sábado, 22 de julho de 2017

Quais as dicas, de nossa Ancestralidade para a descoberta de nossa Medicina Pessoal?








Uma toque suave do meu coração aos seus corações.

Cada Medicina é um raio de luz do sol da existência.Cada Ser é o reflexo da Fonte.Todos nós, em essência, somos jóias da Existência.Quando você, busca qual a Medicina tomar....Esta perguntando:

Qual o raio de luz que ilumina o caminho desde onde estou a olhar, ao encontro de meu olhar desde minha essência ?

Ao olhar desde sua essência, você busca informar-se quais os caminhos iluminam e de que forma ajudará seu olhar a voltar-se a seu Ser Amor.

Estou em verdade dedicando-me por completo a pontilhar o caminho, a rendição ao coração,para que as Bênçãos se derramem do Olhar, a muitos e dessa forma, de mãos estendidas multipliquemos as Bênçãos e Medicinas  do Amor desde a essência, o coração..

E convido, a silenciar, permitir que sua essência, vá revelando, pouquinho a pouquinho, movimentos naturais, ternos,por onde sua medicina se revela.

Algo que posso dizer, é que herdamos de nossos Pais, Avós, Bisavós, muito de sua sabedoria.

Ao abraçarmos suas memórias, com tudo o que são, incluindo o  o que aos nossos olhos parece incomodo, feio, dolorido, e concordarmos com seus destinos.

Então o Passado se move, desde o Futuro e do futuro vem em nossa direção, trazendo todas as virtudes, as bendições e medicinas de todos eles.

O mágico, dessa experiencia, é testemunhar os curadores chegando com seus balsamos, regenerando a cada espaço e os rezadores, devocionais, cheios da fé, abençoando-nos.

Desperta uma verdadeira GRATIDÃO.

E com ela, se dá o reconhecimento, esse movimento encantador cerze, tudo que está separado, unindo.Assim a gratidão flui abrindo a todos os recondidos do coração.
Fertilizando o solo, tornando aerado, equilibrando sua umidade, semeando o perdão.

Ao Florescer de cada  Virtude uma nova benção, mais uma linha, para tecer sua Medicina Essencial.

É com esse toque suave do meu coração que cada Medicina e Bênçãos, recorde do seu verdadeiro lar, o coração.

Abraços de Camomilas.
Sahwenya.













sexta-feira, 21 de julho de 2017

Olá irmandade maticaria! Ventre são, coração realizado! Sahwenya, Bert Hellinger e as Camomilas.








Olá irmandade maticaria! Ventre são, coração realizado!

Após adormecer entre as Camomilas, acordo com o chamado, de dançar em bênçãos, no meio da dança, começam cair muitas fichas, sabe, quando cai o fichário inteiro, e no meio de preciosos insights, do masculino e o feminino, vejo a presença de um Professor muito querido, olhando-me com seus olhos azuis de mar, guiando-me para mais além, do coração.

Em tempos recentes, em sonho, recebi um chamado para ir a Alemanha e participar de um Treinamento em Power Cósmica-Constelações Familiares.

Já sentia estar plena, com os caminhos já trilhados e formações vivenciadas com os mesmos professores, porém, no sonho, era avisada de que meu querido professor, Bert Hellinger, iria passar por um desafio, o qual colocaria ele e a morte frente a frente.
Ele, já ofertou tudo de lindo, e sim, seria livre a escolher se gostaria de partir ou ficar.
Assim, sua esposa Sophie Hellinger, no sonho, chamava todas as nações para juntos alinharmos um campo de força do amor, capaz de ofertar um caminho suave de regeneração a Bert Hellinger.

Nesse Sonho, ergui a mão e comuniquei que poderia ajudar na ancoragem do olhar fenomenológico. Aquele olhar, que nasce da essência e cuja origem é a fonte.

Passaram-se um dois meses, chegando outubro de 2016, era mês do meu aniversário, uma semana após seguimos em direção a Alemanha, sem antes, resolvi passar por um Asharan, para alinhar com a Índia, para receber uma bênçãos e levar um raio de luz, para o Campo de Constelação.

Bem, sei que soa meio maluco, tudo isso, a questão é que sou movida pelos sonhos e quando eles me dizem algo, é todo um movimento, e mesmo assim quando via, lá estava a responder.

Essa Passagem, me ensinou algo, muito precioso, que o amor sempre que nos inspira algo ele o faz para nos ofertar mais vida, nunca ao contrário.

Em nossos sonhos as revelações emergem verdades preciosas e precisamos estar atentos aos meandres da própria personalidade que ainda pedem por cura.

Hoje, recordei dessa história, após despertar no meio das bênçãos do amor, as camomilas e meus sonhos.

Pouco, a pouco, com amor me guiei a dançar, abençoando a tudo e a todos, e naturalmente emergiu um sentimento profundo de gratidão, olhei atentamente e me veio a imagem do rosto de Bert, sorrindo, pude mergulhar em seu olhar novamente, e nesse mergulho de respeito, reconhecimento e amor, me vi por frações de segundos, a sua frente, fintando seu olhar silenciosamente, um silencio tão amado ao meu ser, até que ele olha e diz: GRATIDÃO.

Estava dançando, acordada, desperta e ao mesmo tempo diante dessa consciência, fui tragada ao meu centro em sua mais profunda, profundidade e as lágrimas brotavam liberando vidas e vidas, porém lágrimas singelas, delicadas amorosas, lágrimas de amor.

Escuto, Bert me perguntar desde minha essência: Como é para você receber esse agradecimento? Primeiro passaram memorias onde seus personagens perguntavam-se, existe algo em desordem, não seriamos nós que deveríamos agradecer-lhe? Bert, então disse:
De fato não. Vejam todos esses que aqui nessa fração do tempo não tempo estão a aprender conosco, eles estão abertos a esse ensinamento.
Fui eu que estive frente a Morte.
E vocês que serviram desde o amor que tudo ama, a Vida.

Foi quando avistei um Raio de Luz e após me perguntar se devia partir, despertou em meu coração o sentimento de seguir o novo.

Então, permaneci em vida.
E muitos de vocês, fazem parte de minha família, Germânica, pois quando os Alemães guiaram seus familiares a Morte, no passado, vocês agora me respondem com a vida, o que me toca, aqui? Agradecer.

Enquanto Bert, falava desde meu coração, com o coração de todas as memorias que passavam por mim, através do meu olhar, segui a enviar as bênçãos, e revelavam-se mais e mais, consciências. Então emergiu uma pergunta?
Como me coloco diante de um agradecimento que brota de um coração puro?
E naturalmente emergiu, durante a dança, a resposta:
Quando o homem envia um agradecimento de coração puro ao coração de uma mulher, olhar frente a olhar, ele ao agradecer a abençoa, e junto as suas bênçãos seguem todos os potenciais, recursos, medicinas, dons, saberes que vem de todos aqueles que caminham através daquele olhar.
A Mulher que olha esse homem, e com seu coração aberto receptivo, recebe e toma por inteiro, junto ao agradecimento chegam presentes e mais presentes, naturalmente sente-se , um pouco mais grata, disponível a expressar sua gratidão, um tanto mais.
Assim, ao fazê-lo, junto com seu reconhecimento envia junto com tanto mais de gratidão, balsamos, de regeneração os quais caminham através do coração, daquele que primeiro, agradeceu.
Nasce do coração mutuamente uma compaixão profunda, ambos nem podem imaginar o que se passou em suas histórias, nem entre seus familiares, antepassados, em vidas passadas ou futuras, nem tão menos, podem ter dimensão das impressões que ficaram em seus corpos, e a forma com que cada célula ecoam suas experiências, no entanto, isso amplia o olhar de empatia, e guia a ambos adiante, olhando além, um do outro, através do olhar um do outro.
Assim, surge a dança entre aquele que preserva a força da vida, quando adormecido está no interior da mulher e aquela que guarda a vida em zelo, a mulher, que está adormecida dentro do homem, torna a vida mais longeva.

Ambos contem a sabedoria do caminho em beleza e concordam profundamente, como o que cada um é, e o que guarda consigo de seu caminhar.
Isso, Liberta! Ambos, sentem-se livres para ser e em respeito ao outro, reconhecem a dignidade do outro Ser.


Cada Medicina é um raio de luz do sol da existência.Cada Ser é o reflexo da Fonte.Todos nós, em essência, somos jóias da Existência.
Qual o raio de luz que ilumina o caminho desde onde estou a olhar, ao encontro de meu olhar desde minha essência ?
Ao olhar desde sua essência, você busca informar-se quais os caminhos iluminam e de que forma ajudará seu olhar a voltar-se a seu Ser Amor.
Então você, recebe  naturalmente, a essência....a Medicina....a bênção.


Gratidão ao meu coração, e ao coração de todas as memórias que dançam diariamente, através da energia que flui, agora, ainda mais em liberdade.Gratidão a todos os professores, sábios que dedicaram o melhor de si mesmos, para tornar o caminho mais amoroso.
 Bert e o Tao, gratidão por suscitar em sua sabedoria, ampliar um tanto a mais o meu olhar, e assim sigo adiante, em direção do novo.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Movimento Matricária-Resos ao Ventre- Dia 1- Camomila, reso ao Acolhimento.





Nesses dias, tenho recebido e encontrado, muitos escritos sobre a velha e sábia amiga e companheira Camomila.Me recordando e guiando a orar e meditar, em suas pequeninas flores acalentar e tranquilizar....Convido você, que ama as Camomilas e também você que diz não apreciar seu sabor, colher de seus aromas, as partes camomilas em seu ser e integra-las.

Vamos?


Envolvo-me em um manto Camomila, cada retalho um reso para a cura de mim mesmo e descanso, respirando suave e relaxadamente.

Sei que em nossas Histórias Humanas, a mulher já influenciou em amor e sabedoria as sociedades e também viu-se diante de suas sombras Humanas.
Por outro olhar, pude ver tão de pertinho as memórias ancestrais adormecidas que acordaram em meus gens a contar sobre a opressão e supressão do feminino.
E Compreendo como nunca, a dor que guarda consigo através dos tempos por ver-se partindo da vida, por ser aquela que gera, aquela que sangra, aquela que oferta os mananciais do prazer e vida a Humanidade.Em trazer consigo a escuta do invisível e a sabedoria sobre o Poder de Cura, das coisas da Terra.

Essa Divina Alquimia que é ser Mulher, que em algumas Nações, ainda Hoje, lidam com a Mulher como objeto de posse, e seus direitos e dignidades não encontram, ainda, o poder e a força, de sua essência, para libertar-se da opressão.
São tantas estruturas, dizendo Não, em meio a própria dor e sofrimento, paralisa-se diante de novas possibilidade, e dos movimentos necessários para que se dê de forma diferente.
Enquanto muitas mulheres conseguem dispor do cuidado de sua energia e beleza, mesmo de burca, em meio aos Desertos e suas Tendas Vermelhas.
Em nosso Continente, semeando movimentos de liberdade, libertação entre outras que despertam, para a Integração e o Perdão, comprometendo-se com a cura, de sua parte nessa História.
Sejam revolucionárias, feministas, coletivistas, Sistêmicas e Essenciais, as Mulheres estão expandindo sua Mensagem Camomila, mesmo que não saibam sobre o Poder da Camomila, essa Erva tão delicada, que lembrou do sorriso adormecido no ventre, que acordou o amor no coração, e recorreu as nossas memorias, onde a sabedoria da gratidão e do Perdão já ali estavam, aguardando, tornarem-se recursos, pontes da vida, pontes do Amor.

E é por essas Histórias, Irmãs e Amigas que nossos Corpos são verdadeiros Templos, nossos corações verdadeiras capelas, e nossos ventres verdadeiros altares que acordam a alegria pela vida, limpando as doenças originais do feminino, permitindo o masculino chegar.
Pois o feminino preserva a vitalidade do masculino e o masculino guarda a vitalidade do feminino.
Sem a preservação da Energia esvanecemos em vida, sem a guarda, toda a doença se desenvolve.

E lá seguimos entre a relva cantando e dançando a camomila, pedindo que a medicina nos cure....
Meditando ao seu lado, no silencio....diante do Sol.

Colhendo suas pequeninas flores, para preparar um chá, protetor e amigo, purificador e acalentador do ventre e coração, inicia uma relação intima, abrimos nosso coração e contamos a camomila o que sentimos e ela nos oferta seus balsamos, basta respirar, a presença da Camomila.

Gentilmente a Camomila recorda da Arte e podemos Pintar Camomila, mandalar Camomila, Respirar Camomila.

Ela nos recorda que tem  gente Camomila, que te ajuda, a rir, no meio de um banho de assento e revelar ao coração, que ser irmã, transcende ao que entendemos, até então por intimidade.

Convido teu coração, a inciar esse chá, proseando contigo mesmo e com todas as irmãs que ocupam o lugar de irmã, amiga, e que em suas diferenças são como essências e joias.

Cada uma possui uma medicina e consigo guarda uma sabedoria essencial.
Medito junto Camomila, e convido-te a tecer sua forma e expressão de escuta e conversa, vestindo suas amigas de camomila.

Agradeço a todas irmãs, que comigo estenderam suas mãos e juntas na loucura e na sanidade, na dor e na felicidade, atravessaram  os espaços escuros da Jornada da Alma.
Agradeço a Camomila que vive em cada uma de vocês, por abrandarem e acolherem meu coração, em um momento em que esqueci por completo sobre pertencimento e sentido da vida.
Talvez na escuta da Irmã Camomila, possamos juntas sentir seu perfume ir chegando devagarinho, banhado-nos com seu aroma, e até mesmo, entre nós descobrir, aquelas que de alguma forma dizer que não gostam de Camomila, seja de seu sabor ou aroma, somos guiadas a deixar a imagem de nossas relações, e vesti-las de Camomila, de seu perfume, de seus aromas, de seu sabor, de seu contato, quando bem devagarinho, vai surgindo um frescor que nos alivia o coração, deixando o coração abrir e o amor se expressar.

Seguimos Juntas Irmãs, recordando das Relações mais antigas, e mesmo que não recordemos em imagens entregamos nos pulsos solares, dourados que emanam, os pequeninos sois luminosos de cada  pequenina flor que compõem o miolinho da Camomila, são tantas florinhas a cantar, e entoar a melodia do amor, que agora somos acalentadas nesse amor, por esse amor e mesmo que não saibamos ainda, vai a Camomila nos revelando o lugar onde todo amor, está inviolado.

Acendo uma Vela de Camomila.....e dou as boas vindas...Sejam vidas que se passaram, homens que por algum movimento interferiram em nosso fluxo de vida, feridas que permitimos sem saber ou sem querer, escolhas que nos guiaram  a perder a cabeça, e perder a dimensão da dor, em abandono e solidão, quando tocadas...desse tempo ou de outro tempo, vemos ser vestidas de camomilas, abraçando, abraçando e entoando a melodia do amor.

Podemos ouvir Camomila, convidando a cada ser envolvido nessas histórias para descansar tranquilamente no amor,todos estão salvos, todos podem crescer e lidar com seus destinos.
E a Camolinda, vai nos recordando de que na essência, todos somos amigos, irmãos, de beleza única.

Vemos a Camomila  estensão da Terra, essência do céu guiando-nos a reconciliar, em nosso ventre, nossas mais antigas relações impressas no Ventre, tudo está sendo lavado pela Camomila.

Agora, escuto a Camomila silenciar, escuto o silencio profundo em descanso acalmando, qualquer urgência, acalmando toda a necessidade de fazer algo para....Está tudo bem, tudo já vai passar.

Sentindo o cheiro no corpo seu aroma, sentindo seu aroma,  sua essência dançando no banho de acento, deslisa suavemente seus óleos essenciais em óleos vegetais, sentindo o seu toque no toque, o  toque no seu, em  unidade, esse tato, no contato, deslizando em amor, a cada pequenina curva e nunces, elevações do  corpo, agradecendo.

Sentimos  as compressas de camomila, derretendo as mágoas em lágrimas, as lágrimas umedecendo o ventre e o solo tornando-se fértil.

Agradecemos as sementes do Perdão, que foram semeadas, nesse instante emerge o pedido de descanso bebendo a efusão de camomilas, em seu acalento.

Adormecemos e rendemos a noite que se abre, nos braços de Camomilas.....Sois da Existência.

Camomila, sabedoria essencial, guie-me ao descanso verdadeiro da essência e corpo em unidade.

Gratidão.

E no outro dia deixe anotar, o que revelou-se em seus sonhos.
Vamos prosseguir a cada semana, como um novo Movimento de cura ao Ventre Matricária.

Beijos ao seu coração.


quinta-feira, 13 de julho de 2017

A Terapia que revolucionou ...Nos anos 70 até os dias de Hoje-Renascimento.



                                        Morada dos Avós-Alma da Terra.

                                              RESPIRAÇÃO DO RENASCIMENTO.







Sahwenya,revela, que uma das primeiras terapias que tocaram profundamente seu coração, foi a terapia da Respiração.Em sua Jornada Pessoal, a aprendizagem da Respiração da Energia, auxiliou a conhecer seu Ser em Energia e como essa Energia poderia manter-se saudável.
Sahwenya era Empreendedora e Gestora de um Centro de Educação Integral, dedicado a Educação do Coração ás crianças, famílias e comunidade.
Exercia  Função de Gestora, Professora do Pré-Escolar e de Filosofia em um Período e no Outro, atuava como Coordenadora Pedagógica, onde desenvolvia o projeto de harmonizações na Escola junto ao Projeto de Inclusão em Sala de Aula, de crianças com diferentes formas de se expressar e aprender.
Neste Período, conheceu a Meditação, a Terapia Floral, a Socio-Terapia, com as Danças Circulares, o Mestrado em Reiki e em Energia Quântica então chegou um Convite para um workshop em Renascimento, foi  partir desse momento em 2001, que Sahwenya sentiu, ter encontrado um caminho verdadeiro, onde pulsava seu coração.
Quando zelamos pela harmonia da Mente, do Corpo, da Química, das Emoções, da Energia, cultivamos a pré-condição para a felicidade, saúde , bem-estar e Paz.
Trazer para a vida, a consciência da respiração permite estar ao centro, em sincronia com a essência, movendo-se no fluxo da Energia, da Vida.
Nesse Fluxo, que nos guia ao semear em solo fértil, onde  o que semeamos floresce e frutifica.
Em sua Experiencia de Vida, a Respiração indica onde estamos endo verdadeiros com a escuta do coração e íntegros quanto ao foco de nossa atenção, revelando onde colocamos nossa preciosa energia de tempo e vida.

Nos revelando a sintonia com nossa natureza, os ritmos e ciclos da Vida, auxilia-nos a alinhar nossa pulsação respiratória da Existência.
A Respiração, passou a fazer parte das práticas cotidianas de Sahwenya, até que se integrasse ao seu Ser, como forma de Vida.

Uniu as Práticas da Respiração a Educação em todos os âmbitos levando a consciência do coração, do estado pleno de presença, do professor, da família e da comunidade, iniciando pelas crianças.
Desde o momento de receber a criança em sala de aula, junto aos seus pais, levando o Professor a olhar, diante dos olhos da criança, o vendo, enquanto Ser único e precioso.

Sahwenya, compartilha, que em sua percepção a Respiração possibilitou aplicar seu conhecimento em Energia, em prática, de forma simples e pontual.
Aos Poucos, começou a ofertar as Famílias, Sessões em Renascimento, e a Viajar para diferentes Estados, através de atendimentos e Vivencias.

No ano de 2002, vivenciou um Jejum de 44 dias, após dois treinamentos de 21 dias em Renascimento, que a levou a seu primeiro Despertar.

Em 2005, Sahwenya encerrou suas atividades, após 15 anos dedicados a Educação e passou a se dedicar Integralmente as Terapias, Vivencias, Estudos da Mitologia, Treinamentos e Atendimentos Individuais.

Sua expressão de amor a Vida, recebeu o nome de  Natural Medicina Alma da Terra, manifestação da sabedoria das medicinas que recobrem o Organismo Vivo da Terra, e as Bênçãos e a Respiração Alma da Terra cujas as frequências guiam a Jornada do Coração.

Esses Saberes alquilizaram-se sendo compartilhados em Ciclos de Energia, através da Terapia da Consciência Flor é Ser.

Em Honra as Aprendizagens que Vivenciou, atualmente compartilha os treinamentos em Renascimento, como um Genuíno Caminho de Simplicidade, Verdade e Amor, junto as Sabedorias que floresceram de seu coração.

Atualmente, são os Orientados capacitados em Naturais Medicinas, Renascimento e Constelações, que compartilham as Vivencias e Atendimentos Individuais.

Terapia da Respiração do Renascimento


A Respiração do Renascimento, nasceu nos Estados Unidos, através de Leonard Orr, estudioso dos caminhos da Felicidade Humana, da Longevidade da Vida e Imortalidade do Corpo Físico.
Dedica sua Vida, viajando ao Mundo para compartilhar sobre o poder de cura da Respiração, as práticas de purificação através dos Elementos, as Práticas das Afirmações Positivas, a sabedoria da Psicologia Espiritual, somado a educação da Mente e o despertar do Amor.

Leonard Orr, compreende que a respiração intuitiva, permite-nos estar em presença e conscientes, nos capacita a aprender a respirar a energia, além de respirarmos o oxigênio.
A arte de aprender a respirar a partir da própria Respiração, valiosa Habilidade de auto-cura que os humanos podem aprender.

Durante, nosso dia-a-dia interagimos com muitas pessoas, meios de comunicação e lugares, a respiração do renascimento atua, também como um meio de purificar nossos instintos e sentidos, nutrindo-nos com pensamentos, sentimentos e atitudes de qualidade elevada.
Enquanto cura suprema, guia a profundo estado de relaxamento, onde o relaxamento está a doença não se desenvolve.

A Respiração Consciente de Energia é a curadora suprema, é a habilidade de cura mais natural de todas. Esta habilidade envolve a ligação da inspiração com a expiração num ritmo relaxado suave, de uma forma intuitiva, que inunda o corpo com a Energia Divina.

A Respiração de Renascimento significa também desvendar o ciclo de nascimento e morte e integrar o corpo e a mente com a vida consciente da Energia da Existência. Leonard Orr, diz:Tornar-se uma expressão consciente do Espírito Eterno desenvolve a cura dos grandes traumas humanos, que são: o trauma do nascimento, a síndrome da desaprovação dos pais, negativos específicos, o desejo inconsciente de morte, vidas passadas, abusos, supressão do feminino, o trauma da religião, o trauma da escola, a senilidade, salvador do mundo, e etc.

“A Respiração de Renascimento é um trabalho espiritual muito importante que envolve uma série de ciclos de Respiração Consciente Intuitiva de Energia, que proporciona às pessoas mais saúde, felicidade, sucesso e paz de espírito.
Observar a Energia Divina se movimentar em nosso próprio corpo e mente é muito mágico, místico e miraculoso. Eu nunca cesso de me surpreender por este trabalho porque ele é a essência da Própria Vida.” Leonard Orr.

A maioria das pessoas aprende a Respiração de Renascimento – Respiração Consciente – com muita alta qualidade, recebendo 10 sessões privadas de duas horas de um Facilitador de Renascimento – um Renascedor – bem treinado.
Um aprendizado maior e uma experiência vivencial mais profunda são obtidos através da participação em workshop, retiros e treinamentos de Renascimento.
De acordo com esta terapia, melhorar a qualidade de vida e permitir-se descobrir que você é,revelando sua completude em segurança e confiante, pode ser muito mais simples do que se imagina.

A Alquimia conta com três elementos: respirar conectado, relaxamento total testemunhar o que se passa.
Passou uma lembrança, está tudo bem, mantenha o foco na respiração e retorne ao estado de relaxamento.

Isso, já é um treinamento para a Vida, de forma a estar atento as presentes que a existência te oferta, soltando o que não é mais verdadeiro.

Esta respiração conectada é nasal e envolve a inspiração e expiração em um ritmo leve e relaxado.
São ofertados, práticas, meditação, conhecimento de pranayamas, Krias, alimentação saudável, cantos, dança devocional,purificação pelos elementos, autoinvestigação e autoconhecimento, prosas sábias que suscitam a transformação no descanso...

Segundo Sahwenya Passuello durante o período do RETIRO ALMA DA TERRA - SER AMOR, você recebe e dá sessões de renascimento, onde através da respiração e relaxamento você testemunha as biomemórias movendo-se“, veiculadas pela energia pura, meio natural, em que são diluídas.
Emergem compreensões sentidas que ofertam novo olhar e soluções a questões, até então não conscientes.

Quanto mais a mente é purificada, mais a energia do coração, abraça em amor, tudo, assim como o é, transforma e abre um novo espaço.
A Respiração abre os caminhos para o fluxo da energia,da vida manter-se em movimento no organismo.

A meditação diária, mantem o caminho aberto e nutre o fluxo com energia pura.
Um Ser quando desperta em sua consciência, testemunha o fluxo das memórias passarem, assim como peixes que pulam no mar, apenas assiste,sem interagir seja com sensações,sentimentos,emoções.

O importante é manter o olhar, a atenção a respiração, no fluxo da energia que flui pelo centro do corpo.
Leonard Orr, descobriu a Respiração do Renascimento, em meio as suas pesquisas sobre a Imortalidade Física, em um banho de banheira, naturalmente foi guiado pelo seu próprio Ser ao fluxo da respiração, a qual chamou de Renascimento.

No principio, compreendia que a água era fundamental, mais tarde percebeu juntos as pessoas as quais compartilhava, que poderia ser orientado na terra.
Sahwenya Passuello, fala que o Retiro da Alma da Terra, oportuniza esse primeiro contato, com a Respiração.

É uma terapia Suave, quando ofertada por um Renascedor consciente .Pelo ritmo e fluxo da respiração, intuitivamente, está conectado em essência com quem recebe a Respiração
Ainda, complementa, afirmando, que quanto mais tempo de energia na qualidade a que encontramos entre um pensamento e outro, mais vida estamos arquivando para nossa Jornada.

O que leva ao envelhecimento e adoecimento, é nutrir uma luta interna entre os pensamentos e as biomemórias. Bio memórias:(memórias impressas celularmente a nível de DNA, que guardam informações do nascimento, das relações humanos em distintos tempos e dimensões e densidades da Energia).

Quanto mais vivemos em paz com o que se passa por nós, entendemos que toda a polaridade e dualidade pertence a Terra, a Humanidade e a todo o Cosmos.
Ao testemunhar as biomemórias, o seu passado, delineia o seu futuro, e o seu futuro cura o seu passado.

E neste ponto, do momento presente se dá simultaneamente, passado e futuro,o qual determinam o presente.Cada experiencia, está arquivada nas Imagens no Cosmos, tecendo uma Teia em Energia.
Tudo está sempre acontecendo, o que se passou, o que vai se passar, este momento..

Todas a Bem Aventurança, em toda a sua vida, já está determinada.E todos os infortúnios podem ser co-criados e ou transformados em bem-aventuranças.Essa sabedoria, acompanha aos Sábios.
Isso quer dizer que toda a energia de paz e silêncio determina sua longevidade de vida.
Refiro-me a ausência de respostas aos pensamentos e lutas com suas biomemórias.

Com a cosciencia da Respiração, e a aprendizagem em respirar a Energia, quando a biomemória passar, você poderá assisti-la e esta se dissolverá.Para isso, basta você, não se identificar.
Cada movimento de energia que fecha a porta de um trauma, rega,limpa e cultiva o solo(ventre),ao florescimento de uma Virtude.As Virtudes, derramam balsamos atuando como uma graça, que transforma nosso olhar, em bençãos.

Em nosso Retiro anterior, Leonard Orr, esteve conosco, para uma benção, e compartilhou, que a Respiração do Renascimento torna visível o invisível.

Venha, compartilhar conosco de tua presença e despertar o discípulo diante do Mestre em teu interior.
Venham, todos, que escute o chamado, para renovar seu olhar e ampliar sua consciência, ofertando o cuidado, o zelo merecido a si mesmo.

Seja Bem Vindos aos nosso Retiros Alma da Terra.
ORGANIZADO POR:
Patricia C. Alves WHATS 51996463154


                                                          Leonard Orr





                                                 Sahwenya Passuello
                                       





quarta-feira, 12 de julho de 2017

ABRA O CORAÇÃO, NÃO HÁ OUTRO LUGAR! A Despedida dos Velhos Padrões e o Novo- Da criança Interior a Jóia-.






Olá, seja sempre bem vinda, amada pessoa.
Escrevo de coração a teu coração, a resposta a sua pergunta, pois percebo que você está buscando compreender do que ando falando, escrevendo, isso é bacana, pois quer dizer que você, está acompanhando, e algo está te tocando em verdade.

Sinto-me feliz em coração, pois quer dizer que você está encontrando seu caminho.
Então, a primeira coisa é cuidar para não colocar energia e tentar relacionar o velho com o novo.
Esse é o Primeiro Engano que a Mente nos guia naturalmente a cometer.
É verdade, durante anos trabalhei com a Cura das Relações de Bases, partindo da Criança Interior, e sua Mãe, com seu Pai, com sua Família.

Saiba que o que um terapeuta um Orientador do Coração, tecem e falam, também se refere ao que está se passando em seu Interior.
Todos os dias milhares de memórias, biológicas passam pelas estradas de meu Ser.
Logo escrevo sobre onde está meu olhar, guiando a outros a Saírem de uma Espaço, para o Outro.

Lembra-se da História que sempre conto do Buraco?

Então, as vezes caímos no buraco, o buraco aqui é um entendimento equivocado, e responsabilizamos o lugar, o prefeito, o obreiro, todos por ter caído no buraco.
Fazemos Isso, uma centena de vezes, até que um dia, dentro do buraco nos damos conta que se nós não nos tirarmos do buraco, ninguém o fará.
Passamos a ter mais presença e cuidado, e também nasce a Compreensão de que somos totalmente responsáveis, por nos colocar nessa situação, e no buraco.
Então, quando vamos escolher uma Rua para ir ao trabalho de cada dia, escolhemos uma Nova Rua, incrível, essa Rua não tem buracos.
Logo, a Consciência, essencial nessa História, fala de assumir sua Responsabilidade, por suas escolhas,Comprometer-se em guiar-se onde está seu coração e não suas emoções, Estar Presente, ou seja cuidar da Saúde de Sua Mente, gerando Paz Interior.
A Paz é um pré-requisito e não algo a se buscar, ela precisa ser premissa, da dignidade que você possui de OFERTAR o melhor de si e o receber o melhor de quem Oferta.

Então, aqui, nessa História estamos falando da Cura das Relações de Base da Criança-Com seu Pai, Com sua Mãe, com sua Família, certo?

Vamos Investigar em nossa História, buscar a compreensão sobre Causa e Efeito,o que causou Isso, Por que aquilo, assim como as crianças de 3 anos  fazem.É Natural, pois os traumas todos eles foram fundamentados em equívocos de nosso entendimento de 0 a 3 anos de Idade.
Mesmo quando um destino pesado aconteceu, estamos falando, no fundo, no fundo, de nossas Próprias Escolhas, e onde, ainda, queremos porque queremos que uma coisa seja conforme nossas necessidades.
Nessa Ânsia de satisfazer nossos desejos, e nesse ponto, clareio, que o principal desejo humano é SER AMADO, seguimos vivendo um AMOR CEGO, que vive suas Escolhas, espelhando-se no Outro.

Esse AMOR CEGO, nos fala da necessidade de compensar o amor que recebemos, ser leal a quem amamos, de expiar, sofrer no lugar do outro, de desistir da vida pela partida do outro, a responder a essas Relações de Base que compreendemos SER A FAMÍLIA, garantindo, nessa compreensão Mágica, de que assim pertencemos, somos amados e reconhecidos por aqueles a quem amamos.

Até que descobrimos que essa Consciência Leve ou Pesada, impressa em nosso Instinto Humano, atua  nas Bio-Memorias Familiares e  na Alma Familiar.

Experienciamos, muitas vezes o alívio, o soltar o passado até aprender a Liberar essas Memórias nos campos de constelações e outras terapias familiares e vibracionais.

Até, em alguns encontros tocamos e somos tocados por um amor, até então desconhecido, distinto do AMOR CEGO, ele é um Amor Abrangente, ele inclui, ama, reconcilia, cura, acolhe a todos independente de seus acertos e seus erros.

Nesse AMOR, somos levados adiante, nele aprendemos sobre a Empatia, pois quando nos colocamos a olhar do mesmo lugar, de onde o outro está olhando, sentindo e agindo, nosso sentimento muda imediatamente, na maioria das vezes.

Compreendemos a Humanidade que ali atua, e naturalmente olhamos a nossa própria Humanidade, nessa EMPATIA, nascem a COMPAIXÃO, HUMILDADE, PERDÃO, AMOR.

Essas são as VIRTUDES são a Flor Essência da LIBERDADE
Para você, de fato se LIBERTAR, de um antigo PADRÃO é preciso conhecer de forma sentida, desde o núcleo CELULAR, para de fato LIBERAR.

Quando Isso se dá, você, está DESPERTO..

Logo na Cura das Relações de Base, mesmo você tendo vivenciado, muitas vezes o Soltar e o Libertar, a LIBERAÇÃO,  acontece, apenas quando você, TRANSITA, da Consciência ANCESTRAL-CURA DAS RELAÇÕES DE BASE  para a Consciência ESSENCIAL- DILUIÇÃO DAS MEMÓRIAS QUE PASSAM ATRAVÉS DA MEDICINA DO AMOR.

Então você se despede, do entendimento que a BASE DA VIDA É A FAMÍLIA, e integra, que a BASE DA VIDA É O AMOR.

Quando caminhamos na Jornada da Alma, estamos trilhando a Cura das Relações de Base, e compreendemos a Base da Vida, como a Família, e olhamos a CRIANÇA INTERIOR.

AO DESPERTAR, ao novo OLHAR, OLHAMOS A JORNADA DO CORAÇÃO, mergulhamos na ESSÊNCIA, o que chamo SER AMOR, não pq te convido a Ser Amor, e sim, por te afirmar que você, É Amor.
Aqui, você é convidado a treinar sucessivamente, o Soltar e Libertar, Soltar e Libertas, auxiliado pelo AMOR.
Isso é Recordar o DESPERTAR.

ATÉ QUE SINTA-SE DISSOLVIDO AO MAR.

Tua Pergunta, guardo comigo, e aqui fica a Resposta.As outras Perguntas, confio que aqui fica a dica, para que ouça as respostas no teu Silêncio.
















domingo, 9 de julho de 2017

Ordens da Ajuda Bert Hellinger

Ordens da Ajuda
Bert Hellinger




Die Ordnungen des Helfens
As Ordens de Ajudar

1. Ajuda, ajudante

As Ordens do Ajudar, que prefiro traduzir por As Ordens da Ajuda, por ser mais consoante com nosso uso.
Assim, deve-se entender por ajuda, no presente texto, principalmente a maneira de ajudar e a atitude de quem presta ajuda. Quem presta ajuda – no mais das vezes, profissionalmente – é o que Hellinger denomina “der Helfer”, e que traduzimos literalmente, na falta de termo melhor, por “o ajudante”. Nesta categoria estão compreendidos principalmente os que profissionalmente prestam assistência a outras pessoas (o médico, o terapeuta, o assistente social, o sacerdote...), como também aqueles que o fazem voluntariamente, em caráter não profissional.

2. Ordens
As “ordens”, no sentido típico de Bert Hellinger, são as leis, princípios ou ordenações básicas preestabelecidas, que devem presidir nossos comportamentos. Assim, as "ordens do amor” são as leis que devem presidir nossos relacionamentos, para que o amor seja bem sucedido, e cujo desconhecimento ou desrespeito pode ocasionar conseqüências funestas.
No presente texto, Bert Hellinger fala das ordens que devem presidir toda iniciativa de levar ajuda ao próximo e, de modo especial, a ação com objetivo ou efeito terapêutico.
********

A ajuda é uma arte. Como toda arte, envolve uma capacidade que pode ser aprendida e praticada. E envolve empatia em relação ao objeto, a saber, a compreensão do que corresponde a esse objeto e, simultaneamente, daquilo que o eleva, por assim dizer, acima de si mesmo, em algo mais abrangente.

Ajuda como compensação

Nós, seres humanos, dependemos, sob todos os aspectos, da ajuda dos outros, como condição de nosso desenvolvimento. Ao mesmo tempo, precisamos também de ajudar outras pessoas. Aquele de quem não se necessita, aquele que não pode ajudar outros, fica só e se atrofia. O ato de ajudar serve, portanto, não apenas aos outros, mas também a nós mesmos. Via de regra, a ajuda é um processo recíproco, por exemplo, entre parceiros. Ela se ordena pela necessidade de compensar. Quem recebeu de outros o que deseja e precisa, também quer dar algo, por sua vez, compensando a ajuda.

Muitas vezes, a compensação que podemos fazer através da retribuição é limitada. Isso ocorre, por exemplo, em relação a nossos pais. O que eles nos deram é excessivamente grande, para que o possamos compensar dando-lhes algo em troca. Só nos resta, em relação a eles, o reconhecimento pelo que nos deram e o agradecimento que vem do coração. A compensação pela doação, com o alívio que dela resulta, só se consegue, nesse caso, repassando essa dádiva a outras pessoas: por exemplo, aos próprios filhos.

Portanto, o processo de tomar e de dar se processa em dois diferentes patamares. O primeiro, que ocorre entre pessoas equiparadas, permanece no mesmo nível e exige reciprocidade. O outro, entre pais e filhos, ou entre pessoas em condição superior e pessoas necessitadas, envolve um desnível. Tomar e dar se assemelham aqui a um rio, que leva adiante o que recebe em si. Essa forma de tomar e dar é maior, e tem em vista também o que virá depois. Nesse modo de ajudar, o que foi doado se expande. Aquele que ajuda é tomado e ligado a uma realização maior, mais rica e mais duradoura.

Esse tipo de ajuda pressupõe que nós próprios tenhamos primeiro recebido e tomado. Pois só então sentimos a necessidade e temos a força para ajudar a outros, especialmente quando essa ajuda exige muito de nós. Ao mesmo tempo, ela parte do pressuposto de que as pessoas a quem queremos ajudar também necessitam e desejam o que podemos e queremos dar a elas. Caso contrário, nossa ajuda se perde no vazio. Então ela separa, ao invés de unir.

A primeira ordem da ajuda

As ordens da ajuda Imprimir E-mail
Escrito por Bert Hellinger
Uma síntese ampliada
(Maio, 2003)

Tradução: Newton A. Queiroz
Setembro de 2003

A primeira ordem da ajuda consiste, portanto, em dar apenas o que temos, e em esperar e tomar somente aquilo de que necessitamos. A primeira desordem da ajuda começa quando uma pessoa quer dar o que não tem, e a outra quer tomar algo de que não precisa; ou quando uma espera e exige da outra algo que ela não pode dar, porque não tem. Há desordem também quando uma pessoa não tem o direito de dar algo, porque com isso tiraria da outra pessoa algo que somente ela pode ou deve carregar, ou que somente ela tem a capacidade e o direito de fazer. Assim, o dar e o tomar estão sujeitos a limites, e pertence à arte da ajuda percebê-los e respeitá-los.

Essa ajuda é humilde, e muitas vezes, em face da expectativa e da dor, ela renuncia a agir. O trabalho com as constelações familiares coloca diante de nossos olhos o que deve exigir quem ajuda, tanto de si mesmo quanto da pessoa que busca ajuda. Essa humildade e essa renúncia contradizem muitas concepções usuais sobre a correta maneira de ajudar, e freqüentemente expõem o ajudante a graves acusações e ataques.

A segunda ordem da ajuda

A ajuda está a serviço da sobrevivência, por um lado, e da evolução e do crescimento, por outro. Todavia, a sobrevivência, a evolução e o crescimento também dependem de circunstâncias especiais, tanto externas quanto internas. Muitas circunstâncias externas são preestabelecidas e não são modificáveis: por exemplo, uma doença hereditária, as conseqüências de acontecimentos ou de uma culpa. Quando a ajuda deixa de considerar as circunstâncias externas ou se recusa a admiti-las, ela se condena ao fracasso. Isto vale, com maior razão, para as circunstâncias internas. Elas incluem a missão pessoal particular, o envolvimento nos destinos de outros membros da família, e o amor cego que, sob o influxo da consciência, permanece vinculado ao pensamento mágico. O que isso significa em casos particulares eu expus exaustivamente em meu livro “ Ordens do Amor”, no capítulo “Do céu que faz adoecer, e da terra que cura”.

Para muitos ajudantes, o destino da outra pessoa pode parecer difícil, e gostariam de modificá-lo; não, porém, muitas vezes, porque o outro o necessite ou deseje, mas porque os próprios ajudantes dificilmente suportam esse destino. E quando o outro, não obstante, se deixa ajudar por eles, não é tanto porque precise disso, mas porque deseja ajudar o ajudante. Então, quem ajuda realmente está tomando, e quem recebe a ajuda se transforma em doador.

A segunda ordem da ajuda é, portanto, que ela se amolde às circunstancias e só intervenha com apoio na medida em que elas o permitem. Essa ajuda mantém reserva e possui força. Há desordem da ajuda, neste caso, quando o ajudante nega as circunstâncias ou as encobre, ao invés de encará-las, juntamente com a pessoa que busca a ajuda. Querer ajudar contra as circunstâncias enfraquece tanto o ajudante quanto a pessoa que espera ajuda ou a quem ela é oferecida ou mesmo imposta.

O protótipo da ajuda

O protótipo da ajuda é a relação entre pais e filhos e, principalmente, a relação entre a mãe e o filho. Os pais dão, os filhos tomam. Os pais são grandes, superiores e ricos, ao passo que os filhos são pequenos, necessitados e pobres. Contudo, porque os pais e os filhos são ligados entre si por um profundo amor, o dar e o tomar entre eles pode ser quase ilimitado. Os filhos podem esperar quase tudo de seus pais. E os pais estão dispostos a dar quase tudo a seus filhos. Na relação entre pais e filhos, as expectativas dos filhos e a disposição dos pais para atendê-las são necessárias; portanto, estão em ordem.

Contudo, elas só estão em ordem enquanto os filhos ainda são pequenos. Com o avançar da idade, os pais vão impondo aos filhos, em escala crescente, limites com os quais eles eventualmente se atritam e podem amadurecer. Estarão sendo os pais, nesse caso, menos bondosos para com seus filhos? Seriam pais melhores se não colocassem limites? Ou, pelo contrário, eles se manifestam como bons pais justamente ao exigirem de seus filhos algo que também os prepara para uma vida de adultos? Muitos filhos ficam então com raiva de seus pais, porque preferem manter a dependência original. Contudo, justamente porque os pais se retraem e desiludem essas expectativas, eles ajudam seus filhos a se livrarem dessa dependência e, passo a passo, a agirem por própria responsabilidade. Só assim os filhos tomam o seu lugar no mundo dos adultos e se transformam de tomadores em doadores.

A terceira ordem da ajuda

Muitos ajudantes, por exemplo, na psicoterapia e no trabalho social, acham que precisam ajudar os que lhes pedem ajuda, da mesma forma como os pais ajudam seus filhos pequenos. Inversamente, muitos que buscam ajuda esperam que os ajudantes se dediquem a eles como os pais se dedicam a seus filhos, no intuito de receber deles, tardiamente, o que esperam e exigem dos próprios pais.

O que acontece quando os ajudantes correspondem a essas expectativas? Eles se envolvem numa longa relação. Aonde leva essa relação? Os ajudantes ficam na mesma situação dos pais, em cujo lugar se colocaram com essa vontade de ajudar.

Passo a passo, eles precisam impor limites aos que buscam ajuda, decepcionando-os. Então estes desenvolvem freqüentemente, em relação aos ajudantes, os mesmos sentimentos que tinham antes em relação a seus pais. Assim, os ajudantes que se colocaram no lugar dos pais, querendo mesmo, talvez, ser pais melhores, tornam-se, para os clientes, iguais aos pais deles. Porém muitos ajudantes permanecem presos na transferência e na contratransferência da relação entre filho e pais. Com isso, dificultam ao cliente a despedida, tanto de seus pais quanto dos próprios ajudantes. Ao mesmo tempo, uma relação segundo o modelo da transferência entre pais e filhos impede também o desenvolvimento pessoal e o amadurecimento do ajudante.

Vou ilustrar isso com um exemplo:

Quando um homem jovem se casa com uma mulher mais velha, ocorre a muitos a imagem de que ele procura um substitutivo para sua mãe. E o que procura ela? Um substitutivo para seu pai. Inversamente, quando um homem mais velho se casa com uma moça mais jovem, muitos dizem que ela procurou um pai. E ele? Procurou uma substituta para sua mãe. Assim, por estranho que soe, quem se obstina por muito tempo numa posição superior e mesmo a procura e quer manter, recusa-se a assumir seu lugar entre adultos equiparados.

Existem, porém, situações, em que convém que, por algum tempo, o ajudante represente os pais: por exemplo, quando um movimento amoroso precocemente interrompido precisa ser levado a seu termo. Contudo, diferentemente da transferência da relação entre pais e filhos, o ajudante apenas representa aqui os pais reais. Ele não se coloca em lugar deles, como se fosse uma mãe melhor ou um pai melhor. Por esta razão, também não é preciso que o cliente se desprenda do ajudante, pois este o leva a afastar-se dele e a voltar-se para os próprios pais. Então o ajudante e cliente se liberam mutuamente.

Mediante a adoção desse padrão de sintonia com os pais verdadeiros, o ajudante frustra, desde o início, a transferência da relação entre os pais e o filho. Pois, quando respeita em seu coração os pais do cliente, e fica em sintonia com esses pais e seus destinos, o cliente encontra nele os seus pais, dos quais já não pode esquivar-se. A mesma coisa vale quando o ajudante precisa lidar com crianças ou deficientes físicos. Na medida em que ele apenas representa os pais, e não se coloca em seu lugar, os clientes podem sentir-se em segurança com ele.

A terceira ordem da ajuda seria, portanto, que, diante de um adulto que procura ajuda, o ajudante se coloque igualmente como um adulto. Com isso, ele recusa as tentativas do cliente para fazê-lo assumir o papel dos pais. É compreensível que essa atitude do ajudante seja sentida e criticada, por muitas pessoas, como dureza. Paradoxalmente, essa “dureza” é criticada por muitos como arrogância. Quem olha bem, vê que a arrogância consistiria antes no envolvimento do ajudante numa transferência da relação entre pais e filho.

A desordem da ajuda consiste aqui em permitir a um adulto que faça ao ajudante as exigências de um filho a seus pais, para que o trate como criança e o poupe de algo pelo qual somente o cliente pode e deve carregar a responsabilidade e as conseqüências. É o reconhecimento dessa terceira ordem da ajuda que constitui a mais profunda diferença entre o trabalho das constelações familiares e psicoterapia habitual.

A quarta ordem da ajuda

Sob a influência da psicoterapia clássica, muitos ajudantes freqüentemente encaram seu cliente como um indivíduo isolado. Com isso, também se expõem facilmente ao risco de assumirem a transferência da relação entre pais e filho. Contudo, o indivíduo é parte de uma família. Somente quando o ajudante o percebe assim é que ele percebe de quem o cliente precisa, e a quem ele possivelmente está devendo algo.

O ajudante realmente percebe o cliente a partir do momento em que o vê junto com seus pais e antepassados, e talvez também junto com seu parceiro e com seus filhos. Então ele percebe quem, nessa família, precisa principalmente de sua atenção e de sua ajuda, e a quem o cliente precisa dirigir-se para reconhecer os passos decisivos e levá-los a termo. Isto significa que a empatia do ajudante precisa ser menos pessoal e – principalmente - mais sistêmica. Ele não se envolve num relacionamento pessoal com o cliente. Esta é a quarta ordem da ajuda.

A desordem da ajuda, neste caso, consistiria em não contemplar nem honrar outras pessoas essenciais, que teriam em suas mãos, por assim dizer, a chave da solução. Incluem-se entre elas, sobretudo, aquelas que foram excluídas da família, por exemplo, porque os outros se envergonharam delas.

Também aqui é grande o perigo de que essa empatia sistêmica seja sentida como dureza pelo cliente, sobretudo por aqueles que fazem reivindicações infantis ao ajudante. Pelo contrário, aquele que busca a solução, de maneira adulta, sente esse enfoque sistêmico como uma liberação e uma fonte de força.

A quinta ordem da ajuda

O trabalho da constelação familiar aproxima o que antes estava separado. Nesse sentido, ele está a serviço da reconciliação, sobretudo com os pais. O que impede essa reconciliação é a distinção entre bons e maus membros da família, tal como é feita por muitos ajudantes, sob o influxo de sua consciência e de uma opinião pública presa nos limites dessa consciência. Por exemplo, quando um cliente se queixa de seus pais, das circunstâncias de sua vida ou de seu destino, e quando um ajudante se associa à visão desse cliente, ele serve mais ao conflito e à separação do que à reconciliação. Portanto, alguém só pode ajudar, no sentido da reconciliação, quando imediatamente dá um lugar em sua alma à pessoa de quem o cliente se queixa. Assim, o ajudante antecipa na própria alma o que o cliente ainda precisa realizar na sua.

A quinta ordem da ajuda é portanto o amor a cada pessoa como ela é, por mais que ela seja diferente de mim. Dessa maneira, o ajudante abre a essa pessoa o seu coração, de modo que ela se torna parte dele. Aquilo que se reconciliou em seu coração também pode reconciliar-se no sistema do cliente. A desordem da ajuda seria aqui o julgamento sobre outros, que geralmente é uma condenação, e a indignação moral associada a isso. Quem realmente ajuda, não julga.

A percepção especial

Para poder agir de acordo com as ordens da ajuda, não é preciso qualquer percepção especial. O que eu disse aqui sobre as ordens da ajuda não deve ser aplicado de forma precisa e metódica. Quem tentar isso estará pensando, ao invés de perceber. Ele reflete e recorre a experiências anteriores, em vez de se expor á situação como um todo e apreender dela o essencial. Por isso, essa percepção envolve ambos os aspectos: ela é simultaneamente direcionada e reservada. Nessa percepção, eu me direciono a uma pessoa, porém sem querer algo determinado, a não ser percebê-la interiormente, de uma forma abrangente, e com vistas ao próximo ato que se fizer necessário.

Essa percepção surge do centramento. Nela, eu abandono o nível das ponderações, dos propósitos, das distinções e dos medos, e me abro para algo que me move imediatamente, a partir do interior. Aquele que, como representante numa constelação, já se entregou aos movimentos da alma e foi dirigido e impelido por eles de uma forma totalmente surpreendente, sabe de que estou falando. Ele percebe algo que, para além de suas idéias habituais, o torna capaz de ter movimentos precisos, imagens internas, vozes interiores e sensações inabituais.

Esses movimentos o dirigem, por assim dizer, de fora, e simultaneamente de dentro. Perceber e agir acontecem aqui em conjunto. Essa percepção é, portanto, menos receptiva e reprodutiva. Ela é produtiva; leva à ação, e se amplia e aprofunda no agir.

A ajuda que decorre dessa percepção é geralmente de curta duração. Ela fica no essencial, mostra o próximo passo a fazer, retira-se rapidamente e despede o outro imediatamente em sua liberdade. É uma ajuda de passagem. Há um encontro, uma indicação, e cada um volta a trilhar o próprio caminho. Essa percepção reconhece quando a ajuda é conveniente e quando seria antes danosa. Reconhece quando a ajuda coloca tutela ao invés de promover, e quando serve para remediar antes a própria necessidade do que a do outro. E ela é modesta.

Observação, percepção, compreensão, intuição, sintonia

Talvez seja útil descrever aqui ainda as diferentes formas de conhecimento, para que, quando ajudamos, possamos recorrer ao maior número delas que for possível, e escolher entre elas. Começo pela observação.

A observação é aguda e precisa, e tem em vista os detalhes. Como é tão exata, é também limitada. Escapa-lhe o entorno, tanto o mais próximo quando o mais distante. Pelo fato de ser tão exata, ela é próxima, incisiva, invasiva e, de certa maneira, impiedosa e agressiva. Ela é condição para a ciência exata e para a técnica moderna decorrente dela.

A percepção é distanciada. Ela precisa da distância. Ela percebe simultaneamente várias coisas, olha em conjunto, ganha uma impressão do todo, vê os detalhes em seu entorno e em seu lugar. Contudo, é imprecisa no que toca aos detalhes. Este é um dos lados da percepção. O outro lado é que ela entende o observado e o percebido. Ela entende o significado de uma coisa ou de um processo observação e percebido. Ela vê, por assim dizer, por trás do observado e do percebido, entende o seu sentido. Acrescenta, portanto, à observação e à percepção externa uma compreensão.

A compreensão pressupõe observação e percepção. Sem observação e percepção, também não existe compreensão. E vice-versa: sem compreensão, o observado e percebido permanece sem relação. Observação, percepção e compreensão compõem um todo. Somente quando atuam em conjunto é que percebemos de uma forma que nos permite agir de forma significativa e, principalmente, também ajudar de uma forma significativa.

Na execução e na ação, freqüentemente aparece ainda um quarto elemento: a intuição. Ela tem afinidade com a compreensão, assemelha-se a ela, mas não é a mesma coisa. A intuição é a compreensão súbita do próximo passo a dar. A compreensão é muitas vezes geral, entende todo o contexto e todo o processo. A intuição, em contraposição, reconhece o próximo passo e, por isso, é exata. Portanto, a relação entre a intuição e a compreensão é semelhante à relação entre a observação e a percepção.

Sintonia é uma percepção a partir do interior, num sentido amplo. Como a intuição, ela também se direciona para a ação, principalmente para a ação de ajuda. A sintonia exige que eu entre na mesma vibração do outro, alcance a mesma faixa de onda, sintonize com ele e o entenda assim. Para entendê-lo, também preciso ficar em sintonia com sua origem, principalmente com seus pais, mas também com seu destino, suas possibilidades, seus limites, e também com as conseqüências de seu comportamento e de sua culpa; e, finalmente, com sua morte.

Ficando em sintonia, eu me despeço, portanto, de minhas intenções, de meu juízo, de meu superego e de suas exigências sobre o que eu devo e preciso ser. Isso quer dizer: fico em sintonia comigo mesmo, da mesma forma que com o outro. Dessa maneira, o outro também pode ficar em sintonia comigo, sem se perder, sem precisar temer-me. Da mesma forma, também posso ficar em sintonia com ele permanecendo em mim mesmo. Não me entrego a ele, mas mantenho distancia na sintonia. Com isso, ao ajudá-lo, posso perceber exatamente o que posso fazer e o que tenho o direito de fazer. Por esta razão, a sintonia é também passageira. Ela dura apenas enquanto dura a ação da ajuda. Depois, cada um volta à sua própria vibração. Por esta razão, não existe na sintonia transferência nem contratransferência, nem a chamada relação terapêutica. Portanto, um não assume a responsabilidade pelo outro. Cada um permanece livre do outro.Sobre o movimento interrompido.
Quando uma criança pequena não teve acesso à mãe ou ao pai, embora precisasse deles com urgência e ansiasse por eles, por exemplo, numa longa internação hospitalar, esse anseio se transforma em dor de perda, em desespero e raiva. A partir daí, a criança se retrai diante de seus pais e, mais tarde, também de outras pessoas, embora anseie por eles. Essas conseqüências de um movimento amoroso precocemente interrompido são superadas quando o movimento original é retomado e levado a seu termo. Nesse processo, o ajudante representa a mãe ou o pai daquele tempo, e o cliente pode completar o movimento interrompido, como a criança de então.

Ordens do Amor Bert Hellinger.

                       Ordens do Amor
                         Bert Hellinger.









Todos temos uma consciência pessoal, a qual percebemos como “leve” ou “pesada”.
Sentimos essa consciência avaliar nossos atos. Muitos julgam inclusive ser essa consciência o juiz do “certo” e do “errado”.
Esse é um engano muito comum.
Nossa consciência pessoal nada tem a ver diretamente com o certo ou o errado.
Ela se guia por outros princípios, que podem ou não estar ligados ao que é denominado de moralmente “certo” ou “errado”.

A descoberta desses princípios por Anton Hellinger descortinou um universo de percepções sobre a natureza de nossos relacionamentos familiares e por extensão, a todos os demais grupos aos quais cada ser humano está ligado.
Investigando a forma como cada um se sentia muitas vezes inocente (ou de consciência “leve”) mesmo cometendo atos agressivos, violentos e que prejudicavam a si e a outros, Hellinger percebeu que a consciência pessoal se liga a três princípios, a saber:

• Um princípio vinculador, que estabelece o pertencimento ao grupo
• Um princípio de equilíbrio nas trocas, entre o dar e o receber
• Um princípio de ordem ou hierarquia dentro do grupo

Nos sistemas familiares, quando alguém faz algo que ameaça seu pertencimento ao grupo sente imediatamente a consciência “pesada”. Por exemplo, se alguém se depara com o fato de estar saudável, mas todos os membros de seu grupo familiar estiverem muito doentes, vai se sentir “culpado”. Ou um membro de uma família de criminosos, sente-se “culpado” se não comete ele também algum delito. Estranho, não é? Especialmente estranho, porque nesses casos, essas pessoas se sentiriam “inocentes” – ou de consciência leve – fazendo coisas que no primeiro caso (adoecer junto com os demais membros da família) seria uma coisa “ruim” e no segundo (não cometer nenhum delito) seria uma coisa “boa”.

Seguindo os dois princípios seguintes, podemos perceber que quando recebemos algo bom, sentimos uma pressão interna para retribuir, o que é na verdade uma forma de consciência pesada, percebida como dívida. No caso da ordem, se temos que agir de forma a repreender alguém que está acima de nós na hierarquia, percebemos isso como algo que nos deixa “de saia justa” – por outro lado, se o fazemos com um subordinado, isso não nos pesa tanto.

Mas Hellinger ainda descobriu um outro fato surpreendente e que na maior parte do tempo nos escapa da percepção. Ele descobriu a existência de uma consciência grupal comum que atua sobre um grupo bem delimitado de pessoas de cada grupo familiar.

Esse grupo é guiado por essa consciência de forma que só podemos perceber a existência dela através de seus efeitos. Nós não a percebemos como “leve” ou “pesada” da mesma forma como percebemos a consciência pessoal. Essa consciência grupal também se guia pelos mesmos princípios anteriormente citados, mas de forma diferente. Podemos explicar isso de forma simples assim:

• Em relação ao vínculo, a consciência grupal não permite que qualquer membro do grupo seja esquecido, expulso ou excluído sem exigir uma compensação. Caso ocorra, ela vai exigir que um descendente que vem mais tarde (e que frequentemente nada sabe ou nem mesmo participou do fato) repita o destino do excluído ou aja de forma similar a ele (sem o saber).
• Em relação ao equilíbrio, essa consciência exige uma compensação adequada para o que foi dado e recebido. Se alguém recebe demais e não equilibra isso, então um descendente tem a propensão de fazê-lo em seu lugar.
• Em relação à ordem, essa consciência não admite a interferência dos pequenos nos assuntos dos maiores, sob pena de os primeiros se sentirem (sem perceber) tentados a expiar sua interferência através do fracasso, da doença e de destinos difíceis.

Dito isso, fica então muitas vezes claro que alguém, agindo de “boa consciência”, frequentemente por amor, infringe as regras da consciência de grupo, chamada por Hellinger de consciência arcaica ou também de “alma” (não no sentido religioso, mas no sentido latino da palavra, “aquilo que empresta movimento a algo”). Ao faze-lo sobrevém então os efeitos desastrosos, seja para si, ou mais frequentemente para seus descendentes. Hellinger denominou esses princípios de “Ordens do Amor”. Pois eles atuam através do amor profundo entre descendentes e antepassados. Hoje, denominamos "Leis Naturais do Amor", pois na verdade é uma lei da natureza, assim como a gravidade. Elas atuam independente do nosso conhecimento, concordância, opinião etc.

Suas percepções abriram também as portas para aquilo que as vezes permite a solução entre tais desordens, através de um amor mais amplo, consciente, que ultrapassa os limites restritos da consciência pessoal.

É nesse âmbito que se desenvolvem as Constelações Familiares, buscando restaurar a harmonia entre as ordens do amor dentro de cada grupo familiar.
Isso torna então muitas vezes compreensível o comportamento de cada membro familiar, bem como encontra uma saída para a expressão de seu amor.

Desde a reconstrução na década de 1970, a meditação no banho foi uma ocorrência normal duas vezes por dia. Tornou-se uma das minhas principais prioridades, juntamente com a purificação de fogo que eu adicionei em 1981.

A meditação prática é perceber o que realmente está acontecendo em nossa própria mente e corpo. Temos que observar objetivamente a nossa mente subjetiva.

sábado, 8 de julho de 2017

VÍRUS — BACTÉRIAS — VERMES

VÍRUS — BACTÉRIAS — VERMES
Por Regina Cairo


Quando estamos em perfeita harmonia com a energia do ki (energia da vida), a vitalidade flui inesgotavelmente por todo o nosso organismo e por todo o nosso ambiente. Ao rompermos o equilíbrio das energias cósmicas de nosso ser, tudo que vivia em seu respectivo lugar passa a invadir espaços alheios como forma de desarmonia.
Tudo é harmonioso no ecossistema de nossas florestas. Todo ser vivo, de alguma forma, interage por dependência. A razão disso é que nenhum deles consegue produzir todas as substâncias de que necessita para o funcionamento de seu organismo. Os animais comem plantas porque estas produzem açúcares e certos aminoácidos que seus organismos ”não sabem” sintetizar. Outras espécies comem animais que comem plantas, pela mesma razão. E as plantas, por sua vez, precisam do nitrogênio que é fixado no solo pela ação das bactérias que vivem na terra e nas raízes, pois sem esses elementos não poderiam fabricar aminoácidos. É o ciclo vital!
Na biosfera habitam seres vivos que constituem uma rede de organismos que aumentam em número e que, nessa tendência, produzem variadas formas de substâncias de que todos os organismos necessitam. Visto pelos olhos dos pesquisadores, eles se encontram numa luta sem fim pela sobrevivência, que é expressa através de combates e competições biológicas. Mas, na verdade, estes seres vivem em coerência e harmonia, cada qual em seu nível de evolução.
O homem considera esses microorganismos como seus inimigos mortais. Durante milênios esses seres invisíveis devastaram lavouras, dizimaram rebanhos, exterminaram grupos humanos, sem que sua ação pudesse ser detectada. Somente após a invenção dos microscópios óticos e eletrônicos é que eles foram sendo descobertos e analisados. Pôde-se então conhecer seus hábitos e, conseqüentemente, desenvolver armas e táticas para tentar erradicá-los.
Até hoje, entretanto, nem mesmo com todo o desenvolvimento altamente tecnológico, o homem conseguiu derrotá-los, simplesmente porque acredita que são seus ”inimigos” mortais.
Como prova disso, o pesquisador dr. Alexander Gurvich, afirmou que ”todas as células vivas produzem uma radiação invisível” e descobriu a existência de raios a que chamou de radiações mitogenéticas, os quais são produzidos durante a divisão celular.
Esse mesmo pesquisador fez um experimento o qual denominou ”o canhão de cebola”: colocou a ponta de uma raiz de cebola ao lado de outra para que, supostamente, a radiação da primeira influísse sobre a da segunda. O que aconteceu? A segunda cebola aumentou o seu crescimento em 25%! Mas o pesquisador observou também que essa radiação acelerava o desenvolvimento de fungos e bactérias. Gurvich estendeu suas observações ao ser humano e concluiu que eles, igualmente, emitem radiações mitogenéticas e que as enfermidades alteram sua produção. Se uma pessoa doente segura em suas mãos um cultivo de leveduras por cinco ou dez minutos, as células do cultivo começam a morrer. Os mesmos experimentos também foram realizados pelo dr. Otto Rahn, da Universidade de Cornell.
Enquanto as pessoas estiverem sugestionadas pela idéia do ”inimigo presente”, sua mente interferirá constantemente no ciclo natural desses seres.
Foram feitas outras comprovações a respeito da influência mental do ser humano sobre organismos vivos: descobriu-se que podemos neutralizar ou acelerar seu desenvolvimento conforme a nossa convicção.
O psicólogo soviético V. M. Pushkin e sua equipe de cientistas trabalharam com um eletroencefalógrafo (EEG) conectado a um indivíduo e a uma planta. Eles observaram que quando a pessoa, sob efeito hipnótico, sentia tristeza, o aparelho indicava que a planta sentia a mesma coisa, que ela apresentava uma mudança no seu equilíbrio elétrico que foi interpretada como ”emoção” semelhante à do indivíduo.
No manual de experimentos parapsíquicos, de Sheila Ostrander Y Lynn Scheder, cap. 3, páginas 42 a 46, são descritos vários desses experimentos.
Sabemos então que os supostos ”inimigos invisíveis” não são, verdadeiramente, nossos inimigos e sim seres que permanecerão em seu ambiente se mantivermos a necessária harmonia e tranqüilidade em nossos corações.
Somos parte do ecossistema e nos comunicamos com todos os seres pelo inconsciente coletivo, por isso, podemos alterar nossa saúde e nosso ambiente.
Seja pela radiação mitogenética, seja pela corrente elétrica da energia vital ou simplesmente porque sabemos, internamente, o caminho para essa comunicação.
Se somos atacados por esses ”inimigos” é devido à nossa ignorância das leis que regem o convívio harmônico do conjunto de vidas do planeta e do Univero.
Existem muitos fenômenos naturais que permanecem ignorados porque o homem os rejeita como realidade.
Em última análise a nossa mente, ou a energia do nosso pensamento, age de forma semelhante ao ímã: ao pensarmos em determinada coisa, os átomos, emitidos pelo pensamento em uma freqüência sutil, transformam-se em vibrações contínuas, onduladas ou fragmentadas, que alcançarão, mais cedo ou mais tarde, o ”alvo” pensado. Lembre-se que as vibrações semelhantes se atraem, portanto, desfaça-se, rapidamente, de todos os pensamentos negativos que criou, devido a crenças errôneas, influências externas e todo tipo de sentimento autodestrutivo. Assim, a Natureza agirá a seu favor e seu corpo estará protegido de ”ataques” de seres que, apenas, estavam sendo atraídos pelo tipo de vibrações emitidas por você mesmo.
O tempo se encarregará de despertar no cérebro do homem a verdade, conforme a necessidade.
Linguagem do Corpo - Aprenda a Ouvi-lo para uma Vida Saudável






A Morte e a Vida-Saúde e a Doença.


Bem Vindos, a Morada dos Avós-Alma da Terra, blog da Natural Medicina.
Hoje você, encontrará textos que escrevo quando meu coração pede para ofertar, algo precioso, tal como uma jóia oferto a você, Jóia preciosa e única.
Vou falar um pouco de um assunto, que normalmente é Tabu, a Morte.
Acredito que quando conversarmos sobre o tema, sem sermos arrastados pelas biomemórias de nosso Organismo, nos tornaremos Seres Livres, livres na Mente, no Corpo, no Coração e Na vida.
Tenho me dedicado a liberação do Ser, nesse movimento Libertário, Pacífico e amoroso, o convido a estar consigo desprendendo o principal medo Humano, o medo da Morte.
Essa Aprendizagem nos confere o Flor é Ser da Consciência, despedindo-nos das Ilusões, despertamos para a única verdade, aquela que vivemos aqui, nesse momento.
Então Sigamos, juntos, nesse Olhar, um olhar que convida ao Novo, adiante, em direção a Vida.
Está disposto, a entrar em contato com esse assunto?

Ao ler, até o final do texto, convido a sua visão ampliar, elucidando a compreensão sobre a Vida e a Morte, a Saúde e a Morte, o Envelhecimento e a Imortalidade, e aqueles que estiverem atentos, encontrarão pista para o Veneno se tornar Néctar.

Quando o organismo animal e Humano, vivencia uma mudança brusca hormonal, ou a Perda de pessoas queridas, ainda estando envolvido a ajudar pessoas próximas em situações de risco, e quem sabe diante do incio ou finalização da Cura de um Trauma de Origem, ou ainda diante dos principais traumas humanos,onde é levado a perceber o quanto aprendeu sobre o desapego, a efemeridade, o caminho da transformação e mudança.Podendo estar diante,ainda, de suas relações  traumáticas com as Histórias Internas que incluem o homem e a Mulher que o habitam e suas Relações transgeracionais em  vidas expressas em diferentes tempos e dimensões.
Instaura-se o  estado de Stress, Fadiga e Somatização, quando um Vício é ativado junto a um trauma e as comuns revisões ofertadas nas aberturas e fechamentos de Ciclos.

Então o que se passa diante da Biologia do Amor?

Nossa Energia se espalha.
Nossa Mente, circula, e repete na velocidade da Luz.
Nosso Pensamento, dissocia.Nossa Visão, vê, cabelo em clara de Ovo.
Nossa Escuta se ausenta, junto com a nossa Presença.
Nossa Emoções, oscilam, o medo toma conta, para nos proteger de ferir a nós mesmos, ao outro e ser ferida.Tudo Paralisa.A Urgência é estabelecida.
A Ânsia da Morte se expressa-Aqui o Trauma está a Flor da Pele.
Alteram-se nossos Hormônios, a química .desequilibra, frente ao trauma do Nascimento.Esse Movimento se Repete.
Somatizando, até que as Vísceras passam a subsidiar a Energia.A Pressão Arterial ou baixa muito ou eleva-se.
Nosso Coração, sobrecarrega, super-aquece.
Segue a Buscar a Energia do Tecido das células.
Nosso organismo baixa a Imunidade, adoece.
O Caos se estabelece, as emoções tomam conta,a química desequilibra, a energia precisa ser resposta, pois está sendo utilizada rapidamente para manter o funcionamento da Máquina Humana.
É nesse Momento que os irmãos da densidade chegam-
Vermes, Candidíase,Bactérias, Vírus.
Aqui o Ser está diante ao teste da Força Removedora dos Obstáculos e a Fé Inquebrantável.
O quanto amadureceu e floresceram as Virtudes da Compaixão e Humildade consigo mesmo, o quanto já ofertou seu melhor ou o quanto insiste em se enganar, nutrindo a Consciência Negativa e com Medo de Viver novamente a Dor do trauma.
Todo nosso Ser busca ajuda, medica, terapêutica, energética para retornar ao equilíbrio e o estado de paz.
Está a frente a Morte, seja Simbólica e ou Biológica.
O que o leva a resignificar o entendimento sobre Vida e Renascimento, Morte e Imortalidade.
O que o Convida, a ir mais profundo na Essência de seu Ser, ou a desistir.
Elucidando o caminho, descobre o Descanso, em meio a todo esse movimento acima, apoiado apenas na confiança e o vinculo de amor, com aqueles que o ama.São aos mãos que ajudam, servem e abençoam.
Até que descubra na Vida, no Interior de seu Corpo, em seu Coração, o espaço que fica por de trás de tudo Isso, nesse Espaço está a Jóia.
A Jóia da Existência, ela está intocada e é só amor.
Logo ao invés de utilizar toda sua energia para lutar contra a dor e o sofrimento, lute pelo amor, pela paz, e mais adiante, não precisarás mais lutar, poderá apenas confiar em você mesmo, na Existência.
Tudo Isso se dá por temer a Morte, e quanto mais teme mais adversidades, projeções em suas relações e dificuldades em seu caminhar se expressam.
A Vida é formada por momentos, onde tudo nasce, desenvolve-se e morre, morre para nascer de nova forma.
Logo o que é a Morte?
Se não um atravessar entre o Velho e o Novo!
Quando Soltamos o Medo da Morte, Soltamos a Ânsia da Morte, tão falada por Leonard Orr, e seguimos ao Novo tão citado por Bert.
Todo a Energia gerada por esse Medo, pode ser reprogramada, essa é a Benção.
Então, comecemos.Estejamos Receptivos a Vida, caminhemos na verdade e escuta donosso Coração.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Medicina do Amor- Florais e Bênçãos.

Medicina do Amor- Florais e Bênçãos.
Desta simples Magia florescem as Virtudes do Coração.





Segundo o olhar revelado aos meus olhos que atentos como criança curiosa acompanha as fadas tecedeiras assisto as artesãs das estações tecerem os mantos que cobrem o corpo da Mãe Natureza. Ela a guia dos brotos da Magia que desperta o coração.

As águas que trazem as vibrações da Alma da Terra seguem a Magia por onde as Virtudes despertam. A jornada da alma humana convida a despertar da Consciência.
 E o que seria este tal despertar?
No centro espiritual do Coração, como uma flor em botão encontra-se o Chacra do cardíaco.
No centro do botão em flor encontram-se as Virtudes.

Os valores, a ética e os principio que guiam a Consciência seguem o diapasão, a frequência e a vibração dos sons do coração.

O pulsar do coração guarda dentro de si infinitas combinações de pulsações as quais guardam memórias sonoras da origem da vida.

Na medida em que as ondas musicais do coração vão reverberando em novas frequências sons guiam a essência.O botão em flor ao desabrochar de cada pétala uma virtude em genuína expressão, revelam o manancial de amor que se derrama em Bençãos de Amor.
Para as Virtudes florescerem no Sol da Primavera o convite é transformar e renovar a forma de olhar a vida e suas relações.
Reprogramar a Mente, requalificar os sentimentos, desenvolver as percepções que nutrem a vida e liberando a energia pura.
Quando a Energia do amor abraça, tudo o que você não é, dissolve-se por Completo.
O toque da Alma da Terra derrama as virtudes necessárias para auxiliar na transformação por exemplo do Orgulho em humildade.

Floresce a pétala da humildade em sua exuberância a qual auxilia a ver o universo de outra forma. Compartilha a certeza do lugar que ocupa, do espaço ao qual pertence, do tempo possível para movimentar-se, estabelece limites claros e autoriza o ser a comunicar a verdade interior.

O caminho da beleza desta pétala chamada humildade convida ao reconhecimento do valor dentro de si e naturalmente o valor fora de si,o valor em suas relações e no mundo ao qual pertence.
Assim quando a Pétala da Humildade se abre sua contraparte mestra o orgulho pode a ela integrar-se. Agora como energia que flui no fluxo da Humildade.
Ao retornar ao seu lar, o coração, é estar em casa, na Morada dos Avós, tudo é seguro, existe a confiança plena, expande o sentimento de confiança e rendição, descansamos e a vida pode fluir.
As Bênçãos do Amor, estão movendo a nível sutil, criando ondas de luz, guiando ao contato com a Fonte de sua Existência a Origem da Vida, em sua Árvore Ancestral.
Estar no Ventre, em proteção recebendo a Nutrição necessária, que restaura os vínculos e torna Completo os Movimentos, no Circulo Completo do Amor.
A Respiração da Pulsação da Vida, se revela naturalmente, orientando ao Flor é Ser-Amor.
Desta simples Magia florescem as Virtudes do Coração,o  reconhecimento que és uma Jóia da Existência.
Sua Beleza   é revelada ao mundo, suscitando a sua volta que todos descubram suas Jóias e brilhem ao Mundo.
Esse é o Flor é Ser da Consciência de amor a Vida.
Orientação a Jornada do Coração.

ALQUIMIAS ALMA DA TERRA.






ALQUIMIAS ALMA DA TERRA.
Laboratório.

Essências Produzidas em Estoque a partir de:Lugares,Cristais, Flores, Árvores, Cipós, Cogumelos, Frequências da Existência- .

A JORNADA DA ALMA.

1-ALEGRIA -
2-AMOR LIVRE -
3-ANGELITUDE-
4-ABUNDÂNCIA
5-ACEITAÇÃO (1)-
6-ÁRVORE DA VIDA (2)-.
7-ACALENTO (1)-
8-AVENTURA (1)-
9-ANCESTRALIDADE (2)-
10-BROTANDO DAS ÁGUAS (1)
11-CANDURA -
12-CONFIANÇA (2)-
13-CONTATO COM O PAI (1)-
14-CONTATO COM A MÃE -
15-CURA EMOCIONAL (1)-
16-CRIATIVIDADE (1)-.
17-COMPAIXÃO (2)-
18-CRIANÇA INTERIOR – ACONCHEGO-
19-CORAGEM (1)-
20-CLAREZA EMOCIONAL -PROSPERIDADE (1) -
21-DESAPEGO (3)-
22-DESABROCHAR (2)-
23-DESEJO (2
24- DOÇURA-
25-ENTREGA (3)-
26- ESPELHO DA TERRA
27-FÉ E ESPERANÇA (2)-
28-FOGO SAGRADO (1)-
29-FORÇA DA VIDA (1)-
30-GRATIDÃO (1
31-HONRANDO A EXISTÊNCIA-
32-HUMILDADE (2)-
33-INFÂNCIA (1)
34-LAVANDO A ALMA (1)
35-LUZ (1)
36-LUZ DO DIA (2)
37-LEVEZA (1)
38-MOVIMENTO (1)
39-NASCEDOURO (1)
40-OUVINDO O CORAÇÃO (1)
41-ORIGEM DA ALMA (1)
42-POLARIDADE (1)
43-PRESENÇA (1 e meio)
44-PODER (1)
45-PAIXÃO (1)
46-PAZ (2)
47-RAÍZES (1)
48-REVERÊNCIA E CONSAGRAÇÃO (1)
49-RESPEITO (1 e meio)
50-SINTONIA (1)
51-SÍNTESE (5)
52-SERENIDADE (1)
53-SUPERAÇÃO (1)
54-SEGURANÇA
55-TRANQUILIDADE (1)
56-TRANSCENDÊNCIA (1)
57-LIBERAÇÃO (2 e meio)
58-TERNURA (1)
59-DEDOS DE DEUS (3)
60-KUNDALINE
61-LIBERDADE.
62-AMPARO.
63-INOCÊNCIA
64-DEIXANDO IR
65-ESPONTANEIDADE
66-FORÇA
67-PROTEÇÃO.

                                                          EM PRODUÇÃO:



68-CLAREZA MENTAL
69-CLAREZA ESPIRITUAL
70-CICATRIZANDO A ALMA
71-CURA DAS RELAÇÕES
72-CURA FÍSICA
73-PURIFICAÇÃO
74-PERDÃO
75-RENDIÇÃO
76-SIMPLICIDADE
77-TOTALIDADE
78-UNIDADE.
79-SEXUALIDADE



A essência da Jóia na Existência:

A JORNADA AO CORAÇÃO:


80-FLOR DA EXISTÊNCIA.
81-A JÓIA.
82- DOCE PRESENÇA.
83-AMANHECER.
84-ENTARDECER.
85-DESCANSO.
86-ENCANTO.
87-TRANSMUTAÇÃO.
88-CORAÇÃO PURO.
89-RENUNCIA.
90 UNIDADE EM  BENÇÃOS.
91-CONEXÃO EM BENÇÃOS.
92-VISÃO EM BENÇÃOS.
93-FALA SÁBIA EM BENÇÃOS.
94-FÉ E CORAGEM EM BENÇÃOS.
95-COMPAIXÃO EM BENÇÃOS.
96-RENASCIMENTO EM BENÇÃOS.
97-ANCORANDO O CÉU EM BENÇÃOS.
98-ANCORANDO A TERRA EM BENÇÃOS
99-KUNDALINE EM BENÇÃOS.
100-CASAMENTO ALQUÍMICO EM BENÇÃOS..
101-JANELAS DO TEMPO EM BENÇÃOS.
102 ESPAÇO EM BENÇÃOS.
103 O SER.
104- O LUGAR.
105- O VENTRE
106-A GRAÇA

SÍNTESE- Horando o Caminho.

SÍNTESE




Os Saberes que deram as mãos a Sahwenya Passuello-
Horando o Caminho.

***Vendedora da banca Passuello( Frutas e Flores).- Aos 8 anos.Vila Nova-Porto Alegre-RS.
****Química Técnica- 17 Anos.Escola Batista.Porto Alegre.
****Química Responsável-Dos 17 aos 23 Anos.
**** Voluntária- Educação do Saber-Filosofia -Magistério-24 anos.
            Crianças e Famílias da Periferia Local.
*****Meditação. Juan Valdes/Osho/Sidartha/21 Anos.
*****Energia Quântica.Juan Valdes.-29 Anos.

*****Fundação do Centro de Educação Integral Mundo da Magia.

*****Educação-Pedagogia Educação para Inclusão.24 Anos.
*****.Mestra Reiki- Florais de Bach.- 31 Anos.
*****Fundação da Morada dos Avós-Alma da Terra.
*****Pedagogia Sistêmica-37 Anos.
*****Dança Circular(Gira- Flor entre Outros- 31 Anos).
*****Ciclos de Energia Pura- Alquímica. Anand Dwhani(31 Anos).
*****Renascimento- Dhwani & Leonard Orr.(31 Anos).

*****Natural Medicina Alma da Terra- Incio- 31 Anos.

****Constelações Familiares.Terapia Familiar, Hellinger Sciencia segundo a Consciência do          Espírito.Entre vários Professores, Bert Hellinger.****( 32 Anos).

***** Terapia Flor é Ser- 37 Anos.

****   ARVORE ALMA DA TERRA- 2017-48 Anos.

****COMUNIDADE ACCORDARE/ALMA DA TERRA.
GRATIDÃO AO CÍRCULO COMPLETO DO AMOR..

terça-feira, 4 de julho de 2017

O que é-A Jornada ao Coração.



A JORNADA AO CORAÇÃO

O fluxo da energia da existência manifesta na essência de cada Ser comum a todos seres humanos, é intocada e inviolada.A essência, guarda a medicina de cada ser.A medicina fala de seus dons, talentos, habilidades e copetencias as quais expressam a sua forma única, genuína de Ser.

É energia Pura, não é formatada nem alterada, não recebe influências, nem formações. Não tem nome, nem tem forma, em sua superfície é escura, em sua profundidade é luz infinita.Não ouvirá palavras a sintonizar, pois a energia pura não tem uma forma humana, nem divina,não tem voz para ser ouvida, não tem imagem,  é simplesmente Energia.

Cada pulsação possui uma sabedoria, que emerge ao coração,  que como um raio de luz reflete em sua consciência.Essa Energia é inteligente e eterna, está em cada expressão manifesta, está em todos os lugares ao mesmo tempo. 

Essa energia move a consciência plena, gerando uma força de quietude e descanso profundo.

Da Inação, nasce o movimento genuíno, que não fala de sagrado ou profano, pois não é dual, não refere-se a gêneros, masculino e feminino, pois é andrógina.


 A Energia FLORESCER, nos recorda que  aqui chegamos, nesta terra, para exalar nosso perfume, embelezar a vida e contribui ao ciclo natural da Existência..

Tal qual uma borboleta, uma flor, um cristal, uma árvore, o ser Humano, nasce, desenvolve-se,  se assim for desperta sua consciência escolhe o tempo que deseja viver, o tempo necessário ao acordar do seu Florescimento,  ao seu Florescer a Estabilização do seu Florescimento.

Na Roda da Vida, em media a cada 12 a 14 meses,  em media, estamos vivendo o semear, o florescer, o frutificar e a colheita
 
Morte e Renascimento são Passagens para um novo começo, assim tudo que um dia se manifesta na forma, em dado momento retorna a fonte.

No entendimento da Jornada do Coração, a essência é Imortal, pois pertence a Fonte, o ser Humano é um conjunto de espelhos,o quais revestem o ser humano  com as qualidades: Física, , mental, emocional, .do sofrimento,da respiração, da energia, das Bem Aventuranças, da existência.

Cada Ser, quando desperto, ao viver a passagem ao nascimento, ao seu tempo recorda de sua essência.Ao viver a passagem pela Morte, renasce a vida eterna, em energia desperta volta a se expressar em forma  ou não, se assim servir ao Ciclo da Existência 

A Jornada ao Coração fala de tornar-se consciente de sua essência e mover-se segundo o fluxo da energia da Existência, em sua vida.Quanto mais livres, leves e soltos, mais a energia flui livremente.Essa energia pura, auxilia a libertar as Pontes da Vida e as Pontes do Amor resultantes da Jornada da Alma, onde dispomos de recursos para acessar força e fé, para seguir adiante.

É momento do desprendimento das tradições, sejam na ordem familiar e ou na ordem das tradições Humanas.Cada um é convidado a liberar os Credos e as crenças decorrentes em sua existência.

Para isso, somos convidados a conhecer a Energia, o fluxo da energia e sua linguagem e expressão.

A Energia fluindo livremente acessa a qualidade conferida pela bem aventurança, e dilui todo e qualquer negatividade, responsável pelo desajuste do mapa hormonal de seu organismo, o desequilíbrio dos fogos internos(Vísceras), a baixa da imunidade e o adoecimento.

Gerando um novo mapa Hormonal, de positividade, bem-estar, prazer, empoderamento, disposição e felicidade, Florescendo novas Consciências.

As Práticas de Purificação dos elementos, da Mente através do Amor,, auxiliam na harmonização  desses fatores elucidados, acordando os Instintos a Vida, nutrindo em beleza os Sentidos.
Acordando o Florescimento-Flor é Ser.

A respiração conectada mantem o seu organismo cheio de vida e a consciência plena,com os caminhos abertos, para o fluxo da energia fluir livremente.

E novamente, a respiração abraçando todo o organismo humano, limpando a mente, permite o fluxo da energia livre, revelar a essência e sua principal medicina, o amor.

A essência é a Medicina, contem a sabedoria, as respostas e a guiança,a meditação fortalece os laços da Consciência com a essência.

Para transitar da Jornada da Alma para a Jornada do Coração, é preciso aprender a descansar na urgência, relaxar na inação, onde todas as crenças e condicionamentos soltos, pela respiração, são relaxadamente liberados.

 É desta forma que você é guiado a cura do  padrão de origem, uma vez que você vislumbra o padrão completo, passo por passo,e todas as pontes de vida e amor que em certo tempo auxiliaram, agora, já não mais se fazem necessárias.

A Meditação ativa e semi-ativa,associada a respiração seja caminhando, dançando de forma circular, realizando uma serie de movimentos que conferem foco e atenção plena, ajudarão a aquietar a mente e manter sua atenção focada a cada momento.A Meditação Passiva é apropriada para ajudarem o organismo repousar, antes do sono.

 A essência, alimenta a sua vontade  positiva, nutri sua relação com seu Ser Amor, suas biomemórias conciliadas com sua Mente, ofertando mais espaços para que seu Ser possa ocupar dentro de você.

Aos Despertar, o trabalho seguinte é aprender a estabilizar, ou seja despertar em estado de Bem Aventurança permanente.

Para isso o Peregrino aprofunda as práticas de austeridades, devoção, e silencio, despertando em si o caminho ao qual serve..Um caminho fala da Liberação da Mente, do Corpo, da Vida,dos Movimentos físicos, da Respiração e Sexualidade.O outro fala do Controle do corpo, dos Movimentos físicos, da Respiração e do Celibato.

A essência de cada Ser, revela o caminho a seguir, ofertando as aprendizagens que respondem a sua natureza genuína.