quinta-feira, 8 de junho de 2017

- As dimensões do Amor.

As Dimensões do Amor
09/06/2017
16:48 h.

Sou naturalmente guiada pela força que atua nesse amor, assim, como vem se dando em minha Jornada ao coração, aceito por completo em meu silêncio essa dança, sem nada dizer, apenas a escutar e testemunhar como tripulante em uma viagem surpreendente que elucida um lugar aqui, uma forma de ser ou fazer as coisas ali e por fim  a qualidade de energia decorrente das distintas escolhas feitas, em cada situação  ou relação com a qual tive a honra de aprender, se ilumina.

A aprendizagem movimenta-me internamente a olhar, rever, identificar reflexos, e luminescências que se somam apontando a direção a qual, se seguem, meus próximos passos.

Momento a momento, desprendido de um programação aparente, enquanto elemento que compõem a roda circular de dança, deixo-me levar pela melodia e permito meu Ser Amor guiar-me na coreografia, muitas vezes parei para me perguntar, como seria, assistir a mim mesma, falando sobre algo, como uma total estranha e simultaneamente comungar em unidade, bebendo da verdade ao néctar, do néctar a imortalidade, sorvendo cada palavra, nutrindo meu coração, tocando minha humanidade.

A resposta que emerge na medida que vou escrevendo e derramando o que não cabe mais em meu ser, que essa posição de assistir a si mesmo é a oportunidade de experienciar aquele que testemunha, respondendo a mais antiga de minhas perguntas:

Quem Sou eu?

É nesse espaço conferido por essa resposta, que agora transcrevo o que floresce desse encontro entre a Consciência que me habita, o Ser amor que se expressa e a Existência, em unidade.

Ao olhar através do olhar que olha através do meu olhar, sou convidada a considerar as diversas faces do amar e ser amado, do objeto desse amor, do agente que consigo trás esse amor e a quem recebe e é amado, olhando para o mar e sua natureza viva ventre.

E me  pergunto:Qual é o lugar onde amor se expressa em maior exito?
E com certeza, respondo é o Ventre, expresso no momento de maior êxito em nossas vidas, o nascimento.

Assito-me ingressar na profundidade dessa Jornada ao ventre e nele descanso, silêncio e permito que sua natureza guardiã da paz nas relações me guie ao encontro das respostas que apontem as distintas dimensões do amor, de forma prática e clara, possível de ser identificada na vida diária.

Quais as condições que um Ventre precisa apresentar ou dispor em potencialidade para que a criança que ali é gerada disponha de todos os recursos, as pontes necessárias á expressar esse Exito em sua Vida? Emerge a pergunta.
Respondo para mim mesma, no  Ventre e Coração de uma Mulher

Quando respiro por de trás do umbigo e amplio a inspiração no alto do peito por de trás do coração, sinto os conteúdos emocionais que repousam abaixo no ventre e que o coração se disponibiliza em seu amor acolher e naturalmente acompanho se diluir em nova qualidade de energia cada sentimento, emoção, imagem ou experiencia, brotando na nova inspiração, consciências, entendimentos, e clarezas.

Ao recordar e sentir o embalo das ondas na respiração fui levada a caminhar ao encontro  do grande Ventre,  frente as águas verdes e claras do mar, suas espumas acariciavam as velhas rochas, espontaneamente, o amor guiou-me ali estar e descontraidamente tecer um dedo de prosa,  com um pescador.

Essa conversa remete-me ao íntimo de meu ser, recordando de meus ancestrais maternos e paternos em sua ligação com o mar e sua sabedoria, e logo os novos entendimentos sobre a potencialidade de um ventre feliz e as dimensões do amor.

O pescador,  falava comigo sobre o mar e as pistas que sua superfície revelava sobre a origem dos cardumes de tainhas com tanta alegria, seus olhos brilhavam, dava para sentir que ali estava seu coração.

Contava-me sobre a organização da comunidade dos pescadores,  a função de cada membro da comunidade, desde a mulher, a criança, os homens, o canoeiro e aqueles que ficam olhando com sabedoria onde estão os cardumes.

Relatava, ele, cujo o nome, é Zeca, que quando o cardume passa próximo e não cai em sua rede e segue, a postura que assumem, é a de  comunicar aos outros pescadores sobre a localização do cardume e assim o fazem mutuamente, sem saber e sem querer o senhor Zeca ofertava-me uma aula sobre a Amistosidade e o espírito da Comunidade, o respeito pelas Mulheres, sendo elas,  as que primeiro recebiam sua parcela de Peixes pelo trabalho contribuído, seguido pelos homens e por fim as crianças.

Ainda revelou sobre como determinavam os percentuais da Partilha, conforme o empenho e participação do trabalho, onde, 50% da pesca é ofertado a comunidade que ajuda em iguais parcelas e os outros 50% são compartilhados entre os Canoeiros e os Sábios dos Cardumes, normalmente, os pescadores mais velhos.

Nesse diálogo, Sahwenya que sou, perguntei ao seu Zeca, o que ele mais amava e fazia seu ser feliz?

Ele disse:Ora, ver a rede cheia de Peixe, e seguir as pistas, estar ali junto do mar atento, vendo onde a água encrespa, falando no radio para onde elas tão indo, e até que respinga a água e o cardume se aproxima, ai, eita, diz, ele, fico feliz, muito feliz.Isso que mais gosto de ver!

Depois, quando a Rede está cheia todos trabalham  há fartura, alimento, para todos!!!

A qualidade da energia que circula no fluxo da fala do seu Zeca, toca meu coração, ainda agora.

Já, em seus longos anos de idade, tece sobre as várias dimensões do amor, de forma prática.
O amor considera a todos, não por ter uma forma humana, um nome, e sim, por se expressar intimamente em energia viva, no interior de cada um de nós.Basta que cada um pergunte-se: Onde estou está meu coração?

Onde o coração está, é abundante, fértil e disponível a todos, seu equilíbrio indica que o que é ofertado é compartilhado a todos em equanimidade, na medida do empenho e dedicação, disponibilidade em toma-lo e ofertá-lo, a sua energia se multiplica, e novamente flui em nossa direção, sendo ilimitado toma as diversas formas, de alimento, dinheiro, sentimentos, pessoas, seres, relações, lugares circula livremente, vai e vem.

Não importa se um oferta um tanto e o outro oferta distintamente, para o amor o que oferta livre circulação é a verdade e integridade onde ambos comunicam o seu melhor  a ofertar.

Quando um toma indevidamente, naturalmente a fonte desse amor interrompe, geram-se os  conflitos e obstáculos para seu acesso, levando o outro a ofertar um pouco menos em sua direção.

O que gera a  ação de ferir e ser ferido, pedindo novamente que encontrem o caminho das relações saudáveis.

O amor,  para circular livremente necessita que um ato um pouco menos grave que o outro ofertou, anteriormente, se dê agora e assim, flui novamente o equilíbrio, e  vai equilibrando.Até que um faça algo generoso, e outro seja levado a ofertar algo melhor ainda.

O amor segue sua natureza multiplicando amor e movendo-se em todas as direções levando a oferta, depois de um tempo justo, contendo a dose e a medida acertada, retorna, trazendo em cada uma das direções muitas vezes mais amor, pois consigo, une todas as ofertas e as multiplica novamente, esse é o segredo da abundância.

O amor e as Relações Familiares:

O amor ofertado através de nossos Pais encontra um equilíbrio, quando os filhos aceitam e o tomam, reconhecendo o valor desse amor e comprometendo-se em passar adiante, aumentando ainda mais o fluxo desse amor.

Quando esse amor é ofertado e segue na direção dos filhos, por seus Pais, e os filhos não querem se comprometer em pagar o preço necessário para tomá-lo, ou seja temem crescer, e ainda acreditam que mereçam mais do que estão recebendo,  o amor não encontra o caminho para seguir adiante, e mesmo sem saber e querer, esse filhos assumem uma divida, que se expressa em todas as suas relações.
Essa dívida apenas será paga, o dia que amadurecerem e conseguirem ver através do olhar de seus Pais, desenvolverem a empatia e despertarem ao sentimento de gratidão, aceitando o que foi ofertado, com tudo, sem mudar ou colocar condições para recebe-lo.

Ao despertar da gratidão, o amor encontra o caminho e pode seguir em seu total fluxo, deixando no solo desse enredo, as sementes da compaixão.

As virtudes vão florescendo na medida que a oferta e o receber encontram o equilíbrio.

Em uma relação quando um oferta muito e o outro as vezes, não sabe como compensar, não consegue ver como devolver, ou as condições para retribuir, sente-se ferido e encontra uma forma de romper com esse circulo de amor.

As vezes dizer não, é ensinar sobre o exito do amor, colocar limites pede pelo reconhecimento dos próprios limites, vemos isso no caso de pessoas que necessitam sentir que pessoas dependam do seu amor, assim suprem o sentimento de carência, que aparentemente estão ofertando, no entanto o que buscam é satisfazer sua necessidade em receber.Dependem do amor gerado pela co-dependência.


O amor na vida Profissional:

Na vida prática, quando uma pessoa presta um serviço, aqui o amor também está presente, assim, como o relato do Pescador e sua Comunidade, todos trabalham, todos recebem.
Como podemos exemplificar o que seria um desequilíbrio nessa relação do seu Zeca e sua comunidade?
Bastaria, que seu Zeca, ofertasse seu trabalho e o líder da Comunidade não pagasse, o valor correspondente em peixes.

Nesse caso, exite um desequilíbrio em energia e material, fala da miséria emocional e da miséria emocional, onde aquele que não está disposto a tomar se compreende sem condições de pagar, e aquele que oferta, em algum ponto não se sente digno, e ou de fato possui um ponto não elucidado em sua Jornada, onde o amor não tocou, gerando uma zona de mágoa e ressentimento.

Essa relação encontrará a sanação através da presença, daquele que nessa situação não pagou, olhando a seus Pais e aceitando o que em amor ofertaram, aceitando crescer, se comprometer em passar adiante este amor.

O Nascimento e o Êxito:

Aquele que ofertou, e não recebeu......proponho que veja, o olhar de sua Mãe olhando o próprio ventre, feliz em gestá-lo, e confira o sentimento que brota, como aquele que está dentro do seu ventre, inundado desse amor.

Aquele que não foi tocado pelo amor, no momento do nascimento, ainda convido,a  olhar  a seus Pais, e o  amor que dançou entre seus olhares,  no momento que o fecundaram e o  conceberam, naturalmente deixe sorver esse amor prazeroso, estabelecendo o contato, tecendo vínculos com esse amor que sempre esteve disponível, em seu interior. Seu coração é o  lugar  onde verdadeiramente o amor está disponivel e intocado, aguardando seu bem-querer.

Esses são alguns exemplos, de algumas dimensões do amor, seja no nascimento, na família,nas relações, ou no trabalho, simples e funcionais.

O Exito e o Amor:

O pescador, com quem conversei, foi criança, e guarda suas impressões do ventre em que foi gestado, de como chegou a terra e como compreendeu a linguagem desse amor.

Em sua fala expressa o que aprendeu e como compreende o fluxo livre da vida e do exito.

Existem crianças que de fato ao chegarem ao mundo não experimentaram em verdade o amor outras aprenderam a não demostrá-lo.

Essas crianças, vieram de um ventre e cresceram, tornaram-se adultos e são os homens e mulheres que estão dando origem as novas gerações.

A cura de um ventre incia no nascimento, na morada do maior exito de todos nós, reconhecer essa experiencia, com tudo, como o melhor ventre que podíamos ser gerados.Um Ventre amoroso oferta o desenrolar de movimentos altruístas, que gestam vida em exito.

Crianças que nascem de um ventre amoroso, guarda mães conciliadas com suas mães, e suas mães com suas avós.

Colhem o  maduro  Amor,  o amor  que não vem de fora , que não é uma propriedade. experimentam o suculento sabor do amor  disponível a todos, está presente no coração.
Após longa Jornada ao Coração, são abençoadas com a Graça, em  descanso, silêncio, presença, atenção a si mesmo, são presenteadas com o Néctar do amor maduro, o amor por si mesmo.

Esse amor elucida o poder da Escolha, Decisão e Comprometimento que cabe a cada um, para com sua vida e suas relações,nutre o cuidado e o zelo com a intimidade e a afetividade, não pede pelo isolamento e nem pelo desamor, tão menos por escolhas que coloquem a vida em risco, proporciona movimentos incondicionais a favor da vida, a favor de suas relações.

Todas as compreensões e entendimentos, construídas em volta da consciência, a partir da ilusão do  abandono, a solidão, desproteção,  miséria, sofrimento e medo são identificados a Mente, causam a distração e guiam a repetição dos mesmos erros.

Um coração reconciliado com sua história de ventre, educa as crianças de sua comunidade, nessa consciência  de harmonia, amor por si mesmo e o compartilhar em equilíbrio o amor.

Jovens cujas as escolhas estejam comprometidos  com a verdade e realização de seus propósitos,reconhecem-se como Jóias da Existência,  ofertam meios e recursos para que todos brilhem em Exito e Vida plena.

Ventres que gestem o novo, incluindo a consciência de todas as dimensões do amor.
O amor que em si está em todos, em tudo, guarda o lugar, respeita o caminho, as escolhas e decisões, está disponível a servir e disponivel a ofertar incondicionalmente, não exige, confia, acolhe no seu melhor.

AS  dimensões do amor- Dar e Receber:

Aquele que está na posição de ofertar, pode perguntar-se se o amor que está a ofertar solicita algo em troca, alguma compensação ou se está desprendido, e é infinito, um amor alimentado pela existência?

Essa oferta de  amor  é nutrido pela satisfação de suas necessidades, desejos e ambições, nutre uma carência afetiva?

Essa oferta compartilha um amor, disponível em zelar pelos vínculos e cultivar a intimidade?
Aquele que recebe o amor, pode perguntar-se :

Recebo o amor que me ofertas com totalidade e desprendimento de condições?

Aceito tomar esse amor em concordância com sua história e tudo o que contem?

Quem recebe, pode ainda perguntar-se:Tomo esse amor, com presença, assimilo o que esse amor tem a contar e propor com gratidão e disponibilidade, comprometimento, a nutrir vínculos e estabelecer uma saudável intimidade?

Aquele que oferta, e aquele que recebe, estão dispostos a dedicar tempo, energia, atenção, cuidado e amor a saúde, paz, alegria e exito do relacionamento?

E ao responderem essas perguntas de forma integra, recordem de suas Humanidades, sejam generosos, e mesmo que, saibam que parte de seu Ser deseja de todo coração o exito do amor, e outra ainda o negue, sem saber o querer, seja verdadeiro e abra-se a cura necessária, para que dissolvam-se as separações e meias-verdades em seu íntimo.

Uma comunicação de qualidade e cuidado, diante da delicadeza humana, gera uma paz profunda, mesmo que cada um sinta diferente.

O que toca  a um e ao outro, é a sinceridade e disponibilidade em abrir o coração e comunicar em verdade o que está se passando no intimo.

Este é um primeiro passo em um espaço genuíno, onde o perdão contigo e com o outro, inicia.


Abrindo caminhos para o entendimento mútuo, e o  amor em suas várias dimensões,  florescer!


Expiações,Compensações e Lealdades:

A Natural consequência da crença no abandono e solidão, são relações afetivas com considerados desafios, onde um é levado a ferir o outro.

Assim se dá na Intimidade de um casal, como também nas relações de trabalho, na comunidade e até na gestão de uma Nação.

As guerras e conflitos, nascem da necessidade de saciar a carência da satisfação dos desejos primários e a necessidade de exercer poder sobre o outro, por medo,os seres humanos alimentam a crença e condicionamentos em deter o controle sobre sua vida, sobre a vida do outro, sobre a vida de uma Nação.
Ao ser ferido, e experienciar o sofrimento, o ser humano normalmente devolve a ação, ferindo novamente.Compreende que por deter o poder de ferir o outro se sentirá melhor, no entanto, sua natureza é o amor, e ele sente-se com menos força, e envolto na culpa.

A raiva, o ódio sinaliza que seu espaço pessoal foi invadido, e que necessita de proteção, o medo é o alimento a esse circulo vicioso do ferir e ser ferido, gerando o sentimento de culpa e autocomiseração, a pena de si mesmo, e das pessoas e grupos que sofreram o mesmo que nós.

Geração após geração, fecundam e concebem, em ventres cujas as relações dos homens e mulheres estão envoltos ao circulo vicioso da miséria e da solidão,assim o ventre que gera, o seio que alimenta, está ligado a essa qualidade de nutrição.

Seguem adiante os  entendimentos equivocados alimentando a  pena do próprio sofrimento e do sofrimento do outro,mantem-se todos, no mesmo lugar, sem de fato se darem conta, de que tudo o que se vive, no fundo, se deve as próprias escolhas.

Perpetuam o não comprometimento em elucidar as meias verdades que  acompanham por de trás das escolhas e decisões de conveniências, ou confortos ilusórios.

Essa condição humana, aparentemente confortável, nutre a dor e o sofrimento,   lealdades,  compensações e emaranhamentos nos relacionamentos.
Revelando um elevado custo e sentimento de  divida, mesmo que nem saiba com quem ou que divida seja essa, é acompanhado da sensação que por mais que oferte, nunca basta e ou por mais que se dedique nunca recebe o devido reconhecimento..

Quanto maior a distancia do amor, mais fortalecido a ligação com o sentimento de abandono e solidão, maior a carência e a miséria material e emocional.

Os medos e a necessidade de controlar, manifestam, fortalecendo a crença na necessidade da satisfação de seus desejos, e na ansia de deter o poder sobre a vida.

Essa qualidade de energia, toma a forma de um corpo sofrimento, que vela a visão quanto ao direito natural de cada um possuir  a liberdade de ser quem se é, com tudo o que é.

Embora, cada ser humano acredite que a dor e o sofrimento são individuais, e de fato é, até que desidentifique-se de sua história de traumas e o padrão de sofrimento herdado da ancestralidade e vidas passadas, o corpo sofrimento são formas pensamentos suspensos pelo planeta que aproximam-se e ligam-se por frequência.

Desencante sua mente da dor e sofrimento do passado, liberando e expressando os conteúdos suprimidos, ofertando as condições de segurança e confiança, para completar os movimentos interrompidos em sua história e eleve a frequência de energia, assim desligará sua energia base de vida dessas formas pensamentos que utilizam da ilusão humana, em crer-se enquanto um personagem dessa história, e criam verdadeiras redes sobre seu cérebro, na área do córtex, proporcionando a energia para a repetição de pensamentos, vinculados a sensação de prazer.

Aqui está estabelecido o Cárcere da Consciência, a um padrão comportamental e condicionamento,original no nascimento,somatizado pelos emaranhados familiares, refletidos e somatizados em seus relacionamentos, estabelecendo um Vício.

Um condicionamento humano, se dá através da privação que gera dor e sofrimento seguida por algo que confira o alivio, gerando a sensação de prazer.

O vício, é identificado na  construção de uma parede emocional sobre o coração, criando a obstrução da respiração por determinados canais energéticos.
A energia localizada, contem  conteúdos e enredos emocionais, no núcleo celular, a nível biológico guardam as memórias,  ocupando espaços.

Nesses lugares do nosso sistema nervoso, corpo biológico e energético,  o amor nunca foi acessado.
 Formando pontos cegos a consciência, pois de fato, em verdade o amor não tocou, o que existe nesse lugar é a morte, o desespero, a solidão, e o abandono.
O bebê, cresce e estabelece sua forma de relacionar-se com o novo mundo, descobre sua forma de ser e viver, para suprir suas necessidades básicas.

Conforme suas experiências diante a experiência e aprendizagem sobre a sobrevivência, o que se dá até a media de 14 anos, incia a experiência do Viver.
Suas relações, são espelhos onde vai amadurecendo e aprendendo sobre si mesmo, gestando virtudes e descobrindo suas vicissitudes, prosseguindo ao encontro da verdade.

Para isso se revelar, chegará o momento em olhar de frente aos  pesares e meias verdades, as crenças, padrões e condicionamentos que  entorpeceram seus instintos e intoxicaram  os sentidos,  proporcionando a inércia na evolução, amadurecimento pessoal e espiritual

,Ao descobrir, o ponto o amor naturalmente começa a fluir novamente, cada vez mais, e naturalmente vai dissolvendo esses conteúdos, e proporcionando a esses espaços ainda identificados a mente, tudo o que sempre sonhou,abrindo espaços, nutrindo com o acolhimento, o olhar, o abraço, acalento, proteção, clareza, vida, sim, muitos sins, a vida.

Esse é o verdadeiro despertar, quando aceitamos tudo como é, com o que é, em nossa profundidade e entramos em contato, transcendendo os medos de viver a dor e o sofrimento em sua origem, novamente, somos abraçados pelo maná da existência, e despertamos

O Ser Humano é convidado a essa Jornada do Coração, que inicia, com o simples ato de amor em parar e recordar de si mesmo, sensibilizando-se a recordar do sentir a si mesmo e a escuta do que se passa em seu corpo, seu coração, sua vida.

Para ser abraçado por esse amor é preciso ouvir o chamado e seguir o caminho ao encontro com sua verdade, é isso, mantendo o foco no momento presente, até que em um dado momento o sol ilumina a consciência, o encontro com o amor se dá.


O amor e o Ser:

Confio que o despertar da consciência, convide-nos a experienciarmos a liberdade de nossa mente, coração, corpo, e vida autorizando-nos a ser quem somos.

O caminho desse amor livre, fala do  perdão as próprias escolhas e a   abertura ao merecimento de receber os presentes da vida.

Nesse novo espaço, encerram-se as dividas, a necessidade de compensações e o juramento para com as lealdades em nome do sofrimento coletivo, bases da autocomiseração.

No espaço da dor e sofrimento, projetamos um outro, que sequer existe em realidade, quem sabe seja momento de deixar ir essas antigas crenças, de que é possivel salvar alguém, controlar ou mudar o destino de uma pessoa ou um grupo?

Basta de enganar a si próprio é hora de olhar desde as pequenas atitudes e reconhecer as raízes de suas origens.Cultivando a essência da paz e do amor começando pela relação da consciência com o próprio Ser Amor, em sua Existência.

O amor está disponível e a serviço, não pede o endereço sabe o caminho,aguarda sua decisão núcleo, aquela que é firme e decidida, a seguir a nova direção, a direção de seu Ser Amor.

Fica a dica de seu Zeca,

Depois, quando a Rede está cheia todos trabalham  há fartura, alimento, para todos, todos celebram felizes.!!!

Assim é, quando nos comprometemos com o propósito e verdade, em dizer sim por completo a vida.
A fartura, a abundancia, ofertam os presentes da existência ao seu coração.
































Nenhum comentário:

Postar um comentário