciso que ao prestar a ajuda, considere sua real possibilidade em ofertar a ajuda.

      Existem situações,onde em nome  do amor, o ajudante, compreende a ajuda como uma obrigação que antecede a consideração de sua real condição de presta-la, projetando nas suas relações, suas questões pessoais e entendimentos equivocados.

      Em outras situações o ajudante, necessita ajudar constantemente, encontrando na ajuda, sem querer e sem saber, um meio de suprir sua própria carência afetiva , preenchimento do sentimento de solidão, busca de aprovação e ou reconhecimento.

     Para poder ajudar ao outro é necessário receber a ajuda necessária a si mesmo, até que as próprias questões tenham ganho um bom lugar, o amor por si próprio comece a despertar e ao ajudar, seja tranquilo e natural manter uma certa distância das questões por aquele que solicita ajuda.

   É importante, refletir em situações onde o ajudante, oferta a ajuda, e o ajudado aceita com o entendimento silencioso, o faz, compreendendo que está ajudando ao aceitar a ajuda.

Nesse caso encontramos um desequilíbrio, no real propósito da ajuda, pois aqui, encontramos um ajudante que é o ajudado e o ajudado que se torna o ajudante.
Para a relação de ajuda, cumprir com seu objetivo que é de ofertar os meios para que o ser humano encontre em si mesmo, os recursos, as pontes da vida e do amor, para ajudar a si mesmo, é preciso considerar o encontro, pois a ajuda, somente acontece em sua totalidade quando aquele que ajuda oferta sua jornada vivenciada e seus saberes e aquele que é ajudado, também o faz.

Quando se estabelece, a  troca, entre um e o outro, o ensino e a aprendizagem se estabelece e os caminhos reais de cura se abrem.

Aqui a ajuda pode ser ofertada quando é verdadeiro e incondicional, não requer algo a mais, está disponível e é natural, favorece a quem recebe, e leva ao crescimento e fortalecimento aquele que oferta, pois considera o bem estar de seu próprio ser e a contribuição que gera ao outro, levando a autonomia e amadurecimento.

Na dimensão de quem presta a ajuda, então é necessário a verdade, integridade e discernimento em que situações dizer sim ajuda, e dizer não, também leva ao crescimento e oferta um tempo necessário para ambos crescerem, amadurecerem e seguirem adiante ao novo, em direção ao mais.

Em alguns casos, em que o ajudante percebe que  é valoroso encaminhar ao  olhar de outro especialista ou ajudante, o qual dispõem de diferentes recursos, poderá encaminhar aquele que pede a ajuda, ao outro profissional, a fim que prossiga em seu desenvolvimento em sua Jornada de Cura.

Considerar a sua estabilidade e a estabilidade do outro, pode ser um ponto inicial para a conduta ética e de exito, por parte do profissional ajudante.

Ser verdadeiro e colocar-se frente aquele que pede ajuda, compreendendo enquanto ser humano integral, que é digno de ser tratado com cuidado, zelo, generosidade, integridade e amor.


Na dimensão de quem pede ajuda, lembre-se de considerar quando o ajudante está envolvido ainda, no campo de energia de uma outra ajuda, aqui é pedido o desenvolvimento da capacidade de empatia, e se colocar no lugar do outro, compreendendo que existe momentos que é possivel ir até aquele, que presta ajuda e pedir ajuda, e em outras vezes é necessário aguardar, até que se complete o movimento.

Quando falo de empatia, não falo sobre tomar o que o ajudante está sentindo ou lidando naquele momento, e sim, a capacidade de olhar com amor o que esteja se dando, tornando-se capaz de iniciar consigo a aprendizagem da compaixão.

Compaixão não é autocomiseração, sentir pena, sofrer pelo próprio sofrimento ou sofrer pelo sofrimento do outro.Compaixão fala da capacidade de amar profundamente o amor que nos habita e reconhecer esse amor no outro,abraçando por completo aquele que ajuda e aquele que é ajudado.

Ousaria dizer, que essa dimensão de ajuda, seja ao pedir os prestá-la envolve a presença altruísta, onde todos envolvidos, consideram-se seres humanos, antes de mais nada, lado a lado, dois seres que expressam o amor da existência através de seus Seres Amor.

Ajudar, pedir ajuda, ser ajudado, tornar-se capaz de ajudar citam os passos naturais do amadurecimento na Jornada do Coração, para isso é preciso olhar através do olhar da medicina do amor que atua organicamente através de todo o círculo completo do amor.
O amor que atua, através daquele que ajuda, se move através dele, abraçando o amor que atua, através do ajudado, suas histórias, suas famílias, seus caminhos são abraçados por esse amor.

Esse amor que falo, habita o ser em seu coração, que mesmo mantendo certa distancia ao ajudar, transborda em sua presença e dilui o sofrimento, transformando as vicissitudes em virtudes.

E aquele que é ajudado, passa a respirar essa dimensão da ajuda, que naturalmente envia o melhor disponivel em sua profundidade, enquanto ajudado.Ambos crescem na ajuda, e a cura se dá, poiso amor que habita um, abraça o amar que habita ao outro.

As relações são harmonizadas, quando na expiração aquele que é ajudado, possui espaço para a sua escuta e expressão, livre.
E aquele que ajuda, vai convidando a quem recebe ajuda, a entrar em contato com o que emerge de sua profundidade, levando a deixar ir com gratidão, as crenças, condicionamentos, tomando consciência, pouco, a pouco, dos padrões que fundamentam suas meias-verdades.
Ao seu tempo, o ajudante, oferta a lucidez, convidando a entrega ao coração e a expressão de tudo que possa estar suprimido seja através da voz ou dos movimentos corporais.

O ajudado, vai encontrando em sua profundidade mais espaço, para permitir seu Ser em essência se expressar em liberdade, liberdade da mente, do corpo, do coração, da vida.

Essa é a expressão do Ajudante da Natural Medicina Alma da Terra, ele respira a Medicina do Amor e a Medicina do amor o respira, abraçando aquele que pede ajuda, como um manto de bençãos, despertando entendimentos, novas consciências, aceitação, entrega e liberação da energia negativa que consigo trás a energia de tudo o que não é, em essência.

Ao caminhar nessa presença, o Homem ou Mulher Medicina, compreende que na medida que as várias dimensões do amor são iluminadas, ele/ela, tornam-se capazes de compartilhar o que já foi tocado por esse amor.E ao viver esse natural ofertar, vai percebendo o círculo do amor completo, tornando-se mais rico e abundante em amor, tanto para ele, como para todos que estão a sua volta.

E aquele que recebe ajuda, vai despertando as várias dimensões da ajuda, em seu interior, encaminhando seus potenciais e talentos naturais a despertarem, enquanto meios para seu despertar.

O ajudante se coloca disponivel a sempre que necessário a levar o ajudado a olhar que se apresenta, guiando a expressar em direção a pessoa ou situação de conflito, o que está sentindo, abrindo espaços para a harmonização das Relações, emergindo um novo entendimento saudável sobre sua História.

A ajuda quando ofertada profissionalmente, difere da ajuda que ofertamos entre amigos e familiares.
Por exemplo:A ajuda que um Pai e uma Mãe ofertam, não podemos compensar, ou realizar trocas que equilibrem essa ajuda, a única forma de equilíbrio entre dar e o receber ajuda aqui é, ofertando nossos dons, talentos e amor, ainda mais, aos nossos filhos, a nossas sagradas relações, no fluxo da vida.
Quando, ofertamos ajuda aos amigos, nessa dimensão quem recebe ajuda e quem pede ajuda, podem tecer trocas que equilibrem, segundo o entendimento e disponibilidade o que foi tomado e o que foi ofertado.

Em caso de familiares e amigos que precisem de uma ajuda profissional, encaminhamos a um profissional, que poderá orientar com exito.

Quanto a ajuda profissional, quando somos solicitados por aquele que pede ajuda, existe um valor o qual compensa, a ajuda prestada.

Quando esse valor acordado entre ambos, aquele que presta ajuda oferta um valor, que é sua ajuda, e o ajudante em troca, oferta um valor, financeiro, aqui a relação está em equilíbrio.

Existem casos que aquele que pede ajuda, necessita de ajuda incluindo a parte financeira, então caberá ao ajudante, criar critérios que especifiquem em que situações, essa ajuda é ofertada, nesse aspecto.

Todo ajudante é convidado dedicar parte de seu trabalho em doação, quando ofertada incondicionalmente, está sendo ofertada a própria existência.

Existem situações, onde aquele que acorda o pedido de ajuda, e assume o compromisso em valorizar financeiramente, em troca a ajuda recebida e não cumpre.

Existe um índice de inadimplência dentro do Sistema tradicional da Comunidade em que estamos inseridos, ao mesmo tempo, esse índice pode cada vez ser menor, até deixar de existir, na medida em que refletimos qual o aspecto em nós que busca reconhecer o próprio valor, qual o personagem que podemos ainda estar encantados nessa história que nutre o sentimento de desvalia.

Ao mesmo tempo, movemos de forma prática entrando em contato com quem pediu ajuda, viabilizando meios para que concretize seu compromisso.

Quando,o ajudante não cumpre com o acordado, ele assume a divida financeira, e tanto o ajudante como o ajudado assumem uma divida espiritual, ligando um ao outro.

Quando o ajudante, encontra em si mesmo condições de liberar o ajudado, em profundidade de seu coração, da realização do pagamento financeiro, quem assume total divida espiritual pelo não cumprimento do acordado, é aquele que pediu ajuda.

Isso se deve, pelo fato de que, em algum nível de consciência, ambos estão aprendendo algo sobre o valor pessoal, seja a revisão de um trauma de nascimento, um padrão de vidas passadas, uma doença genética familiar, a elucidação de meias verdades e ou desligamento da energia que sustenta essa energia negativa.

A partir do momento, em que essa energia é liberada, e transmutada pelo amor, abre-se o campo para o fluxo pleno dos valores.

Aquele que ajuda, poderá circular cada vez mais no campo de prosperidade e abundancia e aquele que pede ajuda, poderá optar por uma nova direção assim que viver as tomadas de consciência necessárias, enquanto isso preciso será lidar com o sentimento de culpa mais ou menos consciente, e lidar com maior desafios para liberar-se desse circulo vicioso de carência afetiva e solidão.
As dimensões da ajuda, podem elucidar as nuances do valor próprio, a qual fala das dimensões do amor.

Para organizar uma Agenda de sucesso profissional, as nuances da ajuda e do amor, são convidadas estar em alinho com a verdade a qual, o ajudante caminha.
Quanto mais alinhado esteja com a verdade, mais alinhado está em todos os âmbitos de sua Jornada.

O exito da ajuda, atua nessas distintas esferas, tanto dos recursos ofertados, ao desenvolvimento da autonomia e crescimento daquele que pede ajuda, como, na cosciencia de prosperidade que nutre e vivencia em verdade, pois assim, aqueles que estão a sua volta, também caminharão em abundância.

A medicina do amor, ensina que a energia do amor é a mesma, energia, do prazer, da vida, da prosperidade, da abundancia, do êxito e da abundância.
Para haver um equilíbrio na ajuda, é necessário que quem pede ajuda a tome, e quem oferta ajuda, tome o valor dessa ajuda em sua profundidade.
Assim  a energia  abundante da ajuda, circulará com exito.












                                            
                  

Nenhum comentário:

Postar um comentário